A Paciente Silenciosa, de Alex Michaelides

A Paciente Silenciosa de Alex Michaelides é a grande aposta da Editora Record e do mercado editorial para ser o grande lançamento de thriller de 2019.

O marketing da editora está bem forte, mas após ler este livro posso dizer que desta vez não é somente um golpe de marketing. O livro é realmente muito bom. Uma narrativa fluida, que pega o leitor e não nos deixa largar o livro, tanto que terminei de lê-lo em menos de 24 horas, mesmo com suas quase 350 paginas, pois tinha que saber qual era o tão falado plot twist deste livro.

A Paciente Silenciosa chama-se Alicia Berenson. Ela é uma famosa pintora, casada com Gabriel, um bem sucedido fotografo de moda.

O livro começa com um prólogo onde Alicia nos conta que a pedido de seu marido e por ama-lo muito, decidiu escrever um diário. Eles se dão muito bem, mas ela anda um pouco deprimida, então ele sugere que ela escreva um diário, para poder externar de alguma maneira aquilo que não consegue externar com palavras.

Não quero nunca ser o motivo de aflição para ele, nem deixa-lo infeliz ou magoá-lo. Eu amo tanto Gabriel. Ele é sem sombra de duvida o amor da minha vida. Eu o amo tanto, que às vezes esse sentimento parece que vai me consumir por completo.

Mas na página seguinte descobrimos que Alicia matou Gabriel com 5 tiros no rosto.

E desde então Alicia nunca mais falou. Não confessou o crime, mas também não se defendeu. Simplesmente não falou mais nada!

Por isso, foi considerada mentalmente incapaz sendo condenada a uma clinica para doentes mentais onde se encontra em silêncio há 6 anos.

Muitos médicos já tentaram chegar até ela sem sucesso, e hoje ela vive nesta clinica completamente dopada.

E é ali que conhecemos o segundo narrador deste livro.

Ele é Theo Faber, um psicoterapeuta forense que acompanhou o caso de Alicia pela imprensa na época do ocorrido e ao saber que existe uma vaga de trabalho na clinica em que ela está internada, se candidata ao cargo, com o objetivo de ajudar Alicia a voltar a falar.

Alicia passa a ser seu grande desafio.

Mas quem é Alicia?

Theo busca métodos padrões de terapia, mas logo percebe que o caso de Alicia é mais complexo, e percebe que para ajuda-la, precisa conhecê-la.

Quais traumas ela carrega? Houve algo em sua infância e adolescência que a trouxeram até este desfecho? Eles não eram um casal tão feliz? O que a levou a cometer algo tão hediondo? E porque ela nunca se defendeu?

E assim, Theo passa a buscar pistas sobre o passado de Alicia, até que ele tem contato com o diário que ela escrevia e percebe que Alicia estava cercada de pessoas em quem não podia confiar.

E assim como ele, nós passamos a desconfiar de todos os personagens que vão aparecendo no livro, pois a cada entrevista no presente com Theo, o personagem conta uma estória, que logo no capitulo seguinte é desconstruída quando lemos a visão de Alicia em seu diário sobre tal personagem.

Mas onde estará a verdade? Alicia estava sã enquanto escrevia aquele diário, ou aquilo é o simples retrato de uma pessoa psicótica?

A narrativa da Paciente Silenciosa é tremendamente fluida. Os capítulos são curtos. O livro, é narrado sobre dois pontos de vista. Alicia nos contando o que ocorreu no passado em seu diário, e Theo em sua investigação no presente, onde vamos conhecendo as pessoas que fizeram parte da vida de Alicia, e junto com ele vamos tendo uma imagem de quem era esta pessoa.

Além disso, vamos conhecendo um pouco também da vida de Theo, desde sua infância até o problema no casamento que vem passando neste momento e às vezes tiram nossa atenção do caso de Alicia.

O livro no inicio é um pouco lento, mas como os capítulos são curtos e o marketing está forte, é difícil não querer ler só mais um pouco do próximo capitulo, e assim, quando percebemos,  estamos presos na estória e precisamos saber o que realmente aconteceu, e digo a vocês, a verdade não será nada fácil de ser lida.

O final deste livro é realmente extremamente engenhoso, pois de repente o autor amarra até aquilo que para mim parecia totalmente desconexo da narrativa e com certeza fará o leitor mais desavisado querer voltar e reler algumas páginas, pois não vai acreditar na maneira engenhosa como o autor consegue lhe enganar.

Confesso que o “psicologues” da estória em alguns momentos me cansou um pouco. São interessantes as teorias passadas pelo autor, mas não curto muito esta teoria de que traumas infantis podem causar adultos problemáticos. Eu sou quem sou porque sou assim e ponto final. Meus pais me deram uma base, e não um molde. Acredito muito mais em seres humanos sendo moldados pelo ambiente em que crescem do que simplesmente serem moldados por fatos que aconteceram em sua primeira infância. Mas neste livro estas teorias fazem toda a diferença para os personagens.

Ainda sobre o final surpresa, no meu caso eu já tinha imaginado o que poderia ser, pois após ler tantos thrillers, o enredo do livro me fez pensar em dois livros muitos famosos, e acabou sendo parecido com um deles. Mas mesmo desconfiando de qual seria este final, eu não conseguia entender o “como” aquilo poderia se encaixar na narrativa, então mesmo assim continuei preso à leitura até o final e ainda fui surpreendido positivamente.

Se você é um leitor de thrillers experiente, pode ser que já tenha uma ideia do que vai ocorrer, mas te garanto que mesmo assim terá uma ótima experiência de leitura e com certeza ficará preso até o final.

Se você é um leitor de thrillers iniciante, este aqui é uma ótima entrada para este mundo. Pode te deixar viciado!

Alex Michaelides é um nome para se prestar atenção. Este é seu primeiro romance e na minha opinião, começou com o pé direito.

De acordo com a capa do livro, além ter seus direitos de tradução vendidos  para diversos países, a Paciente Silenciosa também teve seus direitos comprados para o cinema, pelas produtoras Annapurna Pictures e Plan B, que este ano foram responsáveis por Se a Rua Beale Falasse e Vice, dois filmes que concorreram a diversos prêmios no Oscar. As produtora Plan B pertence a Brad Pitt.

Que venha o filme então !!

Recomendo a leitura, e logo, antes que alguém te conte o final.

E você, já leu este livro? Esperava aquele final ou também se sentiu levando uma rasteira do escritor?

E qual o seu thriller preferido entre os que você já leu este ano?

Vamos conversar nos comentários.

E Não se esqueça que temos muitas outras indicações, clique aqui e conheça um pouco mais.

E Curta o Site Mundo Hype nas redes sociais, compartilhe com amigos e continue por aqui.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here