Review | Mulher Maravilha, Sementes da Guerra de Leigh Bardugo

Mulher Maravilha, Sementes da Guerra de Leigh Bardugo foi lançado em 2017 pela Editora Arqueiro.

SINOPSE: Antes de se tornar a Mulher-Maravilha, ela era apenas Diana.

Filha da deusa Hipólita, Diana deseja apenas se provar entre suas irmãs guerreiras. Mas quando a oportunidade finalmente chega, ela joga fora sua chance de glória ao quebrar uma lei das amazonas e salvar Alia Keralis, uma simples mortal.

No entanto, Alia está longe de ser uma garota comum. Ela é uma semente da guerra, descendente da infame Helena de Troia, destinada a trazer uma era de derramamento de sangue e miséria. Agora cabe a Diana salvar todos e dar seu primeiro passo como a maior heroína que o mundo já conheceu.

Mulher Maravilha, Sementes da Guerra
Mulher Maravilha, Sementes da Guerra

Eu nunca fui adepta de desenhos, filmes ou qualquer outra coisa que envolva super-heróis, por isso não conheço nada sobre a mulher-maravilha e nenhum dos outros que são tão populares entre os fãs.

No entanto, há alguns anos quando Mulher Maravilha, Sementes da Guerra foi lançado senti uma estranha vontade de lê-lo, e decidi que o faria assim que leitores confirmaram que não precisaríamos saber grandes coisas sobre a personagem para entender o livro.

Recentemente, senti que chegou o momento dessa obra e iniciei-a sem expectativas o que acabou sendo muito bom, uma vez que acabei me surpreendendo e gostando muito mais do que esperava, e confesso que inclusive fiquei querendo conhecer mais sobre a heroína protagonista do livro, e certamente se houvesse mais livros sobre ela nessa linha eu leria.

Com uma personagem extremamente cativante e que desperta uma simpatia imediata o livro me ganhou já nas primeiras páginas, e logo fui também envolvida pela ação, pois a autora não deixa a desejar nesse quesito e também não se demora para mostrar ao que veio.

Em poucos capítulos, me vi envolvida com a história de Diana e também com a descoberta que ela faz de Alia, a semente da guerra, o que acaba transformando toda a vida de ambas.

Mas também por falar em personagens, não é só Diana que causa uma simpatia imediata, Alia, a semente da guerra, bem como outros que aparecem no meio do caminho como Nin e Maeve também acabam nos cativando, e embora essas personagens sejam todas bastante jovens, recém-saídas da adolescência, não encontrei em nenhum momento traços de infantilidade ou futilidade, pelo contrário, todas as personagens se mostraram muito maduras.

Além disso, achei toda a mitologia muito bem trabalhada de uma forma profunda mas que ao mesmo tempo não se tornou cansativa ou confusa diante dos elementos desconhecidos que nos são apresentados, pois a autora nos explica tudo com muita clareza e dinamismo.

Também, vale mencionar que amei encontrar nesse livro uma série de representatividades, passando por personagens negros, gays, dentre outros, e tudo trabalhado com uma naturalidade incrível, o que despertou ainda mais minha admiração.

Por fim, para fechar minha empolgação com esse livro ele teve vários momentos fofos e também teve vários momentos em que achei que eu infartaria ali mesmo enquanto via meus personagens queridos sendo feridos ou sofrendo, e diante de tudo isso com certeza recomendo Mulher maravilha, sementes da guerra e para os fãs dos elementos citados essa promete ser uma grande leitura assim como foi para mim.

E você, curte estórias de super heróis ? Quais sua preferida?

Vamos conversar nos comentários.

E não se esqueça que temos muitas outras indicações, clique aqui e conheça um pouco mais.

E Curta o Site Mundo Hype nas redes sociais, compartilhe com amigos e continue por aqui

#pracegover A capa do livro possui uma amazona com os braços cruzados, mostrando seus braceletes e o simbolo da Mulher Maravilha, que é um W, de Wonder Woman em inglês.

1 COMENTÁRIO

  1. Eu ganhei esse livro e acabei deixando ele tomando poeira, mas, depois da sua resenha, vou colocar ele no topo da lista de leitura!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here