Review | O Muro de Celine Fraipont & Pierre Bailly

Há varias formas de se sentir sozinho, a pior delas é quando se está acompanhado!

A edição da vez é o quadrinho undergroud O Muro escrita por Celine Fraipont e com a arte de Pierre Bailly. O quadrinho teve sucesso em vários países do mundo e chegou aqui nas terras BR em 2015 pela Editora Nemo.

A premissa é direta e sensível. Uma jovem de apenas 13 anos, que não atingiu a puberdade ainda, é forçada pelo destino a enfrentar duros dias de solidão. Envolta em um mundo frio e sem amor, ela imagina que está constantemente sozinha, mesmo sabendo que é a ordem natural das coisas, decorrente dos últimos acontecimentos em sua vida. Ela não consegue enfrentar seus demônios e se entrega de corpo e alma a novas experiências e sensações. Sem atenção suficiente de seus pais, ela se torna vitima de si mesma. Seu mundo já não é mais o mesmo, o novo é convidativo, sedutor, perigoso e mesmo assim na atual situação não há nada que a impeça. Uma história sobre amor e solidão.

Além de toda profundidade que a autora consegue chegar, a abordagem aos temas que estão camuflados a trama é um grande diferencial. Os leitores são convidados a sentir a mesma solidão da pequena Rosie. Quantas pessoas não passaram em algum momento na vida por uma solidão incomoda e involuntária?

O MURO

A solidão pode se apresentar de várias formas, seja pela ausência física de companhia, seja pelo abandono sentimental ou pelo simples fato de se sentir deslocada no contexto em que se encontra. No caso da pequena Rosie parece que ela fisgada por todos os tipos de solidão. Uma jovem de 13 não deveria de forma alguma ter questões e responsabilidades tão importantes para resolver por si só. Ainda não há maturidade suficiente, não há discernimento e muito menos malícia para tratar de alguns assuntos. Além de todas as ausências que a edição apresenta, a recorrente fortíssima da história são as relações amorosas. Mas não somente relações de amor apaixonado, mas sim de amor fraterno. Claro que para aumentar o tom dramático, essas abordagens são sutis e serve como pano de fundo para o principal plot. Como os sentimentos encontram refúgio em determinados pontos como as drogas, álcool e cigarro, é apresentado o quão se fica vulnerável e dependente dessa fabricada e artificial condição de felicidade passageira.

Por fim, você leitor lerá uma edição digna de reflexão e com uma arte excepcional. Uma narrativa gráfica fora de série, com um jogo de sombra e luz capaz de nos transcender para dentro da cabeça da personagem. Uma história curta com um final incrível. Um verdadeiro muro que divide a inocência da perigosa vida adulta.


O MURO

E você caro leitor, gosta de histórias como essa?

Leia aqui no Mundo Hype, alguns reviews de ótimos quadrinhos indicados aqui do mesmo gênero, como: Persépolis – O Mundo de Aisha – Uma Metamorfose Iraniana – PaciênciaNão era Você que eu Esperava. 

Curta, comente e compartilhe nas redes sociais e não perca nosso conteúdo!

 

REVER GERAL
Nota
7
Leitor compulsivo, bebedor de café e entusiasta quando se trata de leitura. Tecnólogo em Marketing por formação e Locutor por paixão. A minha missão declarada é tornar você, um leitor tão apaixonado quanto eu. A leitura é fonte inesgotável de conhecimento. Conheça-te a ti mesmo!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here