Review | X-Men – Programa de Extermínio

Review | X-Men – Programa de Extermínio

Chegou ao fim mais uma parte, dessa vez: PROGRAMA DE EXTERMÍNIO , que pra mim é uma das sagas mais bem elaboradas e marcantes dia mutantes, principalmente por dois motivos, o primeiro é o alto teor político e social que ela nos traz para reflexão e segundo pq eu realmente me sensibilizo com sagas onde o maior inimigo não é um grande vilão mas o medo e o preconceito e o até isso pode fazer a humanidade e aos que fogem de seus padrões!

Mas afinal o que foi PROGRAMA DE EXTERMÍNIO?

Foi um mega evento crossover entre as três equipes mutantes , X-MEN, X-factor e Novos mutantes que sofreram retaliação do governo Genoshano por terem ajudado a salvar uma de seus chamados “módulos de unidade mutoide” e seu parceiro o filho de genengenheiro chefe, essa intervenção dos X-Men levou a nação a perseguir todos os grupos afiliados aos mesmos, levando a uma crise política mundial.

O que é GENOSHA?

É uma ilha tissular incrustada na costa da África, tida pelo mundo como um paraíso tecnológico, a nação era muito reservada e rica chegando o próprio EUA a dever milhões a mesma, riquíssima ela fazia questão de esconder do resto do mundo a fonte de seu sucesso, porém ela escondida um segredo devastador.

Com uma propaganda de sustentabilidade e boa vontade, Genosha mostrava ao mundo as vantagens de ser mutante na ilha, que graças a sua cooperação a ilha prosperava e os mutantes eram felizes por se sentirem úteis a sociedade e não serem mais perseguidos.

Porém não foi isso que os X-MEN descobriram em sua primeira passagem pela ilha, o segredo nefasto foi descoberto, esses mutantes nacionais de Genosha eram arrancados de seus lares a força, e submetidos a um processo de “mutoitização” onde eram retirados materiais genéticos dentes, uma segunda pele era fundida em seu corpo para sempre e privando de todas as necessidades físicas, sua força e estrutura genética alteradas, sua mente apagada e manipulada apenas para obedecer e trabalhar tendo os humanos como chefes supremos.

A ilha era governada também por pessoas com noções de patriotismo deturpadas e uma presidente insana, que acreditavam firmemente que subjugar a vontade desses seres humanos transformando os em máquinas genéticas era a única forma de garantir a sobrevivência da nação, isso associado a um último elemento chamado Cameron hodge que nutria um ódio intenso pelos mutantes foi intensificado pois os governantes foram manipulados pelo mesmo com promessas de resolução do problema com os X-MEN mas que apenas visava interesse próprio levando a ilha-nação ao extremo não importando as consequências para os nativos.

A intervenção dos X-Men levou um confronto político e um palco midiático interessante E esse é realmente pra mim o auge da história. As manipulações políticas em segundo plano e o palco midiático já tão bem explorados em outras histórias como Batman cavaleiro das trevas e Demolidor a quadra de Murdock, a mídia explora a família dos mutantes perseguidos e a opinião pública, enquanto o governo tenta agir sem deflagrar uma guerra com outra nação.

Fim da saga e consequência para os X-MEN.

Temos o retorno de destrutor após a passagem pelo portal do destino que decide ficar na ilha para tentar ajudar os mutoides a terem uma vida digna nesse novo governo.

Psylock (agora transformada em ninja Asiática e com um novo perder de tajendo transformar seus poderes em uma potente adaga psíquica) e Wolverine retornam aos X-MEN com uma nova integrante: jubileu.

Tempestade reverte a forma adulta recuperando a totalidade de seus poderes.

Gambit passa a se sentir membro da equipe.

Lupina transformada em uma mutoide em sua forma humana, passa a assumir a forma de loba com seus poderes aumentados permanente e decide ficar junto a Alex para fazer alguma coisa de boa pela a ilha

E FINALMENTE A PIOR, A MORTE DO NOVO MUTANTE ALIENÍGENA WARLOCK.

Sobre o autor

Leia mais Reviews

Review | Esplendor da Honra, de Julie Garwood

Depois que li A Lady de Lyon da autora Julie Garwood, sabia que teria que ler outros livros dessa autora sensacional. E logo tive...

Review | Malorie, de Josh Malerman

Malorie de Josh Malerman, continuação do best seller Caixa de Pássaros foi o grande lançamento da Editora Intrínseca neste mês de julho. Em um ano cheio...

Review | A Canção de Sangue (Série A Sombra do Corvo 1), de Anthony Ryan.

A Leya recentemente lançou um comunicado sobre uma retração no gênero fantasia, justificando o abandono da publicação dos livros de Brandon Sanderson e de...

Review | Pecados Noturnos, de Islay Rodrigues

Pecados Noturnos é um romance de época da autora brasileira Islay Rodrigues. Esbarrei nesse livro por acaso e, depois de ler a sinopse, entrei...

Review | A Garota do Calendário (Janeiro)

Atenção, a review abaixo é escrita a base de ironia, deboche, sarcasmos e tudo que pode habitar num coração geminiano! Pois bem, A Garota do...

Review | Esplendor da Honra, de Julie Garwood

Depois que li A Lady de Lyon da autora Julie Garwood, sabia que teria que ler outros livros dessa autora sensacional. E logo tive...

Review | Malorie, de Josh Malerman

Malorie de Josh Malerman, continuação do best seller Caixa de Pássaros foi o grande lançamento da Editora Intrínseca neste mês de julho. Em um ano cheio...

Review | A Canção de Sangue (Série A Sombra do Corvo 1), de Anthony Ryan.

A Leya recentemente lançou um comunicado sobre uma retração no gênero fantasia, justificando o abandono da publicação dos livros de Brandon Sanderson e de...

Review | Pecados Noturnos, de Islay Rodrigues

Pecados Noturnos é um romance de época da autora brasileira Islay Rodrigues. Esbarrei nesse livro por acaso e, depois de ler a sinopse, entrei...