Review – Skip Beat (Mangá)

Para mim, é realmente complicado falar de mangás shoujo. Eu geralmente não gosto do gênero Romance, nem em livros, filmes, ou séries é um tema que realmente me cansa. Mas quando tem outro gênero envolvido e o romance fica em segundo plano, como uma comédia romântica que é mais comédia do que romance, eu gosto. Por isso procuro ler mangás shoujo que não foquem só em romance (não é a toa que meu shoujo preferido é Fushigi Yuugi). Skip Beat é um desses mangás em que o romance não é o foco principal, pelo contrário ele fica totalmente em segundo plano, na maior parte do tempo. Então se quiser saber mais sobre ele, continua lendo que eu vou contar.

Mangaká: Yoshiki Nakamura

Volumes: 38 (em andamento)

Genero: Comédia, Romance, Shoujo, Slice of life

Tipo: Mangá

Ano: 2002

Editora: Hakusensha

Serializado em: Hana to Yume

A história gira em torno de Kyoko Mogami, uma garota de dezesseis anos que é apaixonada por seu amigo de infância, Shoutarou Fuwa. Os pais de Shoutarou são donos de uma pousada em Kyoto e como Kyoko foi praticamente abandonada por sua mãe, ela passava a maior parte do tempo nesse local e aprendeu muitas coisas sobre o funcionamento da pousada. Mas como Shoutarou não queria assumir o negócio dos seus pais e sonha em ser um famoso cantor, Kyoko foge com ele para Tóquio. Assim, ela abandonou a escola e a sua vida na Prefeitura de Kyoto para ajudá-lo na sua carreira musical.

Após chegar a Tóquio, Kyoko tem uma vida simples e trabalha em vários empregos para sustentar Sho (como Shoutarou é chamado por suas fãs), não gastando nada com ela mesma e sem vaidade nenhuma, fazendo tudo o que pude por seu amigo de infância que ela acredita ser o grande amor da sua vida. Ele realmente acaba se tornando uma das celebridades masculinas mais populares do Japão, assim como tanto sonhava e ela sempre disposta a ajudá-lo. Um dia, ela ouve Shoutarou reclamando dela para sua empresária, dizendo que Kyoko é uma garota chata e pobre e que apenas a vê como um capacho. Ao contrário do que acontece na maioria dos shoujos, Kyoko não chora, nem faz aquele drama de mocinha indefesa. Ela aparece gritando com Sho e dizendo que seria mais famosa do que ele, que essa seria sua vingança e mesmo arrastada pelos seguranças do ídolo, ela continua repetindo que seria maior que ele um dia.

E ela realmente vai atrás disso. Kyoko muda a sua aparência tenta a todo custo entrar na L.M.E (Agência concorrente de Shoutarou). Um dos meios de entrar é fazendo um teste do tipo “Show de Calouros” aonde, mulheres de vários lugares vem para conseguir alguma vaga em programas de TV. É aí que o presidente da agência decide dar uma chance a ela, mas ele, com todo a sua excentricidade, cria a seção“Love Me” (Que tem como objetivo fazer os integrantes amar mais e odiar menos) e Kyoko passa ser a primeira integrante o objetivo é fazer diversos trabalhos (Entre lavar chão até participar de comerciais). A regra é, se alguém precisar de algo, qualquer coisa, deverá pedir a ela e Kyoko tem que fazer. O que ninguém esperava, é que Kyoko passou a se tornar uma das melhores atrizes em que já viram. Surpreendendo o dono da agência e até Tsuruga Ren, o melhor ator do Japão (e o novo interesse romântico de Kyoko), que também faz parte dessa agência.

Eu descobri Skip Beat, porque estava em busca de um anime divertido para assistir. Naqueles dias em que você só quer dar risada e não pensar muito nas coisas. Acabei adorando e logo fui atrás do mangá. O Anime infelizmente só tem uma temporada com 25 episódios que vai mais ou menos até o capitulo 70 do mangá. Eu li desde o ínicio, porque nem sempre o Anime é fiel ao quadrinho. Mas nesse caso, não deixou nada a desejar.

Apesar de ainda não estar finalizado, Skip Beat é um mangá bem longo, tendo um total de 230 capítulos traduzidos para o português e até o capítulo 239 em inglês. Então acredite, vai levar algum tempo para ler. E vai valer à pena. Você vai rir muito com as trapalhadas da Kyoko, vai torcer por ela e vai odiar o Shoutarou cada vez mais. Foi um Shoujo que me surpreendeu bastante, como eu já disse o romance fica totalmente em segundo plano e o mangá foca mesmo em Kyoko, na sua carreira, em como ela evolui, amadurece e fica cada vez mais próxima de conseguir sua vingança e ser uma grande estrela, apesar de que com o tempo isso nem importa mais, porque ela percebe que ama atuar e que essa é a vida dela. O que começou de um jeito totalmente errado acabou sendo o que ela precisava, seguir em frente com seus próprios pés sem depender de ninguém.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet