Review: Planetes parte 3


A suavidade
do drama

        Planetes
é um mangá de ficção cientifica. Por si só isto faz com que ela esteja presa a
dois aspectos que acompanham qualquer obra do gênero: A pergunta de como será o
amanhã e de como as mudanças que ocorrerão irão mudar a vida dos seres humanos.
Claro que a partir desta premissa aqueles que contam estas histórias podem
tanto falar de um futuro maravilhoso como dizer que tudo será um caos. Planetes
consegue falar de um futuro onde ambos acontecem.
        Continuando a história alguns meses de
onde a parte 2 acabou, vemos que Hachimaki conseguiu de fato partir para a sua
sonhada admissão na tripulação que irá para Júpiter, Planeta que desde que
Stanley Kubrick colocou um monólito em sua órbita é sinônimo de avanço tecnológico
e evolução humana, e começa o seu treinamento ao lado de Sally, companheira
inglesa de viagem. Mais uma vez a obra utiliza-se de mulheres fortes em opiniões
e sentimentos para contrapor a frieza do protagonista, e é ai que a parte 3
encontra seu motivo de existir: A mensagem de que para tudo no universo existe
um contrário. Vida e morte, amor e ódio, solidão e companheirismo, luz e
sombra, homem e mulher, drama e humor.
        O humor, aliás, está presente aqui mais
do que nunca. Em vários momentos o alivio cômico aparece forte e dá direção a
trama não como muleta de história para manter o expectador interessado. Ele simplesmente
aparece para jogar luz nas trevas pessoais de Hachimaki, que estava em
depressão ainda em decorrência de seus traumas com a quase morte no capítulo
anterior. Enquanto as cenas em que ele aparece são tensas e cheias de
simbolismos, a trama passa para seus colegas de viagem tentando ajudar seu
companheiro com métodos pouco ortodoxos.
        E a forma como ele sai desta depressão é
outro ponto positivo. Sem dar spoilers, mas perceba como, embora sendo algo
obvio e que vinha sendo pincelado para o leitor desde a parte 2, quando ela
acontece é de forma natural. É como em um filme de romance em que você sabe que
o casal vencerá e ficará juntos até o final, mas que quando feito de maneira
eficiente faz com que você saia pensando na vida, no universo e tudo mais.
        Por fim, o palco para o capítulo final
está armado. Se o destino não for tão empolgante quanto o resto da viagem não tem
problema. Planetes com certeza conseguiu seu lugar como uma das melhores obras
da ficção cientifica moderna. 

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet