Review | O que aconteceu com Annie, de C. J. Tudor

SINOPSE: Quando Joe Thorne era adolescente, sua irmã mais nova desapareceu. 25 anos depois, um e-mail anônimo o leva mais uma vez ao passado: “Eu sei o que aconteceu com sua irmã. Está acontecendo de novo.” Endividado e morando longe do lugar onde cresceu, Joe tentando escapar de agiotas perigosos e vendo a oportunidade de resolver o mistério do desaparecimento de sua irmã, retorna a Arnhill. Mas voltar também significa abrir velhas feridas e reencontrar pessoas e lugares que ele nunca mais pensou que veria. Afinal, alguns segredos são grandes demais — e Joe não faz ideia de onde está se metendo.

A Intrínseca lançou O que aconteceu com Annie, um suspense de ares sobrenaturais, o leitor é carregado por reviravoltas sombrias que o deixam na expectativa até o fim, numa viagem ao lugar mais escuro de um passado que precisa ser esquecido. Ano passado, a autora C.J. Tudor invadiu a cena com o thriller O Homem de Giz, e agora retorna com uma outra narrativa, com a mesma, agora com o indutor terror em meio a uma comunidade com um segredo quase impensável em sua essência.

Já anunciado em um artigo aqui no Mundo Hype, sobre Thrillers 2019 ou o Ano do Assassinato do Bolso do Leitor, como o Helder Gatti intitulou, O que aconteceu com Annie traz elementos que o tornam como um dos melhores lançamentos do ano. Desde primeira página, o thriller nos agarra pela garganta de uma maneira desconcertante, apertando até a última página, cedendo pra um final perturbador. E considerando a maneira que a narrativa é desenvolvida, temos uma história verdadeiramente sombria. Com um início que revira o estômago e um final repleto de pavor, é um exemplo do tipo de tensão e suspense que apenas os melhores thrillers conseguem trazer. E não é só pelo sangue e pela coragem que Tudor escreve, mas pela estratégia desenvolvida para criar uma atmosfera assustadora, bem mais sofisticada e sutil que seu livro anterior. No caso, somos atormentados por pequenas e inteligentes revelações sobre o horrível segredo que está no cerne do livro: flashbacks da infância de Joe e pistas sutis no presente se misturam para criar um sentimento de ameaça que lentamente mas seguramente atrai o leitor para a conclusão.

Tudor mescla um suspense psicológico que já é aterrorizante com algo que não podemos explicar pelo pensamento racional, algo sobrenatural que está por todo a narrativa, com indícios ao longo dos capítulos. Outro aspecto importante é o relacionamento do protagonista com o cenário, desde o início do livro, Joe se curva ao trauma passado e a cidade de Arnhill é colocada numa imersão que saltará direto da página para a imaginação do leitor, proporcionando um cenário perfeito para essa história arrepiante. Arnhill é um lugar que talvez nunca se sinta alegre, mesmo em um dia ensolarado. A melancolia tomou conta, desde a falência do principal nicho econômico da cidade, que gerou tensões sociais para seus moradores. E em seu retorno, Joe cruza com amigos e inimigos de seu próprio passado, e é esses relacionamentos – e as verdades que aprende através deles – que sentimos a profundidade da construção do personagem.  A vingança, o pesar, a culpa e o amor estão no centro desta história, e Tudor examina magistralmente como esses fios percorrem as vidas de ambos os “mocinhos” e “vilões” do thriller.

 

O que aconteceu com Annie é um suspense fascinante, de uma escritora de talento, que segue desenvolvendo boas histórias e nesse segundo livro cativa e choca ao entregar uma  história que permanece na mente após virar a última página. Leiam e se assustem.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here