Top Multiverso – 10 Animes Shoujo

Hoje o Top 10 é especialmente para quem adora um anime shoujo. É claro que os animes aqui estão na ordem da minha preferência e como eu gosto de animes mais antigos, são poucos os mais recentes nessa lista! Eu não sou fã de shoujo muito romântico, então eu sempre procuro focar em outros aspectos que me interessem na história e foi isso que fez eu decidir esse top 10.

 

10 – Suki-tte Ii na yo

De autoria de Kanae Hazuki, o anime foi adaptado a partir do mangá e conta com 13 episódios e um OVA.

Mei Tachibana é uma estudante de 16 anos bastante quieta e tímida. Por causa de um incidente na sua infância, não consegue confiar em ninguém, o que faz com que ela não tenha amigos e não consiga um namorado. Ao se encontrar com Yamato Kurosawa, um garoto popular que se interessa por ela e é através das tentativas do garoto de se tornar amigo dela que Mei começa a acreditar novamente nas pessoas.

Esse é um anime bastante focado em romance, mas ele fala muito sobre amizade, sobre bullying, sobre se aceitar, aprender a gostar de quem você é. A história é bem bonitinha e não é muito melosa. É muito interessante ver o crescimento da protagonista e como ela vai aprendendo a confiar nas pessoas e se relacionar com elas.

9 – Kare Kano

Criado por Masami Tsuda, o anime também é uma adaptação do mangá. Tem 26 episódios, mas sem um final definitivo. O anime não concluiu verdadeiramente a série ao contrário do mangá.

Kareshi Kanojo no Jijō (no original), conta a história de Yukino Miyazawa, uma garota extremamente vaidosa e que tem como objetivo ser o centro das atenções em sua escola: deve ser a mais inteligente e a mais simpática, um exemplo para todos. No entanto, ao mudar de colégio, um novo aluno exemplar se destaca, Sôichiro Arima. Miyazawa o toma como rival e tenta superá-lo, mas ele apaixona-se por ela e com o tempo Yukino descobre que também está apaixonada por ele.

A tradução do nome significa: assuntos de namorado e namorada. E é exatamente isso que você vai assistir. O Anime fala sobre a relação entre Yukino e Arima, como eles começam a se gostar e a evolução do relacionamento deles. Alguns capítulos focam somente nos personagens secundários o que quebra um pouco do romance. Karekano foi um dos primeiros shoujos que eu assisti e eu acho que é por isso que gosto tanto dele.

8 – Kimi ni Todoke

É um mangá criado por Karuho Shiina, Em 2008, ganhou o título de Melhor Mangá Shōjo no 32º Kodansha Manga Award. O anime ganhou 2 temporadas, a primeira com 25 episódios e a segunda com 13.

Essa é a história de Sawako Kuronuma, uma colegial que vive sendo chamada de Sadako, personagem do Filme “O Chamado” (Ringu, como é conhecido no Japão), pelo seu nome e aparência que lembram muito os da personagem. Ela sempre foi temida e incompreendida por causa disso, os boatos na escola dizem que ela é capaz de ver fantasmas e amaldiçoar pessoas. Porém, apesar da sua aparência assustadora, ela é, na verdade, uma garota muito gentil e tímida, que só gostaria de fazer amigos e ser admirada pelos outros. Quando o seu ídolo, o popular Kazehaya, começa a falar com ela, tudo muda. Ela começa a fazer novos amigos e a conversar com pessoas diferentes. Eventualmente, ela e Kazehaya lentamente se apaixonam, enquanto têm que superar diversos obstáculos em seus caminhos.

Fofo, define esse anime. O Romance é bem aquela coisa água com açúcar que eu geralmente não costumo gostar, com a protagonista pensando que seu coração bate mais forte pelo menino que ela gosta e todos os clichês que um shoujo tem direito. Mas não tem como não gostar de Kimi ni Todoke. Ele é divertido, foca bastante na amizade, também e a Sawako é uma graça.

7 – Kaichō wa Maid-sama!

A série de mangá escrita e ilustrada por Hiro Fujiwara, deu origem a adaptação desse anime com 26 episódios. Apesar de ter sido um sucesso Shōjo no ocidente, o mangá não teve a mesma fama no Japão.

O anime conta a história da Ayuzawa Misaki, presidente do conselho estudantil do colégio Seika, que antes era um colégio apenas de garotos e que agora é misto. O que quase ninguém sabe é que a toda rigorosa presidente, trabalha meio período em um restaurante de empregadas, aonde garçonetes se vestem dessa maneira e servem aos clientes como se fossem seus mestres. Misaki esconde seu emprego de todos na escola com medo de arruinar sua reputação. Porém, seu segredo é ameaçado quando Takumi Usui, o garoto mais popular do colégio, descobre sobre sua vida dupla.

Maid-sama é super engraçado. A protagonista não é chata como geralmente acontece em shoujo. Ela é forte, determinda, inteligente. Tem alguns clichês, mas nada que te faça perder a vontade de assistir. Eu morri de rir em todos os episódios desse anime.

6 – Lovely Complex

O Mangá escrito por Aya Nakahara, foi adaptado em um anime de 24 episódios. Aqui no Brasil o mangá está sendo publicado pela Panini e se você quiser saber um pouco mais sobre isso, clica aqui para conferir.

LoveCom, como é chamado pelos fãs, conta a história de Risa Koizumi e Atsushi Otani. Ela, com 1,72 de altura, e ele, com 1,56, são dois amigos conhecidos como “All Hanshin Kyojin”, comediantes japoneses com alturas diferentes. Tudo começa com uma aposta: qual dos dois arranjaria uma namorada ou namorado primeiro? Graças a suas alturas, essa não é uma tarefa fácil e a trama começa a se desenvolver justamente no ponto em que ambos percebem que a resposta para seus problemas estão ali, um do lado do outro.

É um anime leve e engraçado. É divertido notar as semelhanças entre os protagonistas, a forma como se portam diante dos problemas e tudo que possuem em comum. Eu adoro essa história e é um dos animes que eu mais recomendo dessa lista.

5 – Skip Beat!

Com 25 episódios o anime se originou do mangá de mesmo nome criado por Yoshiki Nakamura.

Conta a história de Kyoko, uma garota que desde criança dedicou-se de todo coração a fazer seu amigo Shotaro feliz. Quando adolescente apaixona-se pelo rapaz, sendo capaz até mesmo de acompanhá-lo quando ele saiu de casa para morar em Tóquio, afim de realizar o grande sonho de tornar-se uma celebridade. Kyoko trabalhava como louca para pagar as despesas e atender todos os desejos de Sho, que consegue se tornar uma celebridade. Certo dia, Kyoko aparece na agência de Sho e escuta ele dizendo que só a trouxe para Tóquio para servir como empregada e pegar as contas da casa. É claro que Kyoko fica arrasada, e jura vingança contra ele, dizendo que vai entrar para o showbiz e ser muito mais famosa que ele.

Esse foi um anime que realmente me surpreendeu. Quando eu li a sinopse confesso que esperava um shoujo bem água com açúcar, super chato. Pois não é! Kyoko é completamente determinada e o que começou com um desejo de vingança, acaba se tornando uma grande paixão. Ele se mostra uma ótima atriz e percebe que aquele era realmente o seu lugar. Eu me apaixonei completamente por skip beat e sinceramente, acho que o romance fica tão em segundo plano, que não faria falta nenhuma na história.

4 – Sakura Card Captors

Criado pelo grupo CLAMP, esse anime que conta com 70 episódio, também se originou de um mangá. Sakura foi transmitido aqui no Brasil e teve seu mangá publicado por aqui, também. Eu já falei sobre o anime aqui, pra quem quiser conferir.

O anime conta a história de uma menina de 10 anos chamada Sakura Kinomoto, que mora com seu pai, Fujitaka, um professor universitário, e seu irmão mais velho, Toya, na cidade fictícia de Tomoeda. Um dia, ela acaba encontrando no porão de sua casa o misterioso “Livro Clow”, e decide abri-lo com a chave que estava junto. Quando o livro é aberto, todas as cartas que estão nele saem voando, aparecendo em seguida um bichinho fofo e amarelo, chamado Kérberos (que foi carinhosamente apelidado por Sakura de Kero), o guardião do livro. Ele diz que a missão de Sakura é reunir novamente as cartas, que foram criadas e aprisionadas pelo Mago Clow. Então, na companhia de Kero e de sua melhor amiga Tomoyo, Sakura usa a chave do livro que se transforma em um báculo, na jornada para capturar cada uma das 52 cartas Clow.

Não tenho nem o que falar de Sakura, quase todo mundo conhece, foi muito popular por aqui no início dos anos 2000. Mas se você não assistiu, eu recomendo, é impossível não se encantar com esse anime.

3 – Guerreiras Mágicas de Rayearth

Também do grupo clamp, o mangá deu origem ao anime que contém duas temporadas, a primeira com 20 episódios e a segunda com 29. Também já falei sobre guerreiras mágicas e fica o link pra quem quiser saber mais.

O anime conta a história de três meninas, Lucy, Marine e Anne que não se conhecem, mas estão Visitando a torre de Tóquio, cada uma com a sua respectiva escola, quando de repente são convocadas pela Princesa Esmeralda para salvar Zefir, então são transportadas até esse outro mundo. Lá encontram Guru Clef que conta que elas são as lendárias Guerreiras Mágicas e que sua missão é salvar a Princesa Esmeralda, o Pilar de Zefir, responsável por manter a paz e o equilíbrio desse mundo, que foi raptada por Zagar. Mas antes elas precisam despertar seus três Gênios e com Mokona, como seu guia, elas partem em sua missão.

Mecha, é isso o que eu tenho pra falar sobre Rayearth. Afinal de contas, quem não gosta de animes com robôs gigantes!? Brincadeiras a parte, vale muito a pena conferir Guerreiras Mágicas. O anime conta com muita ação e lutas e deixa os clichês bem lá atrás.

2 – Sailor Moon

Conhecido no Japão como Pretty Soldier Sailormoon, é uma série de mangá escrita e ilustrada por Naoko Takeuchi. o Anime conta com 6 temporadas com um total de 234 episódios (até agora, a mais recente temporada Sailor Moon Crystal, ainda está em exibição no Japão).

Sailor Moon conta a história de Usagi Tsukino, uma garota normal e inocente de 14 anos, que um dia encontra Luna, uma gata falante que revela a identidade de Usagi como “Sailor Moon”, uma guerreira mágica destinada a salvar a terra das forças do mal e unir-se com outras sailors para encontrar a Princesa da Lua que habita a terra. Enquanto as outras guerreiras não aparecem, começam a surgir monstros por toda a Tóquio e Serena, com a ajuda do misterioso Tuxedo Mask, um rapaz que luta usando rosas e veste um smoking, aprende a derrotá-los. As Sailors precisam encontrar o lendário Cristal de Prata, há muito perdido, para encontrar a Princesa da Lua.

Graças a Rede Manchete, Sailor Moon foi o anime que junto com Cavaleiros do Zodíaco, me fez conhecer as animações japonesas e me apaixonar por elas.

1 – Fushigi Yuugi

É um mangá criado por Yuu Watase e publicado no Japão de 1992 a 1995, sendo transformado no mesmo ano de sua finalização em um anime. É o mangá de maior sucesso da mangaká no mundo inteiro.

Fushigi Yugi conta a história de Miaka Yuki, uma estudante que está prestes a fazer um teste de admissão no colégio. Sua mãe deseja que ela passe para uma escola de elite, por isso a pressiona nos estudos. Um dia ela resolve estudar na biblioteca do colégio junto com a sua melhor amiga Yui. Quando Miaka resolve comprar um suco, ela avista uma ave vermelha muito estranha, e resolve segui-la. A ave entra em uma sala com um aviso: “Sala de Referências de Documentos Importantes” – Proibida a entrada de pessoas não autorizadas, mas mesmo lendo esse aviso, Miaka resolve entrar e procurar pelo pássaro. Assim que entra na sala, Yui a encontra e Miaka resolve contar-lhe sobre a ave que ela havia seguido. Nesse momento um livro cai e ambas por curiosidade resolvem ver do que se tratava. O livro chamava-se “O universo dos Quatro Deuses”, do qual Yui percebe que estava escrito em Chinês antigo. Assim que Yui começa a lê-lo, ambas são transportadas para dentro do livro, que tinha como ambiente a China Antiga, onde a trama se passa.

Esse sem dúvidas é meu anime/mangá shoujo preferido. Quando o mangá foi publicado no Brasil alguns anos atrás eu acompanhei toda a história e me apaixonei completamente. Qualquer hora falo mais sobre ele por aqui. Por enquanto eu só posso dizer pra vocês assistirem essa incrível história sobre os 7 Seishi de Suzaku.