Review: Vingadores – A Queda

O
mais longo dos dias…

Em
certo momento da história, Tony Stark diz que os Vingadores eram os Beatles dos
grupos de super-heróis. Embora no universo 616 isso seja realidade, aqui, no
nosso universo não. A maior equipe da Marvel passava volta-e-meia por momentos
de crise criativa que faziam com que eles fossem eclipsados pelos X-Men durante
quase 30 anos. E eis que o roteirista Brian Michael Bendis teve a ideia de
acabar com o grupo. O velho truque de matar o personagem para criar hype para
logo em seguida ressuscitá-lo em toda sua glória e esplendor.
Em muitas entrevistas, Bendis fala que queria
escrever o pior dia da história dos Vingadores… e realmente foi. A História consegue
ser ágil sem se atropelar. Os diálogos rápidos e cheios de ironia para com a
própria indústria de quadrinhos de super-heróis – que se tornaria a marca
registrada dos textos de Bendis meses depois em “Os Novos Vingadores” – consegue
encontrar seu espaço, dando pequenos alívios para algo que é, por natureza,
dramático. 

A arte de David Finch, embora longe de ser brilhante, acompanha bem
a história (com a infeliz exceção da cena da morte de um dos Vingadores mais
queridos e que mais causou comoção nos fãs). A cena é mal composta e confusa, de
modo que é preciso dar uma pequena pausa para entender o que realmente
aconteceu.

Outro ponto fraco vem do fato de que as
mortes e tragédias são sempre seguidas por uma tragédia maior – o que sempre
acaba fazendo com que não sintamos o peso de algumas delas -, como a morte de
Scott Lang logo na primeira história. Esta “despaixão” é remediada em partes com
as duas últimas histórias “Grand Finale”, que cumpre bem seu papel se analisada
individualmente, mas que não justifica a presença desta revista entre os “sessenta maiores clássicos da Marvel.”

No fim, lembraremos (única e
exclusivamente) desta revista, por ter sido ela o estopim para a excelente fase dos “Novos
Vingadores” que, esta sim, trouxe novos ares à equipe e os colocou no seu devido
lugar de “Rockstars” entre os fãs de quadrinhos.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet