Review | Coleção Definitiva do Homem-Aranha #6 – Herói da Resistência

Review de Coleção Definitiva do Homem-Aranha #6, escrito por Mark Millar e desenhos de Terry Dodson, Rachel Dodson e Frank Cho, lançado em junho de 2017 pela Editora Salvat, 152 páginas, R$ 39,90, formato americano. Originalmente em Marvel Knights Spider-Man #7-12.

Sinopse:

A busca frenética de Peter Parker pela sua adorada tia May continua! E as coisas esquentam quando entra em cena um novo Venom com todos os poderes do anterior e nenhuma responsabilidade! Paralelamente, enquanto uma conspiração sinistra se desenrola nos bastidores, o raptor de sua tia prepara a jogada final para destruir o Cabeça de Teia, ajudado por 12 dos inimigos mais letais do Homem-Aranha!

Comentário edição a edição:

Edição #7: De acordo com Rachel Summers, tia May deve estar morta e já faz mais de um mês que Peter Parker continua sua busca incansável. Para clarear um pouco as ideias e relaxar, Peter resolver ir junto com sua esposa MJ, à uma festa promovida por Liz Osborn, para reunir os antigos colegas do segundo grau. Porém, a festa acaba abruptamente com o ataque do novo Venom, agora tendo como hospedeiro, o filho do mafioso Don Fortunato.

Edição #8: Uma luta intensa entre o Homem-Aranha e Ângelo Fortunato, o novo Venom, com um desfecho fatal. O concurso promovido pelo Clarim Diário para quem descobrir a identidade secreta do Homem-Aranha está tomando proporções gigantescas.

Edição #9: Peter se encontra com Mac Gargan, o Escorpião, e acha que foi ele quem raptou a tia May. Mas Gargan diz que o autor por trás de toda a tramóia é Norman Osborn. Mais do que isso, revela uma trajetória de conspiração e interesses empresariais corruptos. A única maneira de Peter rever tia May com vida, é libertar Osborn da cadeia.

Edição #10: Indo contra tudo em que acredita, mas sem outra opção, o Homem-Aranha pede ajuda da Gata Negra e os dois invadem a prisão na Ilha Ryker para libertar Norman Osborn. O problema maior é que, na mesma hora, alguns policiais resolvem matar Osborn em retaliação ao que o vilão fez com a esposa de um deles.

Edição #11: Depois de libertar Osborn da prisão na Ilha Ryker, o Homem-Aranha e a Gata Negra são cercados pelo Duende Verde e seus aliados. Enquanto os dois enfrentam uma galeria de vilões do aracnídeo, Norman segue para o apartamento de Peter, atrás de Mary Jane.

Edição #12: Com a intervenção dos Vingadores em apreender os vilões contratados de Osborn, o Homem-Aranha segue atrás de Mary Jane, à mercê do Duende Verde. O Dr. Octopus retorna para tentar matar o Duende. A vida da tia May por um fio, e o Homem-Aranha luta contra o tempo.

Análise final:

Conclusão do arco “Caído Entre os Mortos”, onde Peter Parker finalmente conhece a identidade do vilão responsável pelo desaparecimento da tia May e transformou a vida do Homem-Aranha em um inferno. Apesar do suspense inicial, o escritor Mark Millar não demorou tanto para revelar quem estava por trás do seqüestro da tia May. A história mantém o tom mais violento e crítico, marcas características de Millar. Porém, o desenvolvimento geral, incluindo as motivações do vilão principal e até mesmo de algumas ações do Homem-Aranha ficaram um tanto quanto incoerentes. Ao mesmo tempo, o escritor soube explorar muito bem o espírito por trás da existência do Homem-Aranha e fez várias referências ao material original. No geral, leitura satisfatória.

Por Roger

REVER GERAL
Herói da resistência
7,0
Colecionador de HQs Marvel desde 1981 quando comprei minha primeira HQ Heróis da TV Nº 21 pela Editora Abril e HQs DC desde 1984 quando a Abril lançou os três títulos: Super-Homem, Batman e Heróis em Ação. Durante a década de 90, por motivos pessoais, fiz uma pausa, mas retornei em 2000 lendo algumas histórias do universo Ultimate.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here