Review | Something Beautiful

Preparados para mais um livro da franquia Beautiful? 
Quando soube que a Jamie ia lançar um spin off da America e Shepley fiquei muito animada esperando que ela fosse refazer uma química tão boa como fez em Beautiful Disaster. E a seu modo fez sim!
America é a melhor amiga da Abby que conhecemos no Beautiful Disaster, e que nesse mesmo livro já namorava Shep, primo do Travis. Em Something Beautiful começamos lendo sobre como Shep conheceu e se apaixonou por America assim que ela entrou na faculdade; e percebemos que ambos são muito diferentes. Shep é o cara legal e na dele, que evita conflitos, tanto quanto seu primo gosta de se meter neles; enquanto America tem uma personalidade forte, geniosa e gosta das coisas sendo do jeito dela. 

“Eu não estava apenas apaixonado por ela. Era como se fosse minha respiração, então a segunda, e então cada respiração depois disso. America tinha entrado em minha vida, e, em seguida, ela virou a razão para isso.”

A narrativa da história é feita em primeira pessoa, com capítulos distribuídos entre eles, e gira em torno de dar ou não o próximo passo em relação a efetivarem um relacionamento sério que os levará à morar juntos, em nenhum momento o livro me prendeu. Tudo o que consegui ver foi um casal perdido vivendo a sombra do relacionamento de Abby e Travis. Fiquei um pouco cansada da autora sempre mencionando uma história que a gente já conhecia. Enquanto o amor de America e Shep desmoronava por tantos motivos, como medo, desesperança e principalmente falta de comunicação. Durante muitos momentos em que via a narrativa de ambas as partes me perguntava se eles se amavam de verdade como eu tinha visto no 1° livro; e até em partes quando a autora os descrevia tendo momentos sozinhos e íntimos tudo era superficial, e não passava de uma breve cena de sexo oral ou a cena acabava e eu percebia insatisfação. 

“Ela é especial sabe. Ela é a garotinha do papai, mas ela vai te dizer onde enfiar se não gostar do que você tem a dizer. Ela dará um tapa em um grandalhão para proteger a honra da sua melhor amiga. Ela odeia despedidas. Ela usa uma pequena cruz de ouro em volta do pescoço e xinga como um marinheiro. Ela é o meu felizes para sempre.”

Só consigo pensar em como foi esquisito perceber que nem a autora estava feliz com o que escrevia. Passava a impressão de que em momento algum ela gostaria que os outros livros de personagens secundário – e quando digo isso também me refiro a série que envolvem os irmão do Travis – fossem tão bons como os primeiros livros envolvendo Abby & Travis. 
Porém, teve um único aspecto que me fez gostar um pouquinho do livro e perceber que nem tudo estava perdido e que a Jamie McGuire tentou criar algo novo. Foi a situação peculiar em que colocou os personagens, porque eu nunca tinha lido nada assim, e gostei muito! O que também torna a sinopse muito enganosa, mas valeu muito a pena ser “enganada” porque em alguns momentos fiquei com o coração na mão. 
Infelizmente não posso dizer que terminei amando America e Shepley. Pelo contrário, achei até que Shep sempre amará mais a Abby do que o contrário. Em alguns momentos duvidei dela (tanto até que os quotes que eu separei foram só dele dizendo coisas lindas, e ela nada!). Foi apenas legal. Um passatempo que não tem nada a acrescentar. 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

+ Lidas da Semana

Marvel | Loki e Wanda ganharão séries no streaming da Disney

Segundo a Variety, Loki e Wanda, interpretados por Tom Hiddleston e Elizabeth Olsen, ganharão série no streaming da Disney na Marvel. A Disney pretende investir...

11 séries de época para se apaixonar

Todo mundo tem uma preferência de narrativa quando procura uma série para ver. Existem séries para os amantes de ficção científica, séries de fantasia, policial,...

PlayStation: Sony revela retorno do console clássico

Após tantos rumores, finalmente a empresa japonesa de videogames, Sony Entertainment, anunciou hoje, 19, o retorno do seu primeiro modelo de console: PlayStation Clássico. Em seu blog...

Panini divulga a primeira capa do crossover entre Turma da Mônica e Liga da Justiça da DC Comics

Sábado passado, dia15 de setembro, durante o Batman Day, um evento especial realizado pela Panini para os fãs do Homem-Morcego, a editora divulgou com...

Crítica | Tom Clancy’s Jack Ryan

Jack Ryan é o agente da CIA com melhor desempenho nas telonas e nos livros: de nerd burocrático, agente de campo até se tornar...

Mais Notícias