Review | Um toque de escuridão, de Scarlett St. Clair

Review | Um toque de escuridão, de Scarlett St. Clair

Um toque de escuridão é o primeiro livro de uma trilogia que traz uma releitura da mitologia de Hades e Perséfone. O livro foi publicado pela Editora Cabana Vermelha e escrito pela Scarlett St. Clair no segundo semestre de 2021 e lógico que corri para garantir meu exemplar na pré venda.

O livro é uma releitura do mito, onde na história, os deuses do Olimpo decidem ‘viver’ entre humanos, mas se distinguem dos mesmos por causa de seus poderes e seus chifres. Os deuses tem seus estabelecimentos no mundo humano, boates, restaurantes, mas não se misturam tanto com os mortais.

Nesse mundo temos Perséfone, uma estudante de jornalismo filha de uma deusa, que não tem magia e esconde de todo o mundo seu passado divino. Ela precisa viver na linha, já que sua mãe vigia a todos os seus passos, e é ela também quem lhe fornece a magia necessária para esconder sua verdadeira identidade.

Em uma noite, Lexa, amiga de Perséfone, consegue duas entradas para a boate Nevernight, domínio de Hades, e Perséfone, em um ato de rebeldia, decide ir com a amiga e acaba se encontrando com o Deus do Submundo. Depois de uma proposta arriscada, eles acabam presos em um acordo, onde Hades desafia Perséfone a criar vida no Submundo, e Perséfone o desafia a ser um de seus maiores arrependimentos.

Como é de se esperar, um romance surge entre eles. Por mais que ambos neguem o que sentem um pelo outro, a atração entre eles é visível por qualquer um que os vê. Persefone pode ser um pouco irritante em muitos momentos, por causa de sua passividade, mas compreendo que a personagem é assim por sua criação, já que Demeter praticamente escondeu a filha do mundo por 18 anos.

Hades é Hades. Acho que essa é uma boa definição. Ele é um deus que sabe que é um deus e que tem domínio de seus plenos poderes, e que se vê apaixonado por uma deusa que não acredita em si mesma.

_ (…) Dizem que Hades protege seu reino e, embora isso seja verdade, não se trata de poder. Ele cuida de seu povo, protege-o e leva isso para o lado pessoal se alguém é ferido. Se você pertence a ele, ele destruirá o mundo para salvá-la.

_Mas eu não pertenço a ele. – ela estremeceu.

Ilias sorriu.

_sim pertence, ou eu não estaria lhe servindo vinho no escritório dele.

Por mais que o romance de Um toque de escuridão pareça, por muitas vezes, uma fanfic, eu gostei da história. Conseguiu me envolver bem e prender minha atenção até o final do livro. Não esperem uma grande ou épica história de amor, mas, se começarem a ler com poucas expectativas, podem gostar muito da leitura.

22 A touch of darkness ideas in 2021 | character art, character inspiration, fantasy art
fanart de A touch of darkness. Imagem da web

Eu não queria reclamar disso de novo, mas a editoras parecem que pedem por isso. A revisão do livro Um toque de escuridão deixa a desejar, e deixa MUITO. O inicio do livro foi até bem trabalhado, bem revisado, mas, de uns 40% para frente, é só ladeira abaixo. Pode parecer ‘chatice’, mas um livro mal revisado influencia demais na imersão da história e na fluidez da leitura. E acabou por influenciar nesse livro

Um ou outro erro podem passar batido por uma leitura viciada, mas a quantidade de erros desse livro incomoda demais. Esse detalhe fez com que a minha nota para o livro abaixasse bem. E, como eu pretendo ler a série completa, espero que isso tenha mais atenção da Editora Cabana Vermelha na próxima edição.

Um toque de escuridão é um romance fantástico de leitura rápida, com muito hot (atenção para a classificação indicativa do livro), que merece um pouquinho maior de atenção da parte de revisão para tornar a leitura melhor.

 

Leia mais Reviews