Review | Trono de Vidro, de Sarah J. Maas

A série que está em alta no momento… Trono de Vidro. Li o primeiro livro quando foi lançado a alguns anos atrás, e resolvi deixar a série por um tempo até ter todos os livros publicados. Não esperava que seriam 8 livros (considerando os tomos 1 e 2 do quinto livro como um só), mas Sarah J. Maas gosta de nos surpreender. Aproveitando que a série está em alta no momento e que adquiri o último lançamento (minha série ainda não está completa ainda), resolvi reler o primeiro livro, Trono de Vidro. Como gostei da primeira vez, continuar gostando na releitura não foi uma grande surpresa. Trono de Vidro foi lançado em 2012 pela Editora Galera Record.

Conheça a assassina. Seu destino é vencer. Nas sombrias e sujas minas de sal de Endovier, um jovem de 18 anos está cumprindo sua sentença. Celaena é uma assassina, e a melhor de Adarlan. Aprisionada e fraca, ela está quase perdendo as esperanças quando recebe uma proposta. Terá de volta sua liberdade se representar o príncipe de Adarlan em uma competição, lutando contra os mais habilidosos assassinos e larápios do reino. Endovier é uma sentença de morte, e cada duelo em Adarlan será para viver ou morrer. Mas se o preço é ser livre, ela está disposta a tudo.

Nesse primeiro livro somos apresentados a Celaena, uma assassina que foi traída e presa em um dos piores locai do reino, nas minas de Endovier. Ela recebe uma proposta de se tornar a campeã do rei, mas, para isso, precisa vencer um desafio e mostrar que ainda é capaz de derrotar seus inimigos. Em um reino onde a magia é proibida, muitas coisas são escondidas e ainda há muito o que se descobrir ao longo da série.

Mesmo tendo esse primeiro livro a anos, não consegui esquecer de Celaena e sua incrível força de vontade. Uma personagem forte, inteligente, que já foi a maior assassina do reino, foi traída, presa e torturada, mas que ainda tinha a capacidade de sorrir e se divertir. Celaena não é uma donzela indefesa esperando seu príncipe encantado, ou mesmo o príncipe de Adarlan, mas uma pessoa que escreve seu próprio destino. Se eu ainda não disse, direi: Celaena é f*da demais. Que personagem cativante! Ela pode ter algumas atitudes irritantes, mas são condizentes com a personalidade dela e com o que ela passou. Por mais que ela seja uma assassina excelente, ela ainda é uma garota de 17 anos.

Dorian, o príncipe de Adarlan, conseguiu se desenvolver bem ao longo do livro, começando parecendo apenas um garoto birrento, mas acaba se mostrando ser mais que isso. Por mais que pareça que a química entre ele e Celaena seja perfeita, não gostei do suposto casal. Chaol, o capitão da Guarda Real, é outro personagem cativante e que merece muito mais atenção e desenvolvimento. Eu esperava que ele formasse um belo casal com a protagonista, mas não vou me iludir porque conheço a escrita da Sarah J. Maas e sei que isso é furada. Os competidores foram muito bem descritos e encaixados na trama, e o rei de Adarlan também foi uma figura que pouco apareceu, mas que teve sua sombra rondando a história o livro todo.

Uma fantasia sensacional, bem escrita, bem elaborada e que deixou um gancho muito bom para o próximo livro, tanto sobre a vida da protagonista quanto sobre o destino do reino e da magia. Esse livro já foi comentado aqui no site em 2016 e você pode ver a matéria clicando aqui.

Em seguida, o que eu deveria ler é o Coroa da Meia Noite, porém, como vi em alguns blogs e perfis na internet, recomenda-se a leitura de A lâmina da Assassina após o primeiro livro, para se conhecer e entender mais Celaena e suas motivações. Assim que terminar trarei a resenha dele.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here