Review – ReLife (Mangá)

Acredito que todo mundo já pensou como seria se tivesse a chance de voltar para certo ponto de sua vida e tentar fazer as coisas diferentes. O que você faria se tivesse uma segunda chance!? Arata  kaizaki, o protagonista da história desse Web Mangá que eu trago hoje para vocês, teve essa chance…

Mangaká: Yayoi Sou

Capitulos: 141 (em andamento)

Genero: Comédia, Romance, School Life, Shounen, Slice of Life

Tipo: Web Comic

Ano: 2013

Editora: NHN / Taibundou

Serializado em: Comico Japan (NHN)

Kaizaki Arata é um homem de vinte e sete anos que não consegue arrumar emprego e ainda recebe ajuda financeira de seus pais para poder se sustentar. Ele é o que chamam de NEET (Not currently engaged in Employment, Education or Training em português – “Atualmente sem Emprego, Educação ou Formação profissional”). Depois de se demitir da primeira empresa em que conseguiu um emprego por causa de um episódio traumático que afetou para sempre sua vida pessoal e principalmente profissional, ele ainda corre atrás de um novo emprego, mas falha em todas as entrevistas.

Em uma noite Arata é abordado por Yoake Ryou que diz ser do instituto de pesquisa ReLIFE e  lhe oferece uma segunda chance de voltar a sociedade, revivendo seu último ano no ensino médio (ele teria todas as suas despesas pagas e uma promessa de emprego quando a experiência acabasse). Para isso ele tem que tomar uma “droga” oferecida pelo instituto, que faz com que ele tenha a aparência de um jovem de 17 anos. Arata que tinha bebido muito naquela noite (devido a uma reunião com amigos da faculdade), sem perceber acaba tomando a pílula que Ryou lhe oferece. Quando ele acorda na manhã seguinte e lembra-se de todos os acontecimentos daquela noite, ele decide aceitar a proposta do instituto. E assim começa a jornada de Arata, revivendo pela segunda vez o último ano do ensino médio.

A partir do momento que Arata começa a frequentar a escola, somos apresentados a outros personagens, que farão parte do enredo. Cada um com sua personalidade única, o que torna a história cada vez mais interessante. Arata rapidamente faz amizade com alguns de seus colegas e logo é formado o grupo que vamos acompanhar ao longo da história. Destaque para a Chizuru, uma menina que não consegue fazer amigos porque tem dificuldade de interagir com outras pessoas, ela era isenta de sentimentos e durante grande parte da sua vida acreditou que esse deveria ser o padrão a seguir. Mas com a chegada do nosso protagonista isso começou a mudar, ela sente a necessidade de ter amigos, de poder criar memórias e ter um bom relacionamento com outras pessoas.

É impossível não se identificar com a lição que Relife passa. A vida adulta pode ser boa, mas também é difícil e todos sabemos disso. Sei que muita gente vai se sentir como o Arata em diversas situações que o mangá mostra. Todo adulto enfrenta muitas dificuldades, de arrumar emprego, de lidar com a pressão da família, do trabalho e às vezes até dos amigos. Pra mim Relife foi um grande “tapa na cara”, me fez pensar em muitas coisas, qual o caminho da minha vida e o rumo que eu devo seguir, por exemplo.

Outro ponto muito bem trabalhado em Relife é sobre o bullying que ocorre na maioria das empresas, principalmente quando se trata da competição entre funcionários. Engano seu, pensar que esse tipo de situação só ocorre entre crianças e adolescentes, o bullying dentro de empresas é um assunto muito sério e presente na nossa sociedade atual, por isso é importante falar sobre isso.

Minha primeira impressão após ler a sinopse de ReLife foi: “parece ser interessante, acho que vou ler pra ver como é”, sem me importar muito. Ainda bem que eu dei essa chance. O Mangá me surpreendeu de várias maneiras possíveis. Tanto que em menos de uma semana eu li todos os 130 capítulos disponíveis em português e corri para ler os outros 10 em inglês. Atrevo-me a dizer que fiquei com depressão pós mangá quando terminei, foi uma experiência tão agradável que eu não queria mais parar. E agora fico ansiosa por cada novo capítulo que, felizmente sai semanalmente e a scan americana está lançando em sincronia com a publicação no Japão.

Depois de tudo isso, só me resta falar que se você ainda não leu, corre procurar o mangá. Melhor ainda, deixo aqui o link da scan, que inclusive tem um leitor online e você pode ler até pelo celular. E se você se interessou pela história, mas fica com preguiça de ler, fica tranquilo… Em junho desse ano foram liberados na rede, os 13 episódios do anime que só estreou na TV japonesa em julho. O anime foi adaptado até o capítulo 110 do mangá e dependendo da repercussão, pode ganhar uma segunda temporada com o resto da história, mas não deve rolar tão cedo. Então não perca tempo e leia ReLife, tenho certeza que você vai apreciar essa incrível história sobre segundas chances.