Review – Planeta Hulk

Sexta-Feira …dia de Review, certo?

E o Review de hoje falará um pouco das aventuras do Cicatriz
Verde
no planeta Sakaar, que passa de escravo, a gladiador, a líder de rebelião contra um tirano imperador.

Planeta
Hulk foi publicado tanto pela Panini, ao preço de R$99,00, 428 páginas, formato
Deluxe, quanto pela Coleção de Graphic Novels da Marvel, da Salvat, em duas
edições ao preço de 32,90 cada. Engloba as edições 92 à 105 do título do Hulk
de 2007 escrito por Greg Pack
(Magneto: Testamento) e desenhado pela dupla  Carlo Pagulayan e Aaron Lopresti.

A história é a seguinte: após
diversos problemas envolvendo o gigante esmeralda, os Iluminati (grupo formado pelos seres mais inteligentes e de maior
infuência na terra: Tony Stark, professor Xavier, Reed Richards, Raio Negro,
Pantera Negra, Namor e Dr. Estranho) decidem por um fim ao reino de destruição
do Hulk (exceto Namor, que já previu que o Hulk voltaria), e o mandam para fora da terra para realizar o concerto de um satélite.
No espaço, o Hulk descobre, através de um vídeo, que será enviado a um planeta
em que possa fazer a destruição que quiser sem que fira mais ninguém.
Obviamente ele não concorda com a idéia, e fica furioso, quebrando assim o
sensor de navegação da nave em que estava. Após ser sugada por uma espécie de
portal, a nave chega ao planeta Sakaar,
e assim começa a épica jornada do Cicatriz
Verde
, que vai de gladiador à líder de uma rebelião contra o Rei Vermelho, regente e tirano deste
planeta.

primeiro quebra do Rei Vermelho contra o Hulk
Vocês podem se
perguntar: mas por que diabos o Hulk lutaria com espada e escudo numa arena?
Por que ele simplesmente não destrói tudo como ele sempre faz? Bom o fato é
que, de alguma forma, os poderes do Hulk foram reduzidos durante a viagem, e
agora além de ter sua força reduzida, ele também pode ser ferido. Isso tira um
pouco do fator indestrutível e intocável do Hulk, e o transforma num personagem
mais cauteloso e preocupado com as conseqüências de suas ações. Hulk
percebe que em Sakaar, esmagar somente não basta, que lá ele terá de trabalhar
em equipe e até mesmo a liderar.

Ao chegar no planeta Sakaar o Hulk percebe que não está tão forte assim …
Hulk e seu bando de gladiadores
Planeta Hulk nos fornece um cenário muito rico, com ar mitológico envolvendo o Hulk, algo que nas HQs tradicionais era praticamente impossível. Na terra Hulk era somente um monstro, mas em Sakaar todos são monstros, e podemos ver o Hulk crescer como personagem e se tornando não somente o herói que nasceu para ser, mas uma lenda aguardada por um povo oprimido que ansiava por seu salvador. 

“A Goela” local de treinamento de gladiadores

Os personagens secundários são muitíssimo bem explorados, por vezes com uma subtrama bem interessante (a história de Korg, é a mais interessante ao meu ver, pois envolve a primeira aparição de um outro personagem da marvel que eu gosto muito rsrs), e que faz o leitor entender o por quê do Hulk se importar tanto com eles. Caiera, uma guarda de honra do Rei Vermelho (o vilão principal da história), é uma das mais importantes deles, mostrando o quanto o Hulk (e não Bruce Banner) pode ser humano. Outro personagem que é muito interessante de se acompanhar é Miek, um insetívoro de seis braços. Ele é o último sobrevivente de sua espécie em Sakaar, e conhece os outros na arena. Sua evolução é uma das mais visíveis do grupo. Também há a participação de um coadjuvante de luxo na história. Não vou revelar a surpresa, pra não estragar a experiencia de quem ainda não leu.

Caiera, a “Sombra” do Imperador
A arte da
dupla Carlo Pagulayan e
Aaron Lopresti
é algo digno de nota. Os detalhes das armas e vestimentas faz realmente o leitor ver os personagens como gladiadores romanos. A dupla consegue retratar toda a ira do gigante esmeralda de forma bem fluída e vívida. As cenas de luta, apesar de parecem meio curtas as vezes, também são bem executadas. Acho que o roteirista não queria se extender muito nas lutas(até para desenvolver melhor a história), por isso são mais diretas.

Hulk em um de seus momentos de fúria
Capas do mexicano José Ladrönn

Enfim, ao meu ver, Planeta Hulk, não é só um dos melhores trabalhos já feitos em cima do golias verde, mas um dos clássicos da marvel em geral. E após terminado Planeta Hulk sabemos que o Hulk está beeeem raivoso, e que o Namor não estava tão errado ao temer envia-lo para fora do planeta …

E vocês, também curtiram essa saga? sim, não? não deixem de comentar, compartilhar e até a próxima sexta

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here