Review | It Ends With Us by Colleen Hoover

it-ends-with-usSINOPSE:
Colocarei a sinopse no final!
Este livro fica muito mais perfeito sem sinopse…

FALANDO SOBRE:

“CONTINUE A NADAR LILLY”
Eu demorei a pegar este livro para ler, mas assim que comecei não consegui mais parar.
Na sociedade atual em que vivemos, achamos que certas coisas são impossíveis de acontecer em pleno século 21, devido à modernidade em que o mundo se encontra. Mas infelizmente ainda somos surpreendidos por ser uma coisa cada dia mais frequente na maioria das famílias. Collen Houver é minha autora favorita até um livro fraco desta mulher é ótimo. E um livro ótimo escrito por ela se torna perfeito. E essa foi justamente à sensação que tive quando terminei de ler este livro: que ele é perfeito.
A estória gira em torno de Lilly, uma jovem que aos 23 anos tem que iniciar uma nova vida, com a morte do pai e sua mudança de lar. Já no inicio do primeiro capítulo ela conhece Ryle, um rapaz lindo, rico, bem sucedido, mas extremamente contrário a relacionamentos. Os dois sentem uma atração simultânea, mas o relacionamento deles não florece nas primeiras páginas.
– NÃO EXISTE ESSA COISA DE PESSOAS RUINS. SOMOS TODOS APENAS PESSOAS, QUE ÀS VEZES FAZEM COISAS RUINS.
Com a mudança para casa nova Lilly encontra os diários de sua adolescência (quando tinha 15 anos), os quais eram escritos em formato de cartas como se fossem para apresentadora Ellen Degeneres. E através deste diário conhecemos a infância trágica ao qual a Lilly cresceu e somos apresentados ao primeiro amor de sua vida o doce e sensível Atlas. Lilly e Atlas descobrem o amor da forma mais pura e suave. Ambos, no meio da dor conseguem juntos curar um pouco do peso que carregam em seus corações.
Como todo livro de romance Lilly e Ryle constroem um relacionamento e seguem com o curso natural da vida. Mas por ironia do destino, a protagonista reencontra Atlas e aquele sentimento forte de adolescência mexe com eles. Só que agora eles são adultos e a vida deles seguiu outro rumo e hoje Ryle é a pessoa que Lilly ama.

TALVEZ o AMOR não seja algo que vem no formato de um ciclo completo. Ele APENAS flutua, pra DENTRO e pra FORA, assim como as pessoas entrando e saindo das nossas VIDAS.

Este livro não é um conto de fadas
Ele não é um triangulo amoroso
Ele não é uma leitura fútil
Ele te levará ao extremo
Mas eu te garanto, vai valer a pena!
No final, toda aquela dor e sofrimento que ocorrem em vários momentos da leitura ou te farão odiar Lilly ou vão fazer vocês vai quererem pega-la no colo. E em muitos momentos durante muitas semanas após esta leitura você ainda vai pensar na história do livro e ficar imaginado se em algum momento as coisas seriam diferentes se fosse você a protagonista.
Quando é um momento de dizer pare?
Quando as atitudes te assustam?
Quando os teus sonhos ficam quebrados dentro de vc?
Você realmente sabe identificar se o seu relacionamento é abusivo?
E no final nem sempre as coisas ocorrem como imaginamos ou esperamos.
Eu me quebrei com a Lilly;
Eu me quebrei com Ryle;
Eu me quebrei com Atlas;
Traumas deixam seqüelas, não importa o que ocorreu nem a forma que aconteceu. A dor é real e em muitos casos podem mudar toda a sua vida…
E no final uma frase que define a perfeição deste livro:
“VOCÊ PODE PARAR DE NADAR LILLY”

Observação: O livro foi baseado em fatos reais ocorridos na vida da própria autora.

SINOPSE:
A vida de Lily nem sempre foi fácil, mas isso não a impediu de trabalhar duro pelo que quer. Ela andou um longo caminho desde seu povoado em Maine, onde cresceu, e então se formou e mudou-se para Boston, onde começou seu próprio negócio. Então, quando ela sente uma faísca pelo belo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo na vida de Lily repentinamente parece muito bom para ser verdade. Ryle é assertivo, teimoso, talvez até mesmo arrogante. Mas ele também é sensível, brilhante, e tem um lado doce para Lily, e a forma como aparenta quando veste seu jaleco de médico certamente soma alguns pontos. Lily não pode tirá-lo da cabeça. Mas a completa aversão de Rile a relações amorosas é inquietante. Mesmo que Lily encontre a si mesma como a exceção a regra de “não sair”, ela não pode evitar se perguntar o que levou-o a isso em primeiro lugar. Enquanto as questões sobre seu novo relacionamento a dominam, o mesmo acontece com os pensamentos envolvendo Atlas Corrigan — seu primeiro amor e um laço que deixou para trás. Ele era sua alma gêmea, seu protetor. Quando Atlas repentinamente aparece, tudo o que Lily construiu com Ryle se vê ameaçado.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet