Planeta Comenta Marvel no Multiverso: X-Men Origens – Emma Frost

Veja o comentário do Planeta sobre X-Men Origens – Emma Frost com roteiro de Valerie D’Orazio e desenhos de Karl Moline.

x-men-origins-emma-frost-1

Emma era filha de uma família muito rica e influente, mas desde pequena sofreu abusos e maus tratos de seu pai, tanto em sentido físico, mas principalmente em sentido emocional. Uma menina que não era bonita em comparação com sua irmã mais velha, ou as outras garotas da escola, ela continuou com seu sofrimento por muito tempo, tanto em casa quanto na escola. Até que dia, quando ela finalmente poderia mostrar um pouco de seus talentos intelectuais ao fazer uma apresentação perante os alunos, ela é humilhada e seus poderes telepáticos se manifestam com força total.

Naturalmente, esse poder não passaria despercebido por Charles Xavier, que vai até a mansão Frost para pedir ao pai que autorizar a filha a receber o treinamento apropriado. Nessa hora, algo muda na vida de Emma, e ela se recusa a ir à escola de Xavier. Com isso, ela decide ser uma “nova” pessoa. Mesmo assim, nem tudo deu certo de início, e ela acabou indo trabalhar no Clube do Inferno como dançarina stripper. Porém, Sebastian Shaw sabe do potencial mutante da jovem e a convence a se tornar a Rainha Branca do Clube do Inferno.

Outra boa história que explora bem o lado psicológico da vilã que se tornou membro importante dos X-Men. Nas palavras da própria Emma Frost: “Essa é a história de uma mulher que se perdeu, mas se encontrou”. Outro ponto interessante é que, na época do Clube do Inferno. Emma também foi tutora de alguns jovens mutantes renegados. Ensinar outros fazia parte da essência dela, que a fazia sentir-se importante, ajudando-a a lidar com a insegurança.

Por Roger

 

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet