Planeta Comenta Marvel no Multiverso: Demolidor por Frank Miller & Klaus Janson Vol.1 (Editora Panini)

Veja a análise do Planeta sobre Demolidor por Frank Miller & Klaus Janson Vol.1, que reúne as edições #158-172, com exceção da edição #162, lançado pela Editora Panini.

dem1

Sinopse:

Demolidor, o Homem Sem Medo, já era um dos principais super-heróis da Marvel quando o escritor e desenhista Frank Miller e o ilustrador Klaus Janson se juntaram para redefinir o personagem para uma nova geração, reinventando Matt Murdock como um justiceiro sombrio. O impacto do trabalho levou Miller a criar outras obras queridas pelos leitores (Batman: O Cavaleiro das Trevas, Sin City e 300) e ditou muito da atmosfera com a qual as Hqs seriam preenchidas nas décadas seguintes. Nesta edição especial, somos brindados com a fase inicial do personagem segundo a concepção de Miller, apresentando também alguns dos mais importantes vilões enfrentados pelo Demolidor, como o Rei do Crime e o Mercenário, além, claro, da participação de Elektra.

Comentários:

Demolidor #159 por Roger McKenzie e desenhos de Frank Miller.

Um misterioso homem simplesmente chamado de Poindexter contrata os serviços do gângster aposentado Eric Slaughter para matar o Demolidor, oferecendo uma grande recompensa. Ao sair do tribunal depois de um caso ainda não encerrado, Matt Murdock e Foggy Nelson são atacados por alguns capangas de Slaughter. Eles acreditam que Murdock conhece o Demolidor e pede para ele se dirigir a um dos cais em Manhattan. É claro que o Herói Sem Medo sabe se tratar de uma armadilha e parte preparado para tudo.
Ao chegar ao cais enfrenta e vence facilmente os capangas de Slaughter, e fica sem saber exatamente do que se trata todo esse ataque. No final ficamos sabendo que tudo – desde o suposto contrato milionário com Slaughter até a luta do Demolidor com os criminosos – é um plano elaborado por Poindexter que é ninguém menos do que o Mercenário. Ele fotografou todos os movimentos do Demolidor e se prepara para um ataque final.
A história prepara o terreno para a próxima, com os planos do Mercenário sendo parcialmente revelados. Além disso, vemos o repórter Ben Urich numa rápida aparição que terá um desdobramento importantíssimo em breve. Os desenhos de Miller que são um ponto positivo à parte – bem detalhistas e que chamam muito a atenção principalmente nas cenas de ação. Ele também trabalha muito bem o sentido de radar do herói dando novas dimensões de como o Demolidor se comporta no meio em se encontra.

Demolidor #160 por Riger McKenzie e desenhos de Frank Miller.

A Viúva Negra retorna à Manhattan, mas é surpreendida pelo Mercenário, que a vence num confronto brutal. Matt está tendo problemas para resolver sua vida pessoal e emocional com Heather Glenn e resolve visitar sua velha amiga e companheira Natasha. Ao chegar em seu apartamento, descobre que ela foi levada pelo Mercenário e parte numa busca implacável pelo submundo da Cozinha do Inferno em busca de informações.O Mercenário mostra porque é um adversário perigoso, principalmente quando usa qualquer objeto em suas mãos como uma arma mortífera. Sua luta contra a Viúva Negra foi rápida mas violenta.

Roger McKenzie mostra Matt em seu dilema de ser o Demolidor e os sacrifícios que tem de fazer em sua vida pessoal. Também vemos Ben Urich dar mais pistas sobre o caso em que ele está trabalhando e que envolve o Demolidor. Outro ponto interessante foi a luta, na verdade um massacre, no bar da Josie, destruindo totalmente o lugar, inclusive quebrando sua janela, que seria marca registrada nas histórias dessa fase. O Demolidor está pronto para o
confronto contra o Mercenário e está próximo de encontrá-lo!

Demolidor #161 por Roger McKenzie e desenhos de Frank Miller.

Demolidor éa traído a um parque de diversões em Manhattan, na tentativa de salvar a Viúva Negra. Lá, ele é pego numa armadilha do Mercenário e enfrenta a gangue do Slaughter, mas seu radar e seus sentidos aguçados percebem a tramoia, e o Homem sem Medo vai embora. Ben Urich continua suas investigações sobre o Demolidor, que levam o repórter até a antiga academia e boxe de Jack Murdock. Lá ele confirma a informação de que, quando era pequeno, o apelido de Matt Murdock era “Demolidor”, numa gozação dos meninos de sua rua. A Viúva Negra, mostrando que não é nenhuma dama indefesa, consegue se libertar e enfrenta os capangas contratados do Mercenário, e conta com a ajuda do Demolidor em boa hora. A luta entre o Demolidor e o Mercenário é uma das mais brutais já vistas, e no final, o vilão acaba sendo derrotado psicologicamente, revelando seu lado esquizofrênico e frágil.

McKenzie fecha o arco da batalha entre o Demolidor e o Mercenário, mas deixa em aberto a investigação de Urich sobre Murdock.

Demolidor #163 por Roger McKenzie e desenhos de Frank Miller.

O Hulk está à solta em Nova York, o que significa perigo para seus habitantes! Matt está numa festa promovida pelo promotor da cidade, quando seus sentidos captam a presença do gigante esmeralda nas redondezas. Ele vai como Demolidor para encontrar o Hulk e tentar acalmá-lo, o que dá certo. Hulk volta a seu estado como Bruce Banner e é levado até a casa de Murdock para receber ajuda. Banner vai embora para tentar isolar-se num lugar calmo, mas calmaria nos metrôs de Nova York é algo que ele jamais encontraria. Bruce perde o controle e se transforma novamente no Hulk. Mais uma vez, o Demolidor vai em seu encalço para tentar acalmá-lo mas não dá certo, e os dois se enfrentam numa luta violenta. Naturalmente o Demolidor não tem a mínima chance de enfrentar o Hulk e por pouco não morre, quando o Golias verde, num suspiro de consciência, vai embora do local. Durante a batalha, Heather grita o nome de Matt estando bem próxima de Urich, e este não tem mais dúvidas sobre a identidade do Demolidor.

McKenzie consegue trabalhar toda a angústia de Banner sabendo que, como Hulk, ele é uma máquina de destruição em massa descontrolada. Outro ponto positivo foi mostrar de modo bem realístico como seria um confronto corpo a corpo entre o Hulk e um herói sem super poderes, contando apenas com suas habilidades físicas. A edição seguinte promete a grande revelação!

Demolidor #164 por Roger McKenzie e desenhos de Frank Miller.

Demolidor está internado no hospital depois de levar uma surra do Hulk. Ben Urich entra em seu quarto com a grande descoberta de sua identidade secreta. Ë a hora da verdade para Matt Murdock. De um garoto que sofria constantes abusos de seus colegas de rua, seu pai, um boxeador decadente que preferiu perder a vida do que perder a dignidade e o respeito de seu filho, e o menino Matt que perdeu sua visão para salvar a vida de outro, mas acabou ganhando dons especiais, além de ampliar seus outros sentidos. Ben Urich é um repórter e tem uma responsabilidade para com a verdade. Mas ele também sabe as consequências que virão tanto para o Demolidor quanto para as pessoas que ele protege, se sua história for publicada. A decisão, conforme Urich mesmo falou, é a mais difícil de sua vida, mas ele sabe o que deve ser feito.

Uma história de perdas, conquistas, vingança e amizade.

Demolidor #165 por Roger McKenzie e desenhos de Frank Miller.

Heather Glenn está sendo enganada pelos outros acionistas de sua própria empresa. O Demolidor descobre que as Indústrias Glenn estão envolvidos com roubo de adamantium. Heather resolve investigar o que está acontecendo e é raptada pelo Dr. Octopus. Ele que desenvolver novos tentáculos com base em adamantium para torná-los praticamente invencíveis. Demolidor descobre onde eles estão e enfrenta o Dr. Octopus. Ele já havia sido derrotado pela primeira vez, mas estava mais preparado agora. A luta é violenta e arrasadora, mas o Demolidor termina vitorioso. Matt ainda é apaixonado por Heather, e isso faz com que a Viúva Negra deixe os dois em paz e vai embora de Nova York.

Frank Miller mostra aqui nessa luta brutal todo o seu talento para cenas de ação, um dos pontos fortes dessa história.

Demolidor #166 por Roger McKenzie e desenhos de Frank Miller.

Chegou o dia do casamento de Foggy Nelson e Matt Murdock precisa se apressar, pois é o padrinho de casamento de seu melhor amigo. Infelizmente, Foggy acha que esqueceu as alianças na loja e pede para seu primo e Matt irem buscar. Enquanto isso, no Museu de História Humana, Melvin Potter em mais um de seus vislumbres ilusórios, acaba nutrindo um amor platônico por sua assistente social Betsy Beatty e acaba criando momentos de tensão e violência no local. O Demolidor e o Gladiador se enfrentam numa luta brutal, revelando toda a perturbação mental de Melvin, que acaba sendo derrotado. Matt chega à tempo para a cerimônia, mas sem as alianças. Ainda bem que elas estão com o próprio Foggy!

Foi a última edição com Roger McKenzie nos roteiros e ele continuou a desenvolver seus plots principais com relação às vidas sociais de Matt e Foggy e aproveita para apresentar o Gladiador na trama, que terá maiores participações no futuro.

Demolidor #167 por Roger McKenzie e desenhos de Frank Miller.

Matt e Heather estão numa festa patrocinada por Edwin Cord. Presidente de uma corporação que desenvolve armamentos bélicos e está envolvido em muitos negócios ilícitos. A festa é interrompida pelo Esmagador que vai atrás de Cord mas é temporariamente impedido pelo Demolidor. Em suas investigações, Matt descobre que o Esmagador é Aron Sommes, ex-funcionário da empresa de Cord, e ao confrontá-lo novamente fica sabendo da triste história do velho funcionário. O que ele deseja não é vingança contra Cord, mas retribuir na mesma moeda tudo aquilo que lhe foi tirado – toda a sua vida profissional arquivada que foi acidentalmente apagada da existência. Sommes consegue seu intento, mas a um alto custo.

História isolada escrita por David Micheline, mas que apresenta aspectos interessantes como a trágica origem do Esmagador dentro de um contexto empresarial e corporativo, que Micheline sabe trabalhar bem.

Demolidor #168 por Frank Miller.

O Demolidor está atrás de um ladrão alemão internacionalmente procurado chamado Alarich Wallenquist que foi testemunha de um assassinato que pode livra um inocente cliente de Matt Murdock. Só que Elektra, a caçadora de recompensas também está à sua procura. A história então, passa por um flashback onde vemos todo o passado envolvendo a primeira vez em que Matt e Elektra se conheceram na faculdade, se apaixonaram, e devido a uma tragédia, acabaram se separando quando Elektra decide retonar à Europa. No final, Demolidor consegue levar Wallenquist à justiça depois de salvar a vida de Elektra, o mesmo ato que ela havia feito para ele no começo da história.

Apesar das boas histórias escritas por Roger McKenzie, fica claro nesta primeira edição onde Frank Miller assume completamente os roteiros, um aumento perceptível na qualidade da história e ainda assim, continuando de onde as histórias do Demolidor vinham seguindo. E também somos apresentado à uma nova personagem no universo Marvel até então – Elektra – que teria um papel importantíssimo na mitologia do Homem Sem Medo. Uma edição histórica.

Demolidor #169 por Frank Miller.

Mercenário foge do hospital onde estava internado. Devido a um tumor no cérebro, ele tem dores de cabeça quase insuportáveis e alucinações, onde ele enxerga todas as pessoas ao seu redor como se fossem “demolidores”. Ele precisa de cirurgia urgente ou pode morrer. Assim que foge, ele mata três
transeuntes. Em seguida, mata um alfaiate que confeccionou seu uniforme. Daí vai a um cinema próximo e chacina as pessoas lá dentro, até que é encontrado pelo Demolidor, que é temporariamente derrotado. Finalmente eles se enfrentam num metrô numa das lutas mais violentas já travadas pelos dois, e quando está prestes a ser morto por um trem, é salvo pelo Demolidor. Depois passa por uma cirurgia bem sucedida.

Uma história recheada de ação e violência. É impressionante o modo frio como o Mercenário vai matando as pessoas uma a uma durante suas alucinações, além dos confrontos realistas com o Demolidor. Miller também fez um ótimo trabalho ao mostrar até que ponto pode chegar a sensibilidade da audição de Matt quando ele sobe em cima de um prédio bem alto para encontrar um refém do Mercenário, uma cena sensacional, em mais uma excelente história.

Demolidor #170 por Frank Miller.

Wilson Fisk deixou sua vida de Rei do Crime e agora mora no Japão, com sua amada esposa Vanessa. Ele está redimido. Tem uma lista com os nomes de todas as pessoas que já trabalharam para ele, que aceitaram suborno e todas as outras coisas sujas de sua época comandando o crime na zona leste. É claro que os atuais chefões ficaram sabendo disso. No dia em que o Mercenário é solto da prisão, pois ele foi inocentado de seus crimes anteriores alegando um tumor cerebral que o deixava mentalmente instável temporariamente, é contratado por dez milhões de dólares para executar o Rei. O plano é fazer com que Fisk retorne à Nova York para resgatar Vanessa. Ela foi sequestrada quando veio à NY para contratar os serviços dos advogados Nelson & Murdock para lidar com as questões legais sobre o caso. Demolidor se sente responsável pelo Mercenário, pois o deixou viver quando teve a chance de deixá-lo morrer. Os dois se enfrentam, mas o Demolidor leva a pior e cai inconsciente na caçamba de um caminhão. Wilson Fisk finalmente chega à Nova York com sede de vingança pelos que os chefões do crime fizeram com Vanessa.

A cada edição Frank Miller vai introduzindo personagens importantes que irão se convergir futuramente num clímax – Elektra, Mercenário e agora o Rei do Crime. Miller conduz com maestria a trama e uma guerra de quadrilhas sangrenta paira no ar para as próximas edições.

Demolidor #171 por Frank Miller.

Matt bola um plano para se infiltrar no esconderijo do Rei a fim de conseguir os arquivos que ele guarda. Para isso, ele se faz passar por um capanga treinado por Slaughter e começa uma confusão do bar da Josie. Depois de ser “aceito” na quadrilha do Rei, Matt tenta conseguir os arquivos que estão guardados num pesado cofre. Infelizmente, Fisk, que já desconfiava de seu mais “novo contratado” confronta com o Demolidor que é facilmente derrotado. Os chefões do submundo resolvem fazer uma troca simples – Vanessa pelos arquivos que estão em posse do Rei. Fisk aceita a troca, pois o que ele simplesmente quer é reaver sua esposa novamente e voltar ao Japão. Mas, Seu braço direito, Lynch, tem outros planos – ele deseja que o Rei volte a comandar tudo e reviver seus dias de glória. Ao realizar a troca, o Rei é pego numa armadilha onde Vanessa aparentemente foi morta, parecendo ser culpa dos chefões do submundo. Fisk foge com Lynch jurando vingança, enquanto que o Demolidor é jogado inconsciente dentro de um encanamento de drenagem.

Finalmente o primeiro encontro face a face entre Demolidor e o Rei do Crime, um momento histórico, já que, a partir daí, os dois se tornariam ferrenhos rivais. E o Rei do Crime deve partir com brutalidade máxima em sua busca por vingança.

Demolidor #172 por Frank Miller.

Escondido numa espécie de fortaleza subterrânea, Fisk começa a colocar em prática seus planos para atacar as quadrilhas rivais, ao mesmo tempo em que o Mercenário, a mando dos chefões, começa sua busca para descobrir o esconderijo do Rei. Fisk engana o Mercenário preparando um esconderijo falso e isso faz com que ele descubra onde estão os atuais chefões. Percebendo que escolheu o lado errado da guerra, Mercenário troca de lado e passa trabalhar para Fisk. O Rei descobre que foi Lynch quem preparou a armadilha que “matou” Vanessa como uma forma de fazer com que Wilson Fisk retomasse suas atividades criminosas. Naturalmente, Lynch é morto pelo seu chefe. Demolidor derrota o Mercenário e conquista um certo “respeito” de Fisk que lhe entrega os arquivos para serem levados às autoridades. De certa forma, isso serviria para prender vários dos rivais do Rei, portanto um benefício mútuo.

Frank Miller dá um show de narrativa e trama com reviravoltas, traições, ação, um roteiro policial de primeira, e ainda uma surpresa no final, onde mostra que Vanessa ainda está viva.

Por Roger

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet