Review | Ronda Vermelha, de Garth Ennis

Resolvemos trazer-lhes de forma breve nossas impressões quanto a essa história, de forma que lhes instiguem a curiosidade para também a ler, presando é claro, por evitar os spoilers da trama. Não aprofundaremos nos detalhes para evitar estragar a experiência e surpresa daqueles que sentirem o desejo a ler está obra, entretanto iremos abordar sobre qual o princípio básico da história que será retratada.

Está edição de luxo foi publicada pela editora Mythos, e compila os números de 1 a 7 da história. Ronda Vermelha (ou em inglês Red Team) escrita pelo reconhecido roteirista irlandês Garth Ennis (conhecido por obras como Preacher, The Boys e Justiceiro, entre muitas outras e que possuiu o dom de conseguir criar personagens divertidos e cativantes além de construir ambientes de conflito e terror como ninguém) e desenhada por Craig Cermak (Voltron), juntos eles trazem uma história policial com tons de violência explícita e sanguinolenta, com inteligência na elaboração de cada estratégia antes das ações, aliado a realidade dura que impede avanços por causa das burocracias impostas pelo sistema para efetivação das investigações e, é claro, as consequências advindas de escolhas boas ou ruins feitas pelos personagens principais ao longo da história.

Ao longo dessa história, que lembra e muito filmes policiais “hollywoodianos” por trazer uma atmosfera urbana cinzenta e cheia de incertezas, nós somos apresentados aos personagens que serão protagonistas ao longo da jornada, sendo eles Eddie Mellinger, Trudy Giroux, Duke Wylie e George Winburn, eles fazem parte do destacamento da Polícia de Nova York que é especializado em combater o narcotráfico da região. A história tem seu início calmo em uma sala de interrogatório onde não sabemos (leitor) quem é o interrogador e ao longo dos capítulos a “bola de neve” só aumenta, o que faz com que o leitor fique cada vez mais intrigado e curioso por saber qual o desenrolar e as consequências da história dos personagens, tendo em vista que cada um possui suas características próprias, sejam elas consideradas como pontos fortes ou mesmo fraquezas que podem minar a confiança do grupo. Além disso, cada um precisa conviver com seus problemas pessoais, o que faz com quê o leitor consiga ter maior empatia para com eles, por mais que os fins não justifiquem os meios.

Tudo começa quando a equipe se sente acuada ao perder um companheiro da polícia, assassinado por ordem de um “grande criminoso” da sua região, o gângster Clinton Days, que além disso também é responsável pela morte de outras pessoas sem contar inúmeras outras acusações, porém ele sempre consegue sair inocentado por falta de provas que o liguem aos crimes apontados. Com isso o Red Team (Ronda Vermelha) se deparam em um ponto crucial de decisão na história, ou seguem com os meios tradicionais que se mostram ineficazes ou deixam de lado seus votos ante a corporação a que servem para fazer justiça com as próprias mãos, ao estilo milícia, sem deixar pistas ou provas que os liguem ao assassinato. E como um dos personagens mesmo diz:

“Resolvemos assassinar um suspeito. E o que aconteceu depois disso foi a pior… a pior coisa… que podia acontecer.”, a partir daí se dá início a atuação da Ronda Vermelha.

E aí, ficou intrigado para saber qual o desfecho de Ronda Vermelha? A história sem dúvidas é muito boa e vale a pena o investimento. Lembrando que se trata de conteúdo adulto, não recomendável para menores devido a linguagem e violência explícita.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here