Review | Redenção Sombria, de Tillie Cole

Review | Redenção Sombria, de Tillie Cole

Para os fãs de Tillie Cole, senta que lá vem bomba. Tiro. Lágrimas. Raiva. Mas muitaaaaaa raiva. Redenção Sombria é aquele livro que vai destruir tudo o que acreditamos no primeiro livro.

Publicado pela Editora The GiftBox no final de 2020, Redenção Sombria foi mais um livro da Tillie Cole que me fez chorar por páginas seguidas. Rider/Cain tem sua redenção nesse livro, já que, no final de Alma Sombria ele foi preso e seu irmão Judah assumiu seu lugar como profeta do povo da Ordem. Rider foi preso durante dias e torturado severamente cada um deles, onde seu irmão acreditava que estava purificando a alma e fazendo com que se arrependesse e voltasse a acreditar na fé.

Essas torturas não funcionaram e Rider ficou com mais raiva ainda de tudo o que acreditava quando uma mulher, Harmony, é colocada na cela ao lado da sua. Ela também foi considerada uma Amaldiçoada e teve seu destino selado quando Judah, ou o falso profeta, decidiu que deveria se casar com ela para salvar a todo o seu povo.

Não posso falar muito além disso porque a própria autora pede para que não façamos resenhas com muitos spoilers:

Peço também que nas suas resenhas e tudo o mais sejam SEM SPOILERS para que todos os leitores possam ter a melhor experiência possível.

Não estava preparada para Redenção Sombria. Não estava preparada para tanto sangue, tantas revelações. Rider caiu, foi ao fundo do poço e mesmo que suas atitudes nos livros anteriores tenham matado a gente de raiva, acredito que ele não mereceu sofrer tudo o que sofreu. Nem ele e nem Harmony. Os dois são almas quebradas e desiludidas que acabam encontrando conforto um no outro.

A força de vontade em mim para lutar contra aquilo era a única coisa que me restava.

E sim, chorei lendo esse livro. Chorei muito.

Redenção Sombria também variou dos dois primeiros livros porque nas histórias de Mae e Lilah, as mulheres eram as protagonistas. Por mais que tenham capítulos que envolvam seus pares românticos, eram elas que moviam a história. Em Alma Sombria, esse movimento ficou bem equilibrado. Mas aqui, Rider é quem carrega a história. As coisas acontecem com ele e por causa dele. Harmony tem sua parcela de importância na história sim, pois ela também tem seus demônios interiores com os quais lutar, mas Rider assume o protagonismo por completo.

Rider e Harmony fizeram, na minha nada humilde opinião, o segundo melhor livro da série que li até o momento (não superei a história do Flame ainda). Os dois, mesmo com seus segredos, tiveram que aprender a confiar um no outro para salvarem a si mesmos e também aos seus amados, ao Hades Hangmen e aos inocentes da Ordem.

_Nunca tenha vergonha de ser livre – declarei, encarando-as novamente. Eu quis dizer cada palavra. – A liberdade nunca vem sem sacrifício. Aproveitem a recompensa. Tenho certeza que você merece tudo isso.

Minha única recomendação é que os fãs de romance dark com mais de 18 anos leiam a série Hades Hangmen. Leiam Redenção Sombria. Caiam e sejam reerguidos como Rider foi. E não leiam em público. Você vai chorar muito lendo.

Leia mais Reviews