Review | StarCraft de Timothy Zahn

Em geral, eu não leio muitos livros de videogame, pela decepção que alguns me deram, como também outros tantos fizeram no cinema. Gosto de jogar, porém alguns dessas adaptações literárias se tornaram exceções em meio a minhas frustrações. Recentemente, vi StarCraft: Evolução, lançamento da Galera Record, com Timothy Zahn a frente do título, o cara é um dos meus autores favoritos, e fiquei curioso o que ele faria com uma narrativa com o universo de Starcraft, uma série de games de estratégia em tempo real (RTS). Se ele fizer o que fez Star Wars no início da década de 1990, teremos uma expansão do universo, com seu estilo de contar sem pressa uma trama que é costurada aos poucos.

E para minha agradável surpresa, ele fez. A aclamada série da Blizzard Entertainment ganha uma nova narrativa que abre um novo horizonte para a franquia. Seu talento de tomar uma narrativa já estabelecida e adicionar novos materiais que se encaixam e enriquecem o formato original de uma maneira única.. No entanto, confesso que nunca joguei Starcraft, mas agora tou ávido para conhecer. E mais quando eu estava lendo este livro, admito, que usei o Google para conhecer as raças do jogo. Não que Zahn não descreva bem, mas porque sabia que tinha uma tonelada de imagens na internet. E havia. E foi extra-útil… Ainda mais que descobri que tem várias livros para o universo.

A narrativa trata do fim da guerra entre os terranos, os protoss e os zerg. Um momento de reconstrução após anos de conflitos brutais. Mas a paz é uma linha tênue, na melhor das hipóteses. Um planeta que fora incinerado será restaurado e a neutralidade oscila de volta à hostilidade, pela desconfiança que os zerg tem em seu cerne. Acompanharemos uma expedição combinada entre os terranos e os protoss para aquele planeta e onde encontrarão criaturas desconhecidas, que se mantiveram escondidas e que, caso livres, mudarão de forma radical o curso da galáxia. Eis um breve resumo do que encontraremos em Starcraft: Evolução.

Minha preocupação estava em dois pontos que a narrativa pudesse seguir. Um, assumir uma posição que precisasse ter muito conhecimento do jogo e dois, ser arrastado para longos capítulos que explicasse tudo que já aconteceu na franquia. E após a leitura, fico feliz em dizer que o autor não seguiu nenhum destes extremos. A linha do tempo no final do livro foi suficiente para atualizar os eventos dos jogos que saíram. Zahn vislumbra a equipe expedicionária com sua história e tradição militar, como suas posições na guerra afetou cada um e prepara o terreno para como eles agirão quando a história continua. A brincadeira, a inteligência, a frustração, a raiva e a amizade foram evidentes nos diálogos.
A caracterização de vários personagens do elenco do cânone (como Valerian e Artanis) segue uma linha diferente como são retratados nos jogos.  Podemos vê-los como se fossem pessoas reais durante a leitura, com uma coloração literária que dá profundidade e completude para o universo destes personagens

Recomendo este livro tanto para aqueles que estão familiarizados com a franquia e como também para quem que nunca jogou uma única missão de Starcraft. Uma boa ficção científica com Timothy Zahn merece uma conferida.

REVER GERAL
Narrativa
8,0

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here