Review | Furi Fura: Amores e Desenganos, de Io Sakisaka

O gênero shoujo vem ganhando espaço lá fora, e para quem não conhece é o gênero feito para meninas. Aqui no Brasil, temos poucos exemplos, e recentemente a Panini lançou Omoi, Omoware, Furi e Furare da mangaká Io Sakisaka, traduzido como Furi Fura: Amores e Desenganos, publicado no Japão em 2015, com 12 volumes no total. Sakisaka, uma autora dedicado ao gênero, já criou diversos mangás shoujo como Ao Haru Ride (já publicado pela Panini), Strobe Edge ou Sono Omokage o Shitteru, ainda inéditos. Parece estranho, sendo um fã de outros gêneros, mas tive a oportunidade de recebê um exemplar para a leitura, e relato abaixo minha opinião:

 

A narrativa de Furi Fura: Amores e Desenganos apresenta duas adolescentes prestes a iniciar o Ensino Médio. De um lado, Yuna Ichihara, uma jovem tímida que gosta muito de ler mangá romântico e sonha de encontrar o amor perfeito, sonha com o príncipe encantado, da mesma forma que fazem os protagonistas de suas histórias favoritas. Do outro, temos Akari Yamamoto, uma garota que acabou de se mudar para o mesmo bloco de apartamentos que Yuna. Tornam-se amigas, embora sejam bem diferentes, especialmente em um aspecto, pois enquanto Yuna idealiza o amor, Akari, é mais racional, por já ter se relacionado outras vezes, e vê tudo de um ponto de vista mais maduro. O ponto que ambas compartilham suas ideias, que são diferentes, mas, de certa maneira, se conectam.

A base da história é o embate entre esses dois pontos de vista, o inocente e o maduro; o sonhador e o prático. Pelo que pesquisei, ao contrário de outras obras do gênero, Sakisaka não dá destaque para Yuna ou Akari, mas dá o mesmo significado para ambas em relação ao debate que se desdobra ao londo do volume. E avança um pouco mais, dando voz e destaque aos interesses amorosos de ambas, na qual todos os personagens têm a mesma importância, como uma novela da vida real. O amor (e suas diferentes maneiras de enfrentá-lo e vivê-lo) é um dos pilares da narrativa, o outro pilar é a amizade, compartilhado pelas amigas e com os demais personagens. A autora mergulha muito bem no desenvolvimento das protagonistas, evoluindo e mostrando suas mútuas influências.

Não conhecia esse gênero, mas pelo que li, são mais simples. O que Io Sakisaka diferentemente faz em Furi Fura: Amores e Desenganos, arriscando mais em mostrar uma história que se afasta das relações tóxicas que encontramos em mangás juvenis e nos mostram personagens mais próximos da realidade. E em vez de romper totalmente com os clichês, presenteia com uma história normal e cotidiana, com sensibilidade e romance, mas nada de dramático.

Outra característica importante se refere a arte, o desenho de Sakisaka prioriza poucos quadros para mostrar bem as expressões dos personagens, além de simplificar bem os cenários com o seu traço refinado, o resultado, pode ser despretensioso, mas é excelente.

Concluindo, esse primeiro volume é um shoujo que aborda de maneira clara os pontes fortes do gênero, mas sem deixar transparecer o lado dramático e relações novelescas. Não é algo original, tampouco inovador, mas um mangá de leitura doce e despretensiosa.

CURIOSIDADE: o mangá vai ganhar uma adaptação em anime e um filme live-action. A A-1 Pictures (Sword Art Online) produz o anime, para ser lançado em 2020, enquanto o filme será dirigido por Takahiro Miki, programado para ser lançado também em em agosto de 2020.

 

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here