Review | Blitz, de David Trueba

A vida pode te surpreender de maneiras inimagináveis!

O livro de hoje nos foi enviado pela nossa grande parceira Editora Planeta Livros, através do selo TusQuets Editores. Dessa vez trouxemos aqui a participação inédita no Mundo Hype de David Trueba com seu livro Blitz.

A premissa do livro é bem simples, e o escritor trata de deixar bem claro já em sua sinopse. Trata-se de uma “tragicomédia”, mesmo o gênero não existindo ainda, essa é a melhor definição para a obra. Beto um paisagista espanhol está em uma grande conferência em Munique na Alemanha, em busca de nova aprovação para o seu projeto como paisagista. Ele não está sozinho, junto a ele está sua esposa Marta que o acompanha e o ajuda a organizar melhor as ideias. Tudo corria como um dia normal, até que uma mensagem chega em seu celular e vira a vida de Beto de cabeça para baixo.

Mesmo conturbado com toda essa nova situação, ele procura se manter o mais firme possível, fazer o que é mais coerente, porém, a dor e a tristeza são aliados difíceis de se dispensar. Uma breve aventura sentimental, de novas sensações, autoconhecimento, arrependimentos, novas perceptivas e resiliência.

Se muito for dito aqui estragará a surpresa do livro, então o melhor é se bastar em alguns pontos apenas.

O livro trata de uma forma muito direta sobre as dores de um fim de relacionamento, a revolta por conta de tudo que sua lembrança faz questão de vir a tona em uma momento de fragilidade. Mesmo que a mensagem principal trate muito de resiliência, quem nunca amargou suas dores no álcool, quem nunca provou de uma rebeldia contra a vida e sua cronologia e calendário, quem nunca arriscou viver só por viver esperando que tudo se resolvesse no último minuto?

Mesmo quando tudo se mostrou trágico, Beto teve uma nova chance e conheceu uma mulher chamada Helga, que além de ser mais velha que o próprio, o ajudou a organizar seus pensamentos e aos poucos domar seus demônios. Helga também já passou por desventuras tortuosas e nada melhor do que poder curar as feridas com aqueles que estão dispostos a ajudar de verdade.

Por mais que sua brevidade chame a atenção, David Trueba se destaca por sua formatação não convencional de narrativa lembrando muito o saudoso escritor José Saramago. Mesmo com essa característica diferenciada, a narrativa em primeira pessoa torna a leitura interessante e de um ritmo único. O escritor não faz questão de dividir em capítulos, contando assim ao longo de todo livro, um relato sequencial de alguns dias, trazendo apenas alguns divisores como ”os meses do ano” como uma espécie de epilogo para o desenrolar final da trajetória de Beto.

Histórias que apostam em relacionamentos, sejam eles amorosos ou não, ensinam muito mais sobre a vida do que qualquer outro gênero. Vale a pena a leitura!


Confira aqui em nosso site outros reviews de temáticas semelhantes ao do escritor Trueba como Memória de Minhas Putas Tristes (clique aqui) e Cem Anos de Solidão (clique aqui), ambos de Gabriel García Márquez

Diga nos comentários, qual livro te surpreendeu positivamente?

Não esqueça de curtir e compartilhar nas redes sociais e levar a informação ao maior numero de leitores possíveis. Não saia daqui!

REVER GERAL
Nota
8
Leitor compulsivo, bebedor de café e entusiasta quando se trata de leitura. Tecnólogo em Marketing por formação e Locutor por paixão. A minha missão declarada é tornar você, um leitor tão apaixonado quanto eu. A leitura é fonte inesgotável de conhecimento. Conheça-te a ti mesmo!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here