Review | Demolidor #3 (Panini)

Review do encadernado Demolidor #3, escrito por Mark Waid e desenhos de Chris Samnee, lançado em janeiro de 2014, pela Editora Panini, 148 páginas, R$ 18,90, formato americano. Originalmente em Daredevil #12-18.

Sinopse:

O clima começa a esquentar entre Matt e a nova assistente de promotoria, Kirsten McDuffie, mas a busca das organizações do Megacrime pelo Disco Ômega coloca em perigo todas as pessoas próximas ao Demolidor. Entrando na caça ao Omegadrive, as forças latverianas abduzem o Homem Sem Medo e o submetem a um experimento que lhe causa alucinações e pode acabar com a frágil sanidade do herói. E ainda: o triste fim da sociedade entre Matt e Foggy.

Comentário edição a edição:

Daredevil #12: Matt e a assistente Kirsten McDuffie tem um belo passeio pelo parque de diversões, onde ele revela um acontecimento durante a universidade que marcou a amizade entre Nelson e Murdock. A amizade entre Matt e Foggy é uma das mais sólidas do universo Marvel, e nesse passado revisitado, é fácil entender o motivo.

Daredevil #13: A verdade é que enquanto estiver em posse do Omegadrive, o Demolidor sempre será alvo das cinco organizações criminosas interessadas no disco rígido. Uma batalha no centro da cidade entre o Demolidor e quatro das organizações – IMA, Hidra, Agência Bizantina e o Império Secreto, além de um plano inusitado, colocam um aparente fim no caso do Omegadrive.

Daredevil #14: As consequências de se livrar do Omegadrive levaram o Demolidor a ser seqüestrado e levado até a Latvéria. Após ser submetido a um gás que elimina todos os seus sentidos gradativamente, o Demolidor empreende uma fuga desesperada da nação do Doutor Destino.

Daredevil #15: Privado de todos os seus sentidos, Matt é submetido à testes experimentais bizarros a fim de descobrirem o funcionamento de seu “sentido de radar”. A única chance de sobreviver à tortura é convocar a ajudar dos Vingadores. Mas conseguir escapar sem nenhum de seus sentidos pode ser algo impossível até mesmo para o Homem Sem Medo.

Daredevil #16: No laboratório de Stark, contando com a ajuda do Dr. Estranho, Hank Pym destrói os nanorobôs implantados no cérebro de Matt privando-o de seus sentidos. Uma experiência que afetará ambos. De volta a seu escritório, Matt tem uma forte discussão com Foggy que o acusa de ainda estar mentalmente perturbado e, enquanto ele não buscar ajuda de verdade, sua sociedade está rompida.

Daredevil #17: Tentando entender quem pode ter violado o túmulo de seu pai e colocado seus restos dentro de uma gaveta em seu escritório, Matt relembra de um acontecimento no passado que mostra a força da amizade que sempre uniu Matt e Foggy. Isso reforçou a determinação do Demolidor em descobrir quem está tentando quebrar essa amizade.

Daredevil #18: Foggy resolve aceitar um caso envolvendo a jovem Adele Santiago, acusada da morte do chefe do narcotráfico Victor Hierra. Quando chega em seu apartamento, Matt se depara com Milla, sua ex-esposa que deveria estar internada em um hospício. Ao implorar à Foggy um último favor para que vá até o hospital onde Milla deveria estar, o ex-sócio de Matt, ao descobrir que o quadro clínico de Milla não mudou, apenas reforçou sua convicção de que seu amigo Matt precisa de ajuda médica.

Análise final:

Basicamente esse volume traz o encerramento da trama envolvendo o Omegadrive e o início de outra que deve testar a sanidade do Homem Sem Medo e sua forte amizade com Foggy Nelson. A conclusão da história do disco de dados contendo informações sobre as grandes organizações criminosas teve um desfecho até que inesperado e coerente e suas consequências que levaram o Demolidor até a Latvéria testou os limites físicos do herói. Além disso, como costuma fazer em seus títulos mensais, o escritor Mark Waid trabalha muito o lado humano e social de seu herói e continua a fazer isso, mostrando alguns eventos passados, explorando a amizade entre Matt e Foggy. Leitura altamente recomendada.

Por Roger

REVER GERAL
Demolidor
9,0
Colecionador de HQs Marvel desde 1981 quando comprei minha primeira HQ Heróis da TV Nº 21 pela Editora Abril e HQs DC desde 1984 quando a Abril lançou os três títulos: Super-Homem, Batman e Heróis em Ação. Durante a década de 90, por motivos pessoais, fiz uma pausa, mas retornei em 2000 lendo algumas histórias do universo Ultimate.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here