Planeta Comenta DC no Multiverso: Convergência – Sociedade da Justiça da América (Editora Panini)

Veja a análise do Planeta sobre Convergência – Sociedade da Justiça da América, lançado pela Panini.

cv_sociedade_da_justica_america_capa-600x917

Sinopse:

Um ano dentro do domo fez com que os heróis veteranos da Sociedade da Justiça sucumbissem à sua verdadeira idade. Agora, diante do desafio de Telos, o envelhecido grupo precisa vestir o uniforme para salvar sua cidade… uma última vez. E ainda, acompanhe a Corporação Infinito no mundo futurista de Hex, e a Caçadora tendo que enfrentar um dos seres mais poderosos do Multiverso: o Superman soviético.

(Convergence: Detective Comics 1-2; Convergence: Infinity Inc 1-2; Convergence: Justice Society of America 1-2))

Análise:

Sociedade da Justiça da América por Dan Abnett.

Quando o domo caiu na Metrópolis da Terra-2, os heróis da SJA, sem seus poderes, começaram a sentir os efeitos da velhice. Nomes como reumatismo, artrite e pressão alta se tornaram parte do vocabulário desses ex-bravos justiceiros. Kent Nelson entrou em coma sempre sendo visitado por Jay Garrick. Carter Hal cultivando sua horta particular e Alan Scott comandando a rádio local. A queda do domo reserva um último desafio para os heróis rejuvenescidos da SJA – defender sua cidade contra um robô gigante de Qward. Uma belíssima homenagem a esses veteranos heróis com muitas referências à Era de Prata, quando os heróis eram simplesmente… heróis. Leitura altamente recomendada para quem gosta do grupo e de histórias de super-heróis simples e diretas.

Corporação Infinito por Jerry Ordway.

A Corporação Infinito permaneceu na mesma cidade de Metrópolis da Terra-2 que a SJA. Quando o domo cai, precisam enfrentar a versão futura de Jonah Hex e os Cães de Guerra. Jerry Ordway é um dos criadores da Corporação Infinito e conhece muito bem o grupo. Ele trabalha bem o ano em que os membros da equipe ficaram presos no domo e sem seus poderes, onde cada um tenta lidar com a situação da melhor forma possível. É interessante que a juventude e inexperiência da equipe fica evidente no começo da batalha, quando começam a sentir os efeitos de terem ficado um ano sem se preparar para uma possível luta. O legado, algo corrente no universo DC, também foi desenvolvido muito bem quando a SJA passam o bastão para a Corporação Infinito. Quando li essa história da primeira vez, achei apenas ok, mas agora, consegui descobrir mais aspectos que tornaram a leitura bem mais agradável. Recomendo a leitura.

Detective Comics por Len Wein

Na Metrópolis da Terra-2, Helena Wayne, a Caçadora e Dick Grayson, o Robin ficam presos no domo quando são chamados pela SJA. Em Moscou da Terra-30, o Superman, da versão da minissérie Entre a Foice e o Martelo, é surpreendido pelo repentino aparecimento do domo. Cada um lida com essa situação de maneiras bem diferentes durante um ano. Robin, sempre indeciso ao assumir o manto ou não do Batman, já morto e a impulsiva Caçadora combatendo os poucos crimes que ainda assolam a cidade, enquanto que o Superman prefere contar mentiras ao povo para não perder sua posição e confiança perante a população. Até aí, a história decorre bem, mas, quando o domo cai e seus campeões são escolhidos, os problemas aparecem. Motivações e reviravoltas sem motivos aparentes quebram em muito uma narrativa fluente. A equipe de criação é de respeito – Len Wein, Denys Cowan e Bill Sienkiewicz, todos veteranos e com valiosas contribuições – mas, o resultado é bem abaixo do esperado. A releitura não ajudou a mudar minha opinião anterior. Não recomendado.

Por Roger

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet