Planeta Comenta DC no Multiverso: Convergência – As Aventuras do Superman e a Legião dos Super-Heróis (Editora Panini)

Veja a análise do Planeta sobre Convergência – As Aventuras do Superman e a Legião dos Super-Heróis, lançado pela Panini.

cv_superman_legiao_capa-600x917

Sinopse:

Superman e Supergirl adentram a terrível Zona Fantasma em busca de uma maneira de escapar do domo. Enquanto isso, Kamandi encara uma invasão de macacos inteligentes em Nova York! No distante século 30, a Legião dos Super-Heróis conhece os belicosos Cavaleiros Atômicos!

(Convergence: Superboy and the Legion of Super-Heroes 1-2; Convergence: The Adventures of Superman 1-2)

Análise:

As Aventuras do Superman por Marv Wolfman.

Superman e Supergirl da era Pré-Crise nas Infinitas Terras estão em Gotham, e com a ajuda de Lucius Fox tentam descobrir maneiras de derrubar o domo. Dessa vez, constroem um mecanismo que os transporta até a Zona Fantasma. Lá, com seus poderes de volta, enfrentam os kryptonianos que foram banidos. Porém, uma ruptura na Zona Fantasma, faz com que Kara veja seu destino fatal nas mãos do Antimonitor, e como o universo pode ser salvo durante a Crise. Isso faz com que todas as suas ações futuras girem em torno de manter seu primo a salvo, mesmo quando precisam enfrentar o exército gorila do General Symian na Nova York dos dias de Kamandi. Wolfman conhece muito bem o universo DC e se faz valer do mega evento que ele mesmo criou ao lado de George Pérez para dar vida a uma emocionante história de sacrifício e verdadeiro heroísmo por parte da Supergirl. Para os saudosistas, uma leitura indispensável.

Superboy e a Legião dos Super-Heróis por Stuart Moore.

Superboy e a Legião estão em Metrópolis quando o domo cai e eles devem enfrentar os Cavaleiros Atômicos. O interessante nessa história é justamente o contraste entre o líder dos Cavaleiros Atômicos disposto a tudo para preservar a vida dos poucos habitantes de sua pequena cidade, com a insegurança e fraqueza do Superboy, relutante até mesmo em liderar os jovens legionários. Porém, no final, Superboy mostra um amadurecimento nobre e digno de um verdadeiro Homem de Aço. Essa transformação foi repentina, o que pode ser explicado pelo fato de serem apenas duas edições, mas acredito que se fosse uma minissérie de seis edições os personagens seriam melhores desenvolvidos. De qualquer forma, vale a pena a leitura.

Por Roger

ANÚNCIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

+ Lidas da Semana

11 séries de época para se apaixonar

Todo mundo tem uma preferência de narrativa quando procura uma série para ver. Existem séries para os amantes de ficção científica, séries de fantasia, policial,...

Review | Dr. Stone, de Riichiro Inagaki e Boichi

Partindo de uma premissa de ficção pura, logo nas primeiras páginas o próximo lançamento da Panini, Dr. Stone, nos entrega uma tragédia de proporções...

Caçador (Manhunter I)

Nos anos 1940, surgiu vários títulos que apresentavam super-heróis, como também vigilantes, heróis que sem poderes enfrentava o submundo do crime. Entre as diversas...

Crítica | The Man in the High Castle (3ª Temporada)

A terceira temporada de The Man in the High Castle vem grandiosa, com mais tramas envolventes e mais destruição.Depois da morte de Hitler, outro...

SDCC 2018 | DC Comics anuncia quatro novas animações para 2019

A DC Comics, entre os diversos anúncios da San Diego Comic-Con, revela quatro novas animações para o ano que vem. Após anunciar os filmes...

Mais Notícias

Você não está conectado à internet