Review – Invasão Secreta (Salvat)

Olá invasores multiversais
Lido o encadernado da Coleção de Graphic Novels Marvel: Invasão
Secreta
, da Salvat, venho a vocês contar minha experiência de leitura com
essa mega saga que prometeu abalar as estruturas do universo Marvel.
Invasão Secreta (também
publicado pela Panini na linha de encadernados Deluxe capa dura ao preço de
R$67,00 com 256 páginas) publicada pela editora Salvat, contém 238 páginas
compilando as edições 1 à 8 da saga principal, capa dura, ao preço de R$34,90.
Escrita por Brian Michael Bendis e
desenhada por Leinil Francis Yu.
A sinopse: A
raça de conquistadores alienígenas conhecidos como skrulls passou décadas se
infiltrando em nosso mundo. Eles usaram sua capacidade de metamorfosear sua
aparência para se esgueirar até os escalões mais altos do governo, das forças
armadas… e até mesmo da comunidade super-heroica. Um general é o que aparenta
ser? E o Homem de Ferro? Seriam eles skrulls? Ninguém sabe. As capacidades
skrulls desafiam toda e qualquer detecção mística ou tecnológica. Irmão se
volta contra irmão e herói contra herói enquanto os alienígenas usam seus
postos de poder para confundir a todos e lançam uma ofensiva maciça para
conquistar a Terra! Está acontecendo há anos, silenciosamente, mas agora a
carga plena da invasão secreta está sobre nós!
Bom, primeiramente
deixe-me explicar esse encadernado: ele não trata diretamente da infiltração da
raça alienígena Skrull na comunidade heróica da Marvel, por que isso JÁ
OCORREU. Esse encadernado trata do ataque direto e desenrolar da invasão (que
foi sendo plantada meses antes nas revistas de linha da Marvel). Portanto o
leitor desavisado pode achar estranho não mostrarem como os Skrulls se
infiltraram em alguns pontos chaves da invasão.
As habilidades dos Skrull estão estrategicamente aplicadas.
Esclarecido esses pontos,
a história começa com Tony Stark revelando a Reed Richards e Hank Pym que a
Elektra era na verdade uma Skrull e que nem por meios mágicos, tecnológicos ou
psíquicos eles puderam detectá-la anteriormente. Daí Tony pronuncia uma frase
que vai ditar o tom de toda história: “em quem podemos confiar?”.
A descoberta que a tempos Elektra era uma Skrull.
A principio Bendis
trabalha esse conceito muito bem com reviravoltas e descobertas de skrulls
infiltrados em pontos chaves da invasão. Ele escolhe os momentos certos para revelar a identidade de cada skrull
transmorfo infiltrado e isso faz com que a historia enriqueça de forma a não
perder a emoção e dramatização em qualquer momento. Outro aspecto da história é
como Bendis trabalha bem o lado psicológico dos personagens. Tony Stark é uma
boa prova disso, onde em um diálogo com a própria Rainha Skrull é posto em
questão se Tony era um Skrull infiltrado desde a Guerra Civil, servindo para
desestabilizar e rachar a confiança dos heróis antes da invasão.
Stark é questionado quanto sua real identidade: afinal? ele é ou não é um skrull?
A Arte de Francis Yu se
mostra muito competente ao longo das 8 edições da saga com belíssimas páginas
duplas e cenas de ação ao tempo todo. Seu estilo de desenho sujo e algumas vezes irregular também serve para o leitor se questionar quem é um skrull e quem não é.
A arte de Francis Yu, nos brinda com muitas páginas duplas de ação.
O final da saga trouxe algumas mudanças ao universo Marvel, mas no geral foram coisas temporárias, que com o tempo sabiamos que a editora não iria mante-las. Uma delas é o posto de Norman Osborn, e a formação da Cabala, grupo que, assim como os Iluminati, tem a intenção de reunir grandes mentes, porém do submundo do crime:
Bom galera essas foram minhas impressões sobre esta mega saga recém republicada pela Salvat. E vocês? Curtiram essa saga? Sim? Não? deixem seus comentários e discutam sobre em nossas redes sociais. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here