Review | Jonathan Strange & Mr. Norrell, de Susanne Clarke

SINOPSE: Em 1806, a maioria da população britânica acreditava que a magia estava perdida há muito tempo – até que o sábio Mr. Norrell revela seus poderes, tornando-se célebre e influente. Ele abandona a reclusão e parte para Londres, onde colabora com o governo no combate a Napoleão Bonaparte e coloca em prática seu plano de controlar todo o conhecimento mágico do país. Tudo corre bem até que Jonathan Strange, um jovem nobre e impetuoso, descobre que também possui talentos mágicos. Ele é recebido por Norrell como seu discípulo, mas logo os dois começam a se desentender… e essa rixa pode colocar em risco toda a Inglaterra.

Apresentado na época de lançamento como o melhor da fantasia inglesa deste O Senhor dos Anéis de J.R.R. Tolkien. Jonathan Strange & Mr. Norrell, escrito por Susanne Clarke, publicado pela Companhia das Letras, é certamente uma narrativa fantástica que como Neil Gaiman diz no prefácio “um romance (…) em que o mundo das fadas e dos homens talvez não sejam tão divididos como parecem, mas apenas formas diferentes de se referir à mesma coisa”. Recebeu o Hugo Award, um dos prêmios mais importantes no gênero fantástico, além de ter sido indicado ao Man Booker Prize e eleito o melhor livro do ano de 2005 pela revista Time.

Ilustração de Portia Rosenberg

Como a sinopse mostra, estamos na Inglaterra do século XIX, durante o período das guerras napoleônicas. Dois personagens, o mago que revela seus poderes e um aprendiz inesperado, tentam dar a Magia o status que tinha anteriormente, de séculos atrás. Os eventos reais (a guerra na Península Ibérica, as campanhas de Lorde Wellington, as mudanças no gabinete inglês, a doença do rei George) se combinam com momentos fantásticos (as estátuas falantes da Catedral de York, as estradas do Rei, as passagens entre os mundos, a Veneza obscura, as batalhas mágicas da Guerra da Independência, a frota fantasma a frente da costa francesa, a necromancia e a loucura de um certo rei).

Ilustração de Portia Rosenberg

Jonathan Strange & Mr. Norrell é dividido em três partes, cada uma centrada em um mago diferente, Gilbert Norrell (primeira parte), Jonathan Strange (segunda parte) e um terceiro mago que percorre todas as páginas do livro, mas cujo traço é perceptível e invisível. O resultado é um trabalho divertido, repleto de ironia, que nos leva aos arredores de um mundo onde a magia é possível, credível e até desejada, capaz de interagir com os eventos históricos que sustentam nosso presente sem deturpá-lo em excesso e, o mais importante, sugerindo que após o livro um mundo verdadeiro poderia surgir onde Norrell, Strange estariam nos esperando. Recomendamos a leitura e surpreenda-se.

TRÍVIA

Uma minissérie de mesmo nome foi adaptada pela BBC em 2015, com Eddie Marsan, que interpreta Mr. Norrell e Bertie Carvel como Jonathan Strange. A série de sete capítulos traz o que o calhamaço apresenta em mais de oitocentas páginas, o que demorou dez anos para a autora escrever, merecia já uma continuidade, o que Clarke está escrevendo um novo livro, que se passa alguns anos depois do fim do original. Vamos aguardar.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here