Review | Cidadão N de Danyael Lopes

Já com epígrafe de destaque, Vinicius de Moraes é um ótimo sinal de que a obra CIDADÃO N de fato é de qualidade. Danyael Lopes nos proporciona essa brilhante HQ, distribuída pela Editora Veneta, que além de nos estimular a reflexão sobre nossas escolhas, nos mostra em uma rede de metáforas e referências, que pra qualquer ideia que possa parecer inviável, podemos sempre pensar em  “N possibilidades”. 

Mergulhado em um mundo de pura imaginação e sentimentos. O leitor acompanha a trajetória de uma ideia (isso mesmo, a personificação da ideia). Quando descartada a ideia viaja de volta de onde veio e espera para ser ressintonizada e talvez usada pelo seu criador. Metaforicamente conhecemos o mal genuíno, onde roubar ideias é seu objetivo, o que o atrai não é somente a ideia em sí, mas seus conceitos originais, pouco aproveitado pelo seu provedor.  

Cidadão N é o sujeito responsável não apenas por apresentar sempre as variadas possibilidades, mas também impedir que as pessoas tenham em seus dias a desesperança e morte de boas ideias. Atrás da chave que abre o portal para novas ideias, N vai contra vilões e situações que o impedem de finalmente abrir o portal da imaginação, pra que tudo volte como era antes. N procura os magos, pois somente através deles é possível se abrir o portal e se conectar com o mundo imaginário. apresentando também o conceito interessante sobre Doppelgãnger (A capacidade de desdobrar a consciência e ter outro corpo em outro lugar diferente).

Mesmo impelido de conseguir abrir novamente o portal da imaginação, N se vê obrigado a estabelecer alianças com personagens hostis, icônicos e com nomes literais. Uma obra cheia de referências filosóficas e presentes na literatura mundial.

CIDADÃO N


Confesso que essa obra veio bem a calhar no momento em que estou. Pra quem é leitor de tudo, sabe que tem horas que mudamos o foco e nos interessamos por assuntos variados, gêneros novos onde tudo parece chamar a atenção. Pra quem estava assistindo palestra do Cortella e lendo sobre hábitos e o poder da percepção, Cidadão N veio para agregar ainda mais reflexões.

Primeiro ponto positivo, Danyael nos traz ótimas referências do mundo dos quadrinhos como Jack kirby, Alan Moore e Superman (impossível não reconhecê-los). Suas referências sobre literatura são plausíveis, de Romero Brito a conceitos quânticos de Schrödinger. Uma pesquisa bem embasada que claramente nos mostra as qualidades aparentes do autor, que bebe da fonte de grandes autores, com suas linhas temporais e claras homenagens. 

Segundo ponto positivo, o modo como é tratado a ideia, a esperança, a possibilidade e a “Lady Murphy”, são geniais. O ser humano é movido 24h por ideias, como isso acarreta nossa vida diretamente, seja no amor, na invenção de novos produtos, arte, ideias inovadoras, ideias para o entretenimento, ou até mesmo o nascimento de nossas mitologias e religiões que podem ser questionadas o quanto for, mas tudo um dia começou com uma ideia.

O primeiro arco começa de forma simples e inocente e vai tomando proporções bem diferentes e profundas. A reflexão usada na segunda parte é o grande diferencial, o poder não só de ideias boas, mas os efeitos das ideias ruins na história da humanidade, a morte da inocência e o roubo das possibilidades. Só lendo pra entender o peso dessa obra. 

Devido destaque também, não só para o contexto principal da obra, mas também os SKETCHES, CURIOSIDADES E IDEIAS DESCARTADAS que estão no fim da edição com certeza é um diferencial de arrepiar os cabelos da nuca. 

Antes de concluir esse review, gostaria de agradecer a EDITORA VENETA que confiou no trabalho do MULTIVERSO NEWS. Com isso colheremos juntos o fruto dessa bela parceria e traremos sempre novas e ótimas indicações.  Em breve teremos mais produtos da Veneta, aproveite e comente aqui: Qual edição da EDITORA VENETA gostaria de saber um pouco mais?

Curta, comente e compartilhe. Não saia desse Multiverso.

CIDADÃO N

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here