Review | Menina má, de William March

Review | Menina má, de William March

Dona de um rostinho Angelical e muito graciosa, Rhoda é uma criança de aparência inocente como todas as outras. Mas por dentro, oculta uma alma sombria. Seu comportamento não é tão infantil como sua imagem apresenta. Sua mente é egoísta, fria, calculista, dissimulada e impessoal. Filha de um pai ausente, que por causa do trabalho mal convive com a família, é a mãe, Christine, que convive com a filha em tempo integral e que a cria praticamente sozinha, trazendo para si toda a responsabilidade na educação da menina, que vai pouco a pouco desvendando os terríveis mistérios que sempre envolvem a presença da filha. Como qualquer mãe (no lugar dela), ela se nega que a filha seja capaz de cometer tais atrocidades. Custa a acreditar com tristeza. Mas com o tempo ela vai associando uma coisa à outra e ficando um pouco mais atenta ao comportamento singular e peculiar da filha e então se convence que tem sérias decisões a tomar. E medidas extremas, pedem medidas desesperadas. A menina é má MESMO!
Pude sentir a angústia e a aflição da personagem Christine. Me imaginei na pele dela, e o que faria se descobrisse que um filho seria assim. Qual seria a reação? Ação? Cumplicidade?hostilidade? O que falaria mais alto? O amor e a proteção de mãe ou a justiça, mesmo que dolorosa? Bem tensas as reflexões intensas que esse livro me trouxe em relação a personalidade e como lidar com ela.
Gostei do livro. É tenso, objetivo, enervante. Do jeito que eu gosto. Recomendo. Entrou para o minha seleta lista de favoritos.
A capa desse livro, preciso confessar: Um show à parte. Mais uma edição perfeita da Darkside.

Leia mais Reviews