Review| O jardim de bronze, de Gustavo Malajovich

Review| O jardim de bronze, de Gustavo Malajovich

O jardim de Bronze, do autor Argentino Gustavo Malajovich, foi trazido pela Tag Inéditos em parceria com a Globo livros em novembro . Trata-se de um thriller (por aqui amamos thrillers) de tirar o fôlego.

Em Buenos Aires ainda nos Anos 90, Fábian é um arquiteto, casado com Lila e pai de Moira. Ele se vê meio cansado da monotonia de seu trabalho, seu casamento com Lila está passando por uma séria crise e anda por um fio. E a ‘cola’ disso tudo que ainda liga o casal e traz momentos felizes é a pequena Moira, única filha do casal. Ou seja, sua vida é repleta de rotina.
Ao ir com Cecília, sua babá de origem peruana à caminho de uma festa, elas desaparecem sem chegar ao trajeto e quase sem deixar rastros. E passamos a acompanhar a aflição e a agonia de pais que tem seus filhos desaparecidos. Lila se torna apática, fala pouco, fica bastante perturbada enquanto Fábian começa sua busca incansável atrás da filha deles que eles tanto querem ver de volta em casa.

Com o avanço lento e infrutífero da investigação policial no caso Moira, entra um personagem bastante curioso e carismático na trama. Doberti! Um detetive bem humorado, irônico, que tem uma galinha de estimação no escritório. Fábian não leva muita fé de que ele vá conseguir algumas respostas mas acaba deixando Doberti Se envolver no caso, o que é bom por que é a partir daí que vão surgir algumas pistas.
Assim que Doberti entra na história descobre-se que Cecília foi morta. Já Moira, ninguém sabe, ninguém viu. Os anos vão passando…o  que vai tornando a busca de Fabian pela filha cada vez mais angustiante e aflita. Algo que arrasa de vez com seu casamento de forma bem trágica e com parte de sua vida.
O livro além do tema desaparecimento infantil, aborda  outros temas bastante fortes e outros questionamentos a serem levantados e discutidos. Como não vou ser estraga prazeres e dar spoilers não vou falar sobre eles para não estragar as surpresas de quem tem interesse em ler o livro.

Gustavo Malajovich, autor de “O jardim de bronze”.

Em 445 páginas de pura adrenalina, Gustavo Malajovich nos cerca com uma escrita envolvente e um enredo eletrizante que vale a pena ser lido. Quando eu pensei que estava tudo certo e que o autor não poderia surpreender mais, me vem a parte final . Curta, cirúrgica e bem reveladora. Altas revelações que trazem todo sentido aos capítulos anteriores. Fiquei estarrecida!

Soube que já tem a série na HBO. Agora é só assistir.

Leia mais Reviews