Review | Se Houver Amanhã, de Sidney Sheldon

No fundo do poço você pode aprender coisas que o topo da montanha jamais te ensinará!

Aqui no Mundo Hype você encontra um mar de reviews de muitos gêneros diferentes. Diversidades à parte, os Thrillers reinam por aqui e hoje traremos um dos mais influentes escritores do gênero. Conheça um pouco da obra escrita em 1986,  Se Houver Amanhã, escrita por Sidney Sheldon. Edição apresentada, Editora Record.

Aos leitores que já conhecem o escritor, sabe que ele sempre escolhe mulheres fortes para personagens de grande relevância e/ou protagonistas. Hoje você conhecerá brevemente a história de Tracy Whitney, mulher independente, emprego estável em um banco importante na Filadélfia, namoro recente e breve paixonite com um jovem de família rica e tradicional. Tudo as mil maravilhas, planos para um futuro a dois e filhos, até que chega a triste noticia de que sua mãe faleceu. Após descobrir a causa da morte, Tracy ficou ensandecida, jamais imaginaria que sua mãe fosse capaz de um suicido. Morte essa que foi consequência de uma manipulação mafiosa na cidade de sua mãe. Após tentar fazer justiça com as próprias mãos, Tracy foi acusada de um crime que não cometeu, agora presa, desacreditada, virou noticia na mídia e sua vida foi revirada de cabeça para baixo, em um golpe injusto do destino. Tudo que ela tinha se perdeu, tudo que ela acreditava já não vale mais nada, tudo que ela almejava não lhe cativa mais. Tracy agora vive uma nova fase.

Uma obra com pouco mais de 500 páginas, edição única divida em livros, mas a narrativa é tão acelerada, tão intensa, tão fluida, que logicamente não irá perceber que o livro é consideravelmente grande.

UMA HISTÓRIA PARA FAZER VOCÊ ESQUECER A SÉRIE LA CASA DE PAPEL

A forma como Sheldon escreve cativa a todos os fãs do gênero, sua velocidade narrativa é sem igual e nos deixa com a impressão de assistir uma grande série, um novelão que instiga o leitor a continuar mais e mais. Todos os plots de Sheldon abrangem boas metáforas e nesta edição não seria diferente. A protagonista é injustiçada, presa, estuprada, mal tratada, subjugada, sofre aborto e mesmo assim consegue dar a volta por cima. Sua ascensão é rápida, ela é inteligente e firme, e isso ajuda nos planos, mas a sociedade julga com punhos de ferro uma ex-presidiaria e todos aqueles que sempre foram com ela, agora viraram as costas. Nem tudo são flores, mas é na reincidência que Tracy se acha e sua vida agora vira algo nunca imaginado.

Fãs de thrillers vão amar esse livro, e aos que ainda não conhecem irão se apaixonar pelos personagens e pelo autor. História do gênero já foram apresentadas no cinema como Onze Homens e Um Segredo, A Cartada Final e também a série espanhola de sucesso atual La Casa de Papel.

Se Houver Amanhã inicia uma trilogia e merece os louros da vitória. Um livro que apresenta muito bem o que é Sidney Sheldon e reaviva um pouco os tempos de ouro do gênero. Mesmo depois de mais de 20 livros, e uns bem famosos como Reverso da Medalha, ele sempre nos surpreendeu. Infelizmente Sidney Sheldon faleceu em 2007 aos 90 anos, mas deixou grandes obras e alguns discípulos de sua arte. Se ainda não deu uma oportunidade, aproveite esse titulo, tenho certeza que irá gostar!


Clique aqui e confira outras ótimas indicações e lembre-se de sempre compartilhar nas redes sociais. Faça o que for, não saia daqui!

7 COMENTÁRIOS

  1. Saudades de ler Sidney Sheldon. Estava pensando aqui, mas por incrível que pareça, eu comecei a ler livros maiores com o Sidney Sheldon. Foi o maravilhoso O Reverso da Medalha, que meu pai me comprou numa edição de banca de jornal, quando eu tinha 11 anos e fiz uma cirurgia e precisei ficar 45 dias acamado. Ele nem sabia o conteúdo daqueles livros, mas eu pedia e ele comprava. Ainda bem! Uma pena que a geração de hoje não conheça Sidney Sheldon. Pela sua resenha dá para ver que seus livros não envelheceram. Muito legal!

    • É uma pena mesmo Helder, muitos autores da atualidade leram e se basearam muito em Sidney Sheldon. Ele foi um ícone do gênero. Hoje em dia não se tem divulgação dos livros dele, agora cabe a nós não deixa-lo cair no esquecimento rsrs. Quando li Sheldon pela primeira vez fiquei muito surpreso e satisfeito, (livro: Quem tem medo do escuro?) dali em diante a cada livro só confirmo minha meta de vida, que é ler todos os livros publicados dele. Obs. Se seu pai soubesse dos assuntos do livro, jamais deixaria você ler O Reverso da Medalha rsrsrsr (Olha e digo mais, tenho certeza que aquela novela da Globo, chamada Império, foi totalmente tirada do livro do Reverso da Medalha, posso estar errado, mas acredito que não!).

      • Leo, é pior do que isso. O Reverso da Medalha era o segundo volume de uma coleção de banca de jornal chamada Best Sellers. O primeiro foi A Mulher Só , de Harold Robbins. Jé leu este cara?? É mais um que caiu no esquecimento. Ele era o ícone da literatura hot na década de 80. E assim li meu primeiro livro adulto. A Mulher Só contava a estória de uma mulher que queria se dar bem em Hollywood, e para isso ela tem que “dar” para diversas pessoas. Atores, produtores, diretores. Mas no fim ela ganha o Oscar e ao recebe-lo, em critica a sua caminhada, ela exibe seu corpo nú e pintado de dourado como um Oscar em rede mundial. Literatura perfeita para um garoto de 11 anos, né? Reverso da Medalha era para puristas perto deste.

  2. Já li e amei tanto que comprei na série pra assistir muito Boa mesmo ,queria muito que a Netflix coloca-se em seu canal pois com certeza muita gente iria amar.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here