Review | A Arte de Voar de Antonio Altarriba e Kim

Com um início pesado e em parte revelador, temos logo no prólogo, na primeira página a frase: “meu pai se suicidou em 4 de maio de 2001” referente ao idoso Antonio Altarriba, pai do autor desta HQ,  a partir daí iremos acompanhar a vida do personagem e todo seu papel na história da Espanha.

Entendemos o título ao olhar ao passado de Antonio, o que ele precisava era literalmente voar por cima dos muros e fronteiras que possuía na infância, para poder vislumbrar o horizonte e uma vida melhor da que tinha em sua miséria diária do campo, a negativa de seu pai em deixá-lo ir para a cidade ainda muito novo gera mais desgosto com o trabalho na plantação pesando em seu dia a dia.

A clara comparação de diferença de classes, os bloqueios e a dureza da vida no campo que o fez ir à cidade com a esperança na mala para logo em seguida ter o sonho despedaçado após os constantes nãos e também a iminente guerra faz sua vida continuar difícil, entre as conversas na pensão em que vive nos posiciona no tenso momento político que acontece na Espanha, na sinistra descrição de Tio Segundo ao ser designado de motorista do prefeito para o caminhão de lixo, que na verdade recolhia os cadáveres dos contrários ao governo, deixa tudo mais sombrio, e após sua confissão, logo em seguida seu desaparecimento, deixa claro que a situação iria piorar ainda mais.

Antonio passa de agricultor a militante/anarquista/combatente quase ao mesmo tempo, passando pela resistência francesa contra os nazistas e também opositor do movimento franquista que passava pela Espanha, Antônio se vê novamente sem opções e tenta apenas trabalhar para sobreviver, e assim, timidamente e do seu jeito, ocasionalmente “voar”.

A repressão e a tomada de sua liberdade pouco a pouco vão acabando com seu espírito de lutador até finalmente se render para retornar à Espanha após tantas decepções. Mesmo ao tentar acalmar sua vida Antonio tem cada vez mais decepções, o amor que pensava ter encontrado em sua vida se torna insustentável na velhice, um retrato dos reveses que afeta nossa alma, Antônio teve poucas alegrias em vida, viveu em uma época conturbada de decisões conturbadas e situações ainda piores, uma guerra dentro de outra que fez o povo sofrer.

A arte de Kim se une ao texto de Altarriba e nos transmite a emoção que precisamos para cada momento, os simbolismos usados para retratar cada situação nos envolve emocionalmente com o personagem e saber que praticamente a maior parte das cenas mostradas aqui aconteceram realmente, mareja nossos olhos em vários momentos, a depressão que ele chega no fim da vida é avassaladora, após todo o sofrimento na vida, para Antonio sua única libertação era finalmente conseguir voar.

Ao fim da leitura, como extras, temos páginas com notas de cada citação na história e um emocionado texto do autor completa a obra de um modo magistral, toda a hq em si é uma homenagem à memória de seu pai, que agora se tornou ele. Uma bela obra no riquíssimo catálogo da Veneta, recomendada para todos que apreciam uma história sensível e com ótimas e certeiras passagens históricas.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet