Review | Belas Maldições, de Neil Gaiman e Terry Pratchett

Provocar o fim do mundo pode ser perigoso. Não tente fazer isso em casa.

Belas Maldições ou Good Omens de Neil Gaiman e Terry Pratchett é um dos livros do momento, devido principalmente a série homônima que vem sendo exibida pela Amazon Prime.

Belas Maldições - 1a capa
Belas Maldições

O livro já havia sido lançado por aqui em 1998, e tido uma reedição, mas agora a Editora Bertrand Brasil retorna com uma nova edição do livro onde foram feitas diversas revisões a pedido dos autores e que faz  valer muito a pena a compra deste novo exemplar.

Sejam bem vindos ao Samba do Anjo Doido ou Ninguém Segura este Armagedom.

É incrível a criatividade encontrada neste livro. Simplesmente inefável!

Azyraphale é um anjo. Crowley é um demônio, mas tudo isso são convenções. Na verdade, desde que tiveram uns problemas onde certa mulher comeu uma maçã em um certo paraíso, ambos se tornaram muito amigos.

E nestes milhões de anos a vida tem sido muito legal com esta dupla imortal.

“Isso era o que alguns humanos achavam difícil de compreender. O Inferno não era um grande reservatório de mal, não mais do que o Céu, na opinião de Crowley, era uma fonte de bondade; eles eram apenas lados do grande jogo de xadrez cósmico. Onde você encontrava a coisa em si, a verdadeira graça e a verdadeira treva da maldade, era bem no interior da mente humana

O anjo gera uma boa ação ali, o demônio cria um problema acolá, e assim o universo vai se mantendo balanceado e ambos vão curtindo suas vidas terrenas e seus hobbies: O anjo é dono de um sebo e coleciona livros. O demônio usa óculos escuros ouvindo Queen no toca fitas de seu Bentley preto.

E tudo ia bem nesta balança, até que Crowley recebe uma missão: Realizar uma troca de bebes para que uma família passe a criar o Anticristo, que dali a 11 anos será responsável pelo Apocalipse.

Como todo bom profissional, Crowley também tem uma equipe, e ele terceiriza seu serviço, contando com as freiras satanistas da Ordem Faladeira de Santa Beryl, porém a Irmã Maria Loquaz, satanista devota desde que nasceu, confunde-se durante a “atividade” e envia o pequeno anticristo para a família errada no interior da Inglaterra.

Sei lá. Quanta experiência você acha que eu tenho nessas questões? O Armagedom só acontece uma vez, sabia? Eles não deixam você ficar tentando várias vezes até acertar.

Belas Maldiçoes - 2a Capa
Belas Maldições

Durante os próximos 11 anos, forças do Bem e do Mal ficam cercando a criança que acham ser o Anticristo para garantir que as previsões aconteçam, cada um reforçando as características do garoto para seu lado.

Mas é somente no dia do 11º aniversario do garoto que tanto Azyraphale quando Crowley  percebem que o Cão do Inferno não escolheu o menino conforme as profecias, portanto entendem que algo está muito errado. Aquele anticristo está muito bonzinho! Ali não existem genes do mau!

Mas de acordo com o livro As Belas e Precisas Profecias de Agnes Nutter, a Bruxa,  o mundo que eles tanto prezam vai acabar no fim de semana.

Começa, então,  uma corrida para descobrir onde está o Anticristo e em paralelo parar com o Apocalipse, já que tanto para anjos quanto para demônios, o melhor lugar para se viver ainda é a Terra.

E ai Neil Gaiman e Terry Pratchett vão trazendo milhares de personagens cada vez mais malucos, como o jovem Adam, o anticristo ecológico e seus amigos, a Bruxa Anathema, e seus caçadores de Bruxa, uma velha cartomante picareta e principalmente os Cavaleiros do Apocalipse e seus amigos motoqueiros com nomes do mal.

É o samba do anjo doido!

Nada ali faz muito sentido.  Talvez nem haja direito uma estória. O importante para os autores é não perder a piada, e haja piadas.

E não tem como a gente não se divertir com tantas citações e maluquices.

Azyraphale e Crowley se complementam, e é muito interessante vê-los como humanos cheios de falhas, e muitas vezes tendo seus papeis de Bom e Mau sendo confundidos.

E temos ainda o Anticristo que cuida de seu mascote e se preocupa com ecologia.

Este foi meu quarto livro de Neil Gaiman e finalmente acho que aqui ele se encontrou, mas tenho a impressão que as passagens mais insanas devem ter vindo de Terry Pratchett, um autor que até agora era desconhecido para mim, mas cuja situação já preciso mudar, pois seu senso de humor é a minha cara.

Saudades de TV Pirata, Apertem os Cintos , Monthy Python e todo este besteirol inglês e extremamente inteligentes.

Belas Maldições é um livro insanamente divertido, onde a imaginação corre solta e só pede que o leitor desencane e participe. A leitura no inicio é um pouco intrincada e a péssima diagramação da antiga versão digital dificultava um pouco mais, mas assim que você percebe que o intuito ali é se divertir, a leitura toma um ritmo insano, onde o céu (ou o inferno) é o limite para estes dois autores.

Infelizmente, no final, a dupla de autores perde um pouco do gás que parecia interminável e o desfecho do livro acaba sendo um pouco mais simples e morno do que eu imaginava, mas mesmo assim ainda mantém todo o cinismo da narrativa.

E ainda tem o domingo!

Dizem que o Diabo tem as melhores músicas. Isso é em grande parte verdade. Mas o Céu tem os melhores coreógrafos

E você, já leu este livro ou assistiu a série? O que curtiu mais?

E você curte Neil Gaiman e Terry Pratchett? Qual o livro favorito de cada um deles?

Vamos conversar nos comentários.

E Não se esqueça que temos muitas outras indicações, clique aqui e conheça um pouco mais.

E Curta o Site Mundo Hype nas redes sociais, compartilhe com amigos e continue por aqui.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

2 COMENTÁRIOS

    • Daisy, para ser sincero eu tenho um pé atrás com o Gaiman. Acho Deuses Americanos extremamente super estimado e não vejo nenhum humor naquele livro, sendo assim, Belas Maldições foi uma grata surpresa para mim.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here