Review | Cheiro de Goiaba, de Gabriel García Márquez

O Amor também se aprende.

Gabriel García Márquez, saudoso escritor colombiano nos deixou em 17 de Abril de 2014. Com uma trajetória rica de conhecimento, ganhador do Premio Nobel de Literatura em 1982, Gabo como era mais conhecido pelos íntimos, foi responsável por criar o “realismo mágico” em suas histórias e tornar visível seu estilo latino que conquistou o mundo. Conheça um pouco mais sobre García Márquez em Cheiro de Goiaba, escrito em 1986 e distribuído em nova edição aqui no Brasil pela Editora Record em 2014.

Essa edição é um pouco mais descontraída do que as demais obras do autor, uma especie de mini-autobiografia. O jornalista Apuleyo Mendoza, amigo pessoal de Gabo e também escritor, resolveu em uma entrevista levantar algumas questões sobre sua vida, seu método de escrita e suas inúmeras histórias de família. Com isso conhecemos um escritor muito mais humano. Suas histórias politicas, suas influencias literárias, suas paixões, aventuras e muitas obras que nos aproxima mais ainda de García Márquez.


ALGUNS PONTOS PESSOAIS

CEM ANOS DE SOLIDÃO - GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ

Em 2017, mais precisamente em Setembro comecei a ler Cem Anos de Solidão, escrito por Gabriel (Clique aqui e leia nosso review). Já havia postergado demais essa leitura e comecei de forma despretensiosa, quando de repente me vi lendo incessantemente, a ponto de ao cair da noite, ficar ansioso para retomar a leitura no dia seguinte. Já havia lido alguns bons livros, escritores conceituados, porém ainda não tinha visto nada como aquele livro. Bastou o Cem Anos de Solidão para que Gabriel se tornasse um dos meus prediletos. Busquei mais livros, e li também Memória de Minhas Putas Tristes e confirmei o gosto pelo estilo de escrita dele (Clique aqui e leia nosso review), embora seja diferente, há traços muito característicos que só essa aura latino-americana pode proporcionar.

Aqui em Cheiro de Goiaba, confirmei minhas suspeitas sobre Gabriel, um homem simples, com gosto simples, que reconhece o poder da fama não como algo benéfico, mas como algo a ser controlado e perigoso. O Ego do ser humano após ser atingido pela fama é algo totalmente ameaçador, e pode influenciar diretamente em sua escrita.

Além das muitas frases impactantes de Gabriel, seu amigo Apuleyo o cutuca e o questiona sobre suas memorias em comum (ambos trabalharam juntos como jornalistas) para que Gabriel nos presentei com mais e mais memórias. Gabriel deixa claro suas influencias literárias, seus insights e suas paixões. Escritores como Kafka, Dostoievski, Tolstoi, Dickens, Flaubert, Balzac e mais. O que mais me alegrou foi saber que A METAMORFOSE de Franz Kafka, foi um gatilho para Gabo. Esse livro também mexeu muito comigo, e talvez esse tenha sido mais um ponto a favor de minha simpatia por Gabo.

Gabriel explica o nascimento de seu estilo e seu realismo mágico, a influência de sua família para desenvolver a escrita, sua infância, essa coisa das crenças e superstição guiou cada um de seus passos para desenvolver cada história. Em um dos trechos do livro ele afirma acreditar que o ser humano precisa acreditar ou em Deus ou em superstição, não da para ficar sem nenhum dos dois.

Por fim o que mais posso te passar que o já não tenho feito… Esse é um livro dedicado com certeza a quem é fã de Gabriel, e merece ser lido se você já conhece outras obras do autor, tanto para entender melhor as referencias como reviver pequenos trechos.

Criei uma meta literária de vida, que traz quatro autores que quero conhecer todas suas obras antes de morrer. São eles Franz Kafka, Jorge Amado, Sidney Sheldon e Gabriel García Márquez, espero ter tempo de vida suficiente para realizar esse feito, com certeza após atingir a meta, visitarei novamente Cheiro de Goiaba para entender pontos que ainda não identifiquei.

CHEIRO DE GOIABA - GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ - MUNDO HYPE
GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ

Seu interesse pelo romance começou na noite em que leu A METAMORFOSE, de KAFKA. Hoje se lembra como chegou à pobre pensão de estudantes onde morava, no centro da cidade, com aquele livro que um colega acabava de lhe emprestar… Gabriel fechou o livro, tremendo. “Merda“, pensou, “então se pode fazer isso” No dia seguinte escreveu o seu primeiro conto. E se esqueceu dos estudos.


Fique atento aqui no Mundo Hype e não perca nossas próximas indicações, pode aparecer novas edições de Gabriel García Márquez a qualquer momento.

Lembre-se Faça o que for, não saia daqui!!!

 

ANÚNCIO

2 COMENTÁRIOS

  1. Leonardo, gostei muito do post. Recomendo Amor nos Tempos do Cólera. É uma obra de arte. Já li duas vezes. A melhor estória de amor que já foi escrita. Cheia de sentimentos e sem nenhuma pieguice.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet