Review – Ao Haru Ride (Mangá)

Como todo bom fã de mangá sabe, os shoujos não tem muito reconhecimento no nosso país, são poucos títulos que saem e preferencialmente os mais populares no Japão. Como esse mangá está sendo publicado pela Panini e é um shoujo que está fazendo muito sucesso aqui no Brasil, eu me senti na obrigação de fazer um review dele, apesar de não ter gostado da obra.

Mangaká: Io Sakisaka

Volumes: 13 (completo no Japão) 9 (em andamento no Brasil)

Genero: Shoujo,Romance,Drama,Vida Escolar

Tipo: Mangá

Ano: 2011 (Japão) 2015 (Brasil)

Editora: Shueisha (Japão) Panini (Brasil)

Serializado em: Bessatsu Margaret

Ao Haru Ride

Ao Haru Ride ou Aohraido, gira em torno de Yoshioka Futaba e Kou Tanaka. Futaba sempre foi uma garota fofa, meiga e bonita que, devido a isso, começou a atrair a atenção dos garotos no ginasial. O que fez com que as outras garotas ficassem com ciúme e inveja dela, portanto a garota não tinha nenhuma amiga. No entanto, Futaba não era nada disso e muito ao contrário do que pensavam dela, ela odiava todos os garotos e não queria chamar nenhuma atenção para si. O único garoto que ela gostava era Kou Tanaka, ela o achava diferente dos outros meninos e por isso acabou se apaixonando por ele. Kou tem um ar inocente e sincero, tímido e gentil e parecia gostar de Futaba também. Mas por um mal entendido, Kou afastou-se dela e em seguida tem que mudar de cidade de uma hora pra outra.

Três anos depois, Futaba (que nunca esqueceu de seu antigo amor) está no colegial e se tornou outra pessoa. Ela é indelicada e grossa com os garotos, se veste e age de forma desleixada, não usa maquiagem, come muito, esconde as formas sob roupas mais largas e não tem modos. Sua personalidade se torna mais marcante. Assim, ela consegue garantir que os garotos fiquem longe e consegue fazer novas amigas (será?). Mas é claro que tudo isso é uma farsa, no fundo ela queria ser como sempre foi. Tudo parecia ir bem, e ela estava até relativamente feliz com sua vida, até reencontrar Kou, que voltou para estudar na mesma escola e que agora usa o nome Kou Mabuchi. Ele está diferente, mais sério e fechado. Com isso o mundo de Futaba muda completamente…

Ao Haru Ride

Acho que todo mundo que já leu alguma review minha, sabe que eu não gosto de histórias de romance. Eu até leio bastante shoujo, mas procuro aqueles que foquem em outras coisas e o primeiro ponto negativo de Ao Haru Ride é justamente esse, o romance é chato, pesado, nada é alegre e divertido, pelo contrário, a Futaba vive sofrendo pelo Kou, ela arruma outro namorado e mesmo assim continua sofrendo pelo Kou, que muitas vezes não é legal com a protagonista, ele tem um trauma, não consegue superar o passado e sua personalidade é um tanto quanto depressiva e fria, o que não justifica o jeito que ele trata a Futaba em algumas ocasiões. Uma das coisas que mais me irrita em shoujos é justamente esse clichê da protagonista sofrendo de amor por um cara que a menospreza e de repente os dois se amam e acaba tudo bem, ninguém se lembra da personalidade horrível que o cara tinha no começo.

É claro que o mangá não é de todo ruim, acho interessante tratar desse assunto de personalidade e Aoharaido passa a mensagem de ser sempre quem você é, sem se importar com o que os outros vão achar. Que se você precisa mudar pra ser aceito em algum lugar, significa que aquele não é um bom lugar para você. Outra coisa que eu gostei, são os personagens secundários, principalmente o Tanaka-sensei, que é irmão de Kou (mas com uma personalidade completamente diferente) ele também tem sua trama contada dentro da série e é bem interessante. Os secundários até que são bem desenvolvidos (comparados com outras obras), cada um com sua personalidade e história, trabalhados dentro da trama principal.

Ao Haru Ride

Agora o que não dá pra negar, é que o melhor em Ao Haru Ride, é o visual. Os desenhos são super delicados e extremamente bonitos, os traços da autora são de um estilo único é extremamente agradável, difícil não se encantar com toda a composição visual do mangá. Personagens bem desenhados e um cenário belíssimo compõem a obra. Por sinal, o mangá ganhou uma adaptação em anime que também tem um visual muito bonito.

Se você é uma pessoa que adora um drama romântico e ama clichês, esse mangá vai te conquistar e eu recomendo que você leia, caso contrário, eu não recomendo Aoharaido. Ele tem pontos positivos!? Tem! Mas a meu ver, não superam os negativos. De qualquer forma, cabe a você querido leitor, tirar suas próprias conclusões sobre a obra. E se quiser me contar aí em baixo, sua opinião é sempre bem vinda!

 

ANÚNCIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

+ Lidas da Semana

11 séries de época para se apaixonar

Todo mundo tem uma preferência de narrativa quando procura uma série para ver. Existem séries para os amantes de ficção científica, séries de fantasia, policial,...

Star Trek terá um grande e massivo crossover em quadrinhos

A editora norte-americana IDW, detentora dos direitos de publicação de Jornada nas Estrelas, editará uma minissérie de seis números com o universo de Star Trek.Escrita...

Crítica | The Man in the High Castle (3ª Temporada)

A terceira temporada de The Man in the High Castle vem grandiosa, com mais tramas envolventes e mais destruição.Depois da morte de Hitler, outro...

SDCC 2018 | DC Comics anuncia quatro novas animações para 2019

A DC Comics, entre os diversos anúncios da San Diego Comic-Con, revela quatro novas animações para o ano que vem. Após anunciar os filmes...

Dark Horse apresenta o fim de ‘Polar’ que ganhará adaptação da Netflix em 2019

A editora Dark Horse anunciou que o último capítulo de Polar sai ano que vem. O quarto volume da obra de Victor Santos, subtitulado The Kaiser Falls....

Mais Notícias

Você não está conectado à internet