Review – Blame! (Mangá)

Semana passada a JBC anunciou o lançamento do mangá Blame! na CCXP desse ano (confira aqui a noticia). Eu confesso que não conhecia a obra e fiquei curiosa ao ler a sinopse, afinal de contas trata-se de um mangá de ficção e eu sou fã do gênero. Li o mangá em praticamente uma noite e na primeira chance, vim falar sobre ele por aqui.

Mangaká: Nihei Tsutomu

Volumes: 10 (completo)

Genero: Seinen, Ação, Drama, Horror, Ficção Científica, Psicológico

Tipo: Mangá

Ano: 1998

Editora: Kodansha

Serializado em: Afternoon

Num futuro distante, os seres humanos foram praticamente extintos e o mundo tornou-se um cenário devastado, onde mega estruturas preencheram toda a superfície do planeta, obliterando toda a natureza. Essas estruturas foram construídas e são reparadas e aperfeiçoadas constantemente por robôs autômatos e sem controle. Nesse lugar, o que impera é a lei da sobrevivência. Os poucos seres vivos, “transhumans” (humanos com DNA alterado que sobreviveram à extinção), amontoam-se em favelas “hightech” ou cidades de estrutura quase alienígena. Sobrevivendo com a tecnologia que puderem encontrar e tendo que enfrentar terríveis desafios, dentre os quais estão mutantes e criaturas medonhas, frutos de experimentos genéticos e evoluções bizarras, as “almas de silício”, seres biomecânicos criados para caçar a espécie humana e mais uma enorme gama de intempéries e insanidades. Uma maravilhosa mistura de genialidade, arte única e roteiro.

Durante a aventura, o protagonista, Killy, munido com uma arma especial chamada de emissor de feixe gravitacional, luta para encontrar um gene humano perfeito, o “Net Gene Terminal”. Com isso, o grupo do qual ele faz parte tem esperanças de reconectar um usuário à Rede (Netsphere) e pôr um fim no caos que ameaça levar o mundo à destruição. Durante o enredo ele encontra aliados e inimigos, traição e desespero, e muitas revelações e reviravoltas.

BLAME! é considerado por muitos a obra prima de Tsutomu Nihei. A obra possui uma trama complexa que combina perfeitamente com sua fantástica arte cyberpunk. O traço de Tsutomu Nihei é muito intenso, muito forte. Não é a toa que o mangaká está entre os melhores do Japão quando se trata do traço de sua arte, que é único. Ele escreveu diversas obras e uma muito conhecida por aqui é Knights of Sidonia que está sendo serializada também pela JBC.

Ler Blame! foi fantástico. Apresentando pouco texto e várias páginas de pura arte onde apenas vemos Killy andando sem rumo por uma imensidão de salões e corredores gigantes, perdido em seus próprios pensamentos. Isso mesmo, o mangá possui poucos diálogos, afinal de contas, a humanidade é praticamente inexistente. Mas ação não falta nas páginas dessa obra. Killy sempre encontra um obstáculo na sua busca pelo gene perfeito e tem que lutar contra ele.

Além do mangá, a obra possui uma versão em anime, com sete episódios, além disso, a Netflix já anunciou um longa de Blame!. Recomendo demais a leitura da obra, ainda mais que ela estará sendo lançada em breve por aqui, eu com certeza vou colecionar esse mangá incrível.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet