Review | Cuide dos Pais Antes que Seja Tarde, de Fabrício Carpinejar

Cuide dos Pais Antes que Seja Tarde é um livro muito especial para mim.

Este ano perdi meu pai.

Há 3 anos ele estava em uma cama. Neste processo, comprei este livro. Comecei a lê-lo e não sei por que parei.

Em janeiro deste ano me chamaram: “- Seu pai está internado de novo”.

Fui para lá com a ideia de passar um tempo novamente acompanhando-o no hospital. Não seria a primeira vez. Nem a última.

Levei um livro maior para ler e este aqui como uma espécie de acompanhamento. Resolvi recomeçá-lo.  Leria um conto de manhã e outro a noite, para ir saboreando, pois afinal trata-se de um Carpinejar, uma iguaria. Uma escrita para ser lida, sentida e saboreada.

Na primeira manhã segui o combinado. Um texto para começar o dia.

Mas a tarde chegou e o medico me avisou:  “- Seu pai está muito ruim. Ele não passa de amanhã.”

E ali fiquei. Velando sua passagem. E enquanto eu esperava, Carpinejar esperava por mim.  A leitura parou de novo. Como ele tinha dito:

Todo filho é pai da morte de seu pai.

E assim eu fui.

E a morte veio e o levou.

E ali segurando em sua mão, vem o pensamento: Será que fiz tudo o que podia por meu pai. Dei chances a ele de se orgulhar de mim e saber que valeu a pena o esforço e o trabalho? Ele conseguiu ir embora com a sensação de missão cumprida ou ainda tinha medo dos percalços que a vida podia me trazer?

E foi exatamente uma sensação como esta que fez Carpinejar escrever esta pérola em forma de livro.

Saudade que não é praticada vira ressentimento. Palavra que não é dita se isola em orgulho. Hoje eu vejo o tamanho do meu despreparo. Este livro é uma tentativa desesperada de ser mais pai de meu pai, mais pai de minha mãe, e devolver um pouco do que recebi deles na infância. Pelo menos, serve como um pedido de desculpa.

Cuide dos Pais Antes que Seja Tarde, editado brilhantemente pela Editora Bertrand Brasil, é um livro pequeno em tamanho, mas exageradamente enorme em conteúdo.

Para filhos, netos, pais, mães. Para quem tem uma família.

Ler Carpinejar é uma sensação muito estranha. É como se ele estivesse falando coisas na nossa orelha. Diretamente para nós. Beira ao sobrenatural.

Você se pergunta como que uma palavra escrita pode te acertar tão profundamente, te deixando arrepiado e muitas vezes deixando tudo embaçado, pois quando menos esperamos, Carpinejar vem com uma frase que faz nossos olhos ficarem líquidos.

E aqui, como em outros livros do autor, eu digo que ele escreveu este livro para mim.

É sobre mim e sobre os meus.

Aquela mãe que coleciona potes é a minha.

Nada é capaz de despertar tanto a alegria de minha mãe como potinhos…Os potes têm uma simbologia especial. São os fretes de seu amor, os carretos de sua gentileza. Recorre a eles para dividir as porções generosas de sua comida…Na verdade, ela não se importa com os potes, mas comigo. O pote é um pretexto. Eu já entendi que toda mãe guarda os potinhos para garantir a próxima visita do filho.

E ela ainda tem aquela receita caseira que só ela sabe fazer e cuja simplicidade é difícil demais para explicar aos outros.

Mãe que é mãe, mas mãe mesmo, diplomada e pós-graduada, tem que possuir uma receita de família e fazer charme para contar. Uma receita que herdou e agora é só dela. Uma receita caseira, inescrutável, que não passa para ninguém, que não anotou em livro nenhum, que muda de assunto na hora de entregar os ingredientes e o preparo aos filhos. Uma receita que permanece na tradição oral e que é capaz de mudar o mundo, o destino de um casamento, recuperar uma amizade, resolver a renga entre judeus e palestinos, desfazer depressão e mau-olhado.

E aquele pai que não consegue jogar nenhum trabalho de escola do filho fora sou eu.

Pai e mãe não conseguem colocar fora nada do filho. Fracassam. É um esguicho de tinta no caderno e pretendem emoldurar.

Assim como aquele pai que vai vendo os filhos crescerem e quer parar o tempo.

Mudei minha expedição: não perseguir mais o futuro, e sim a pureza e a magia da criancice intactas em alguma de suas frases e expressões. Folheio em seus rostos o nosso velho álbum de fotografias. Não me interessa mais saber se são parecidos com o pai ou com a mãe, com o avô ou avó, o que importa é encontrar semelhança com eles mesmos de antigamente. Todo pai, depois de ser um profeta, converte-se num arqueólogo. Não está centrado em adivinhar quem serão os seus filhos, dispõe-se a proteger a ternura dos laços primevos.

Mas no fim, concluímos que, na verdade, eu e os meus, somos iguais a você e os seus, e a ele e os deles e assim por diante. Somos simplesmente humanos. E repetimos os acertos e os erros. Em outras casas, em outras imagens, mas com um roteiro muito similar.

E aqui Carpinejar nos trás o roteiro da sua vida. Que é o roteiro da minha vida, da sua vida e da vida da próxima pessoa que você encontrar a sua frente após ler este texto.

O livro fala de perdas, mas é feito de lições e pura nostalgia. E deve ser lido com um marcador de texto, pois Carpinejar é um mago com super poderes que enxerga a nossa alma e a coloca em letras, silabas e palavras, que nos abraçam e deixam nosso coração quente, com suas teorias do sofá da sala, do pano de prato, de que quem é um bom neto, será um bom filho, etc.

E o que dizer daquela avó que lhe acordava com folhas de hortelã ?!!!.

Ao ler o livro você percebe que nada é mais importante do que aquele seu pequeno circulo. Sua família.

Cuide de Seus pais Antes que Seja Tarde é leitura obrigatória.

Livro para ter em casa,

Livro para deixar na sua cabeceira a ser folheado, lido e relido ao acordar para um bom dia.

Livro para deixar na sua cabeceira a ser folheado, lido e relido antes de dormir para agradecer ao bom dia passado junto aos que te importam.

Livro para sempre lembrar o que de verdade importa.

Livro para dar de presente.

Livro para deixar perdido no banco da praça ou do metrô, para ser encontrado por outras pessoas com a mesma sorte que você possui.

Livro para dividir.

Livro para refletir.

Leia!

E você, já leu este livro? Também achou que o autor está falando sobre a sua vida? Já leu algum outro livro do Carpinejar?? Qual seu titulo preferido do autor? Concorda que ele é um mago com as palavras? Ainda tem pais para cuidar ou agora você já é somente o pai/mãe que cuida de seus filhos?

Vamos conversar nos comentários.

E não se esqueça que temos muitas outras indicações, clique aqui e conheça um pouco mais.

E Curta o Site Mundo Hype nas redes sociais, compartilhe com amigos e continue por aqui.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet