Review | Dançando sobre cacos de vidro de Ka Hancock

Dançando Sobre Cacos de Vidro

Como em qualquer relação, eles têm dias bons e dias ruins – alguns terríveis. Depois que Lucy quase perde uma batalha contra o câncer, eles criam mais uma regra: nunca terão filhos, para não passar adiante sua herança genética. Porém, em seu 11° aniversário de casamento, durante uma consulta de rotina, Lucy é surpreendida com uma notícia extraordinária, quase um milagre, que vai mudar tudo o que ela e Mickey haviam planejado. De uma hora para outra todas as regras são jogadas pela janela e eles terão que redescobrir o verdadeiro significado do amor.Dançando sobre cacos de vidro é a história de um amor inspirador que supera todos os obstáculos para se tornar possível.      

Falando sobre: 

No meu ponto de vista foi um dos melhores livros que já tive a oportunidade de ler ele te contagia do início ao fim.

Lucy enfrentou todas as lutas com garra e força de uma forma que muitas pessoas desistiriam no primeiro baque, ela perdeu a mãe e depois o pai e ainda joven. sobreviveu a um câncer, e mesmo com todo mundo dizendo que não, conseguiria, ela lutou pelo amor do Micael mesmo sabendo que a doença dele teria altos e baixos. Mickey, um homem solitário que encontra na Lucy o limite entre a loucura e a razão, a felicidade completa e sem tamanho, uma razão para lutar. Dois amores improváveis que conseguiram vencer todas as barreiras que o mundo impôs sobre eles e venceram todas as barreiras. 

Um conselho: Prepare os lençós de papel, porque você vai chorar e não vai conseguir largar o livros mesmo se debulhando em lágrimas.

Trecho do livro:


Gleason,  o psiquiatra cuida de Mickey desde que ele era uma criança e tem ajudando bastante a Lucy a entender o Mickey. Foi dele as palavras mais sábias :   — Lucy, todo casamento é uma dança: complicada às vezes, maravilhosa em outras. Na maior parte do tempo não acontece nada de extraordinário. Com Mickey, porém, haverá momentos em que vocês dançarão sobre cacos de vidro. Haverá sofrimento. 

(pg. 99)



Acariciei o rosto de Mickey e pensei naquele dia, muitos anos antes, quando Gleason me falou como seria a nossa vida. Não demorou para que eu entendesse o que ele quisera dizer. Cacos de vidro. Nesse momento, estávamos descalços e dançando sobre um mar de cacos de vidro. Por mais verdadeiro que isso fosse, porém, Mickey sabia que eu dançaria com ele para sempre se pudesse, mesmo que meus pés sangrassem. 

(pg. 211)


Ka Hancock é enfermeira, tem especialização em psiquiatria e longa experiência profissional com pacientes psiquiátricos e dependentes químicos. Em algum momento entre estudar, trabalhar e criar quatro filhos, conseguiu escrever seu primeiro livro. Ela mora com o marido em Salt Lake City.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet