Review | Trono de Vidro – Reino de Cinzas de Sarah J. Maas

Uma conclusão épica de uma história emocionante

Enfim chegamos ao último livro dessa série que deu o que falar em 2019 com o lançamento de seu último livro: Reino de Cinzas. Um belo calhamaço publicado no Brasil pela Editora Galera Record com 934 páginas, acabei me pegando dividida entre acabar o livro logo para não carregar mais peso na bolsa e não acabar nunca uma história tão boa.

Aviso de antemão que a resenha vai conter spoilers dos livros anteriores. Continuar a partir daqui é de sua própria conta e risco.

 

 

 

Esse livro já começa na angústia, pois temos que lidar Aelin sendo torturada pela tia Maeve (nem tão tia assim como a gente descobre no penúltimo livro), enquanto Rowan está em sua busca e Aedion e Lysandra precisam manter a farsa de que a rainha está entre os rebeldes enquanto resistem aos ataques de Erawan. É muito coisa acontecendo ao mesmo tempo e, por mais que imaginamos um final feliz, é difícil não se sentir aflitos com os acontecimentos do livro.

_É seu, como sempre foi. Um pedaço de sua coragem que me ajudou a encontrar a minha.

Aelin acaba sendo resgatada e se encontra com Chaol e seus novos aliados do outro continente. Aelin precisa conquistar a confiança deles para salvar sua terra enquanto defende o castelo de seu amigo e lida com todas as notícias que descobre sobre Maeve e seus aliados. A tortura realmente a quebrou, e vemos a protagonista titubear diversas vezes, mostrando seu lado humano.

Aelin esboçou uma reverência debochada para o Lorde de Anielle.

_E com essa linda observação de despedida, vamos voltar para terminar nosso jantar. Aproveite a noite, nos veremos nas ameias amanhã e, por favor, vá para o inferno.

Acontece tanta coisa em tantos núcleos diferentes que é difícil tentar falar deles sem dar muito spoiler. Dorian começa a controlar e usar melhor seus poderes, Manon e as Treze assumindo seus lugares entre os dois clãs de bruxas, Aedion sendo um babaca com todo mundo – e se ‘redime’ no final.

E não foi escuridão, mas luz… luz. forte e pura como o sol sobre a neve que surgiu da bruxa.

Reino de Cinzas é um livro de muitas perdas (muitas mesmo, prepara o lencinho para ficar ao lado do livro), recomeços e reconciliações. Aelin precisou dar muito de si para salvar seu povo e sua terra, e pagou o preço por isso. Mas até os deuses pagaram o preço por terem tentado manipula-la.

Os deuses começaram a gritar, a correr até ela, no momento que Aelin abriu um buraco naquele céu.

Recomendadíssima a leitura de toda a série Trono de Vidro, com todas as resenhas anteriores aqui no site. Para quem gosta de uma boa fantasia, ou de uma aventura épica, é uma ótima pedida! É claramente uma das minhas fantasias favoritas, e a melhor série que li esse ano de 2019.

Bonus: Para os fãs da escrita de Sarah J. Maas, temos uma menção a um casal amado (e odiado por alguns) da Trilogia Corte de Espinhos e Rosas. Um crossover entre os núcleos principais das duas histórias seria épico – e destrutivo na mesma medida.

Ela passou poe um mundo de montanhas cobertas de neve sob estrelas reluzentes. Passou por cima de uma daquelas montanhas, na qual um macho com asas estava ao lado de uma fêmea bastante grávida, olhando para aquelas estrelas. Feéricos.

 

1- Trono de Vidro – Resenha aqui

0,5 – A Lâmina da Assassina – Resenha aqui

2- Trono de Vidro – Coroa da Meia-Noite – Resenha aqui

3- Trono de Vidro – Herdeira do Fogo – Resenha aqui

4- Trono de Vidro – Rainha das Sombras – Resenha aqui

5.1 – Trono de Vidro – Império de Tempestades Tomo 1 – Resenha aqui

5.2 – Trono de Vidro – Império de Tempestades Tomo 2 – Resenha aqui

Torre do Alvorecer – Um romance de Trono de Vidro – Resenha aqui

6- Trono de Vidro – Reino de Cinzas

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here