Review | Angola Janga – Uma História de Palmares, de Marcelo D’Salete

Conheça um dos maiores símbolos dos Palmares

Hoje você irá conhecer um pouco de uma das maiores e mais importantes história sobre a resistência dos Palmares e a escravidão luso-brasileira. A Editora Veneta encaminhou ao Mundo Hype essa maravilhosa edição escrita e pensada por Marcelo D’Salete. Conheça Angola Janga – Uma História de Palmares, uma edição primorosa que merece sua atenção por esse novo olhar e tudo que representa até os dias de hoje.

Digno de sua própria obra, Marcelo D’Salete levou incríveis 11 anos pesquisando, conhecendo e montando esse mosaico de fatos e registros do que foi a escravidão brasileira no século XVII.

Nessa gigantesca edição rebuscada, capa dura e que contém 432 páginas, Marcelo nos conta a história da resistência dos negros de Palmares, contra um governo pernambucano (a coroa de Portugal) contra os escravos. Governo esse que sustentava a todo custo o regime de escravidão da época e seu maior objetivo era acabar com o Quilombo dos Palmares e os negros que compunham essa resistência. Dentre eles o icônico Zumbi dos Palmares e outros grandes e importantes personagens como Soares e Ganga Zumba.

ANGOLA JANGA - MUNDO HYPE

Por mais que os governantes desejavam acabar com o quilombo, os negros eram muitos e um tipo de operação dessa exigia uma estratégia e discrição. Mas, Palmares era muito mais que um simples lugar, o quilombo abrigava mais de 20 mil pessoas que haviam fugido da escravidão de outras propriedades, por esse motivo o lugar foi conhecido como “Angola Janga” ou ”Pequena Angola” seus componentes eram pessoas fortes, de um espiritualismo enorme e principalmente sobreviventes que foram arrancados de seus países de origem para viver essa época nada orgulhosa do nosso Brasil.

O grande trunfo do quadrinho, além de tudo que representa, são os relacionamentos em si. Por mais que seja uma ficção tudo é bem recorrente e faz bastante sentido, acordos, traições, estratégias arriscadas e mortes inacreditáveis compõem essa grande edição. As pessoas que o governo contrata para a captura dos escravos, causam uma tensão enormes, pessoas ruins de alma e coração caçando pessoas sem o menor pudor.

A escravidão é representada de todas as formas, seja ela contra os negros ou contra os indígenas. A cada introdução de capitulo o autor apresenta um dado histórico, uma carta, uma declaração ou um comunicado da época, ambientando de uma melhor forma toda essa atmosfera. Além de todas as vantagens de roteiro, a narrativa de Marcelo é algo primoroso, em sequências aparentemente abstratas, transmite de uma forma original e unica elementos que ajuda a moldar o plot da edição.

ANGOLA JANGA - MUNDO HYPE

O dia 20 de Novembro é o feriado do Dia da Consciência Negra, ou popularmente conhecida como dia de Zumbi dos Palmares. Tudo que o personagem representa, tudo que o momento histórico representou e influenciou diretamente os dias atuais, após essa leitura, deixa tudo muito mais claro.

Por mais que o autor tenha se baseado em fatos e registros, o contexto geral da história é uma mescla de ficção e realidade. Pra que o roteiro faça sentido, foi preciso construir uma boa estória com os fatos que todos já conhecem. Os diálogos e pensamentos abordados foi da criação total do autor, mas os marcos, lugares e personagens se basearam em pessoas reais. Um pais como o Brasil, que sua base foi construída em cima de regime escravo e exploração, não pode ser tão apagado quanto é. É necessário se fazer importante e ensinar para gerações futuras o porque do racismo aqui nas terras BR ser tão incompreensível e sem noção.

Anteriormente já havíamos apresentado aqui as obras de Marcelo D’Salete. Conheça as outras obras do autor como Cumbe (clique aqui) e Encruzilhada (clique aqui).


E você caro leitor, gosta de quadrinhos desse gênero?

Conheça também outras obras que retratam a escravidão, como os livros Kindred – Laços de Sangue (clique aqui) e o livro Doze Anos de Escravidão (clique aqui). Lembre-se faça o que for, não saia daqui!

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet