Review | O Mundo de Aisha – A Revolução silenciosa das mulheres do Iêmen de Ugo Bertotti

Escravizadas, punidas, violentadas  por serem mulheres, que desejam apenas um pouco de dignidade.


O MUNDO DE AISHA - MULTIVERSO NEWS[dropcap size=big]O[/dropcap] Niqab (O véu negro que esconde as mulheres do machismo e da violência dos homens), não só é tratado como um manto guardador para elas, mas também como  uma prevenção contra os desejos masculinos. As mulheres circulam as ruas como espíritos inquietos e amedrontados. Ugo Bertotti nos traz nessa bela edição pequenas histórias, baseado nas entrevistas da fotojornalista Agnes Montanari,   que foi até o Iêmen para viver e ver como vivem as mulheres de lá. O Mundo de Aisha aqui no Brasil foi publicado pela editora Nemo. Acompanhamos relatos e pequenas vitórias, demonstrações arriscada de coragem. Mesmo que lentamente, elas batem de frente com uma cultura totalmente machista e exploradora em busca de um pouco de dignidade.

Cada mulher com uma história de vida mais comovente que outra, superação, emoção, esperança, ímpeto e vontade de viver, preenche as páginas da HQ com um mix de admiração e ódio. Mais uma vez podemos mesmo que distante sentir o pesar dessas vidas que superam todos os dias uma cultura que pouco si importa com a igualdade dos gêneros. Uma obra que vale a pena ler, ter e manter em sua prateleira por bons longos anos.


A cada dia pensamos que estamos evoluindo como ser humano e que estamos prestes a igualdade. Porém essa edição nos prova totalmente ao contrário. Ainda somos animais, presos a uma honra sem sentido e uma moral mais do que questionável. A edição me deixou bastante intrigado. São pequenas histórias que mostram uma carga de sofrimento digno realmente de um livro ou filme. O MUNDO DE AISHA - MULTIVERSO NEWSMulheres são tratadas como um nada. Idosos que se casam com meninas de 12 e 13 anos. São violentadas por seus maridos, verbal, física e sexualmente. Mulheres que perderam ou nunca tiveram o direito de caminhar livremente sem seu Niqab, violentadas, humilhadas e ensinadas a serem assim. adolescência perdida, servidão ao homem acima de tudo. Submissão é a palavra.

Atenção para o Spoiler!!! Uma das cenas que mais me deixou pasmo, mostra uma das mulheres que gostava e sentia falta de sentir o vento no rosto sem seu véu. Ao colocar o rosto pela janela de casa algumas vezes, foi alertada pelo marido de que aquilo era uma desonra, e se voltasse a repetir sofreria consequências. Mesmo sabendo do risco, se arriscou mais uma vez, e foi dedurada ao marido por um dos vizinhos que a viu sem o véu. Ao chegar em casa o marido  se sentiu humilhado por tal ato e com um tiro, deixou a coitada paraplégica, pela mais pura, bruta e selvagem ignorância.

Porém, o bom é ver que mesmo que lento a revolução está acontecendo e esse tipo de abuso tende a ser futuramente apenas uma mancha na história da humanidade. Leia também nosso review da edição Persépolis que nos mostra também um pouco desse choque cultural.

O MUNDO DE AISHA - MULTIVERSO NEWS

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet