Review | Um Caminho para Liberdade de Jojo Moyes

Um Caminho para Liberdade é o ultimo lançamento de Jojo Moyes e foi trazido pelo Brasil pela Editora Intrínseca, primeiro pelo Clube Intrínsecos e no fim de 2019 para todo o publico.

SINOPSE: Cinco mulheres vão enfrentar uma cidade inteira por amor aos livros. E juntas vão descobrir o poder do conhecimento, da liberdade e da amizade.

Em uma época em que não seguir os costumes e a religião era transgressão gravíssima, o caminho de um grupo de mulheres se cruza de maneira inesperada. A década de 1930 está chegando ao fim, e, em uma pequena cidade do interior dos Estados Unidos, a ideia de que as moças administrem uma biblioteca itinerante desafia o status quo.

Com o compromisso de levar livros para os moradores mais pobres da região, Margery, Alice, Beth, Sophia e Izzy aceitam trabalhar na biblioteca. E à medida que enfrentam inúmeras dificuldades, como aprender a cavalgar, percorrer rotas de difícil acesso e suportar o preconceito dos mais conservadores, elas fortalecem o laço que as une e descobrem mais sobre si mesmas. Em pouco tempo, toda a cidade se volta contra o grupo, colocando em risco a sobrevivência do projeto. E as mulheres vão se perguntar mais uma vez se o poder das palavras será suficiente para salvá-las.

Inspirado em uma história real, Um Caminho Para a Liberdade fala de lealdade, independência e justiça. Com uma trama envolvente e emocionante, Jojo Moyes faz o leitor refletir sobre as redes de apoio e amizade entre mulheres e como é preciso ir além dos nossos — supostos — limites. Afinal, conquistar a liberdade nunca é fácil.

 

Jojo Moyes e Um Caminho Para Liberdade
Jojo Moyes e Um Caminho Para Liberdade

Desde o anúncio do lançamento mundial desse livro fiquei interessada em lê-lo, e já fazia bastante tempo que eu não sentia vontade de ler algo de Jojo Moyes.

Por isso, logo o incluí na minha lista de leituras e decidi que iniciaria 2020 com ele, e posso adiantar que foi uma ótima escolha, que me fez iniciar o ano com uma leitura maravilhosa, envolvente e que me levou a diversas reflexões.

Em um caminho para a liberdade acompanhamos a vida de várias mulheres, em um tempo onde as coisas eram bem diferentes e onde as mulheres não tinham liberdade de ser e viver o que queriam.

Assim, essas cinco personagens cada uma a seu modo, destoam dos costumes da época e abrem, literal e metaforicamente um caminho para a sua liberdade e também para a de outros, à medida em que percorrem montanhas e lugares remotos a cavalo, levando livros e histórias que permitem que aquelas pessoas encontrem nas páginas que aprendem a ler a cada dia caminhos, lugares e possibilidades mais amplas do que todas as que já conheceram.

Esse livro, no entanto, tem um início um pouco lento, que para mim não se tornou nenhum incômodo, mas que é algo que deve ser destacado porque pode ser algo negativo para alguns leitores.

Além disso, as histórias de cada personagem são apresentadas simultaneamente e construídas pouco a pouco, com várias descrições de momentos e sentimentos, o que também para os impacientes pode se tornar cansativo.

Para mim, isso tudo foi positivo e adorei o ritmo lento que me permitiu absorver e conhecer a fundo cada uma das mulheres, a ponto de ao final sentir que elas eram pessoas reais e é óbvio estabelecer minhas preferências, sendo que desenvolvi um grande afeto por Margery, para mim a líder de todas e também pilar da história.

Um Caminho para Liberdade - Capa
Um Caminho para Liberdade – Capa

Além disso, achei muito bacana o fato de o romance ser algo muito secundário dentro da narrativa e mesmo quando ele apareceu foi mostrado através de momentos breves e descrições rápidas pois o foco principal era a liberdade das mulheres através de livros e atitudes, e tal objetivo foi cumprido com maestria.

No entanto, preciso ser sincera sobre o dizer da sinopse que menciona que as mulheres enfrentam uma cidade por amor aos livros e isso não é totalmente real, porque embora depois cada uma passe a amá-los a sua maneira, algumas embarcam nessa jornada por diversos motivos, e isso é uma das coisas que torna o livro interessante pois nos mostra pessoas de diversas origens, com diversas vidas e enfrentando uma variedade de problemas.

O livro também traz algumas temáticas secundárias como a segregação racial, o preconceito com as mulheres, os julgamentos precipitados, bem como também fala sobre o quão indivíduos poderosos muitas vezes colocam as pessoas em risco apenas para manterem seus poderes e privilégios, o que embora aconteça em 1937, mais de setenta anos atrás, acabou soando extremamente atual pois continua acontecendo muito perto de nós.

Algo interessante a respeito desse enredo é que embora as personagens sejam fictícias, as bibliotecas criadas pela WPA existiram de verdade e foram importantes na vida de muitas pessoas, exatamente como o livro mostra.

Em resumo, esse é um livro para os leitores que amam livros, que amam ver a força feminina e o quanto nossa coragem e força de vontade nos levam longe, bem como nos mostra como a força de espírito não é morta com facilidade e que sempre conseguimos nos levantar mais uma vez.

E você, já leu Um Caminho para Liberdade?

É fã de Jojo Moyes??  Qual seu livro favorito da autora e porque?  Tem algum para indicar para nós?

Vamos conversar nos comentários.

E não se esqueça que temos muitas outras indicações, clique aqui e conheça um pouco mais.

E curta o Site Mundo Hype nas redes sociais, compartilhe com amigos e continue por aqui.

#pracegover A capa do livro é um céu noturno estrelado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here