Review | Heróis Mais Poderosos da Marvel #53 – Cavaleiro Negro

Review de coleção Os Heróis Mais Poderosos da Marvel #53 – Cavaleiro Negro, com o arco Nação Vampira, escrito por Paul Cornell e desenhos de Leonard Kirk e Mike Collins, lançado em fevereiro de 2017, pela Editora Salvat, 232 páginas, R$ 39,90, formato americano. Originalmente em Captain Britain and MI-13 #10-15 e Annual #1.

Sinopse:

Uma lenda renascida, Dane Whitman é o Cavaleiro Negro, um exemplo reluzente do heroísmo heráldico. Brandindo o poder sem igual da Espada de Ébano, ele é um Vingador, Defensor e Herói de Aluguel! Testemunhe a bravura britânica do MI-13 enquanto o Cavaleiro Negro, Capitão Britânia e o resto da equipe mostram aos Heróis Mais Poderosos da Terra como é que se faz! Drácula invadiu as Ilhas Britânicas e agora Dane Whitman e seus aliados de Albion precisam repelir uma onda implacável de terror provocada pelos mortos-vivos! Prepare sua espada, leitor – a alma da Bretanha está em jogo!

Comentário edição a edição:

Edição #10: Um pacto sombrio entre o Doutor Destino e Conde Drácula coloca toda a Bretanha em perigo. Cavaleiro Negro recupera sua verdadeira Espada de Ébano que estava sendo protegida em Wakanda. Quando retornava para casa com Faiza, são atacados. O mesmo acontece com Brian Braddock e Peter Wisdom. Kenneth, o filho vampiro de Spitfire faz uma visita inesperada e o pai de Faiza Hussain é atacado em casa pelo próprio Conde Drácula.

Edição #11: Após a primeira onde de ataques para atrapalhar o foco, o MI-13 continua sua procura pelo pai de Faiza, que demonstrou uma incrível habilidade ao salvar a si e o Cavaleiro Negro de uma queda de avião. Blade tenta entender os motivos desse ataque. Quando Spitfire segue seu filho Kenneth, acaba caindo sob o domínio de Drácula.

Edição #12: Até mesmo dentro das fileiras do MI-13, havia vampiros infiltrados. Blade e o MI-13 voam rapidamente atrás do crânio de Quincy Harker, antigo caçador de vampiros, que guarda um feitiço capaz de impedir uma invasão em massa, mas são detectados pelos agentes de Drácula. A próxima fase de seu plano está prestes a se iniciar.

Edição #13: A Grã-Bretanha está isolada do resto do mundo por um campo de força místico e invisível. Finalmente a natureza vampiresca de Spitfire se rende ao Conde Drácula, que empreende um ataque feroz, ceifando as vidas de Faiza, Peter Wisdom e Cavaleiro Negro. O Capitão Britânia acabou isolado de seu próprio país.

Edição #14: Drácula consegue se livrar da magia de Plokta antes de alcançar a Inglaterra. Mesmo assim, um plano em andamento libertou Spitfire que foi levada de volta até o QG do MI-13. Infelizmente, o pai de Faiza não conseguiu escapar.

Edição #15: Sem esperar por isso, Drácula é surpreendido pelo ataque do Capitão Britânia em sua nave, que transportava sua esposa, Megan. Sem a magia do crânio de Harker, os vampiros são pegos pela luz do sol. E a batalha final entre Drácula e a portadora da espada excalibur, Faiza Hussain.

Anual #1: Edição que mostra como Megan, esposa do Capitão Britânia foi resgatada do inferno pelo Doutor Destino e acabou sendo uma peça fundamental para que o MI-13 pudesse derrotar o Conde Drácula.

Análise final:

Arco de histórias do título mensal Capitão Britânia e o MI-13, que como era de se esperar, mostra as aventuras do grupo contra um ataque articulado pelo Conde Drácula. O que torna estranho esse encadernado levar o título do Cavaleiro Negro. Poderia até ser compreensível, se a trama girasse em torno do Cavaleiro Negro, mas nem isso aconteceu. Seria mais coerente se esse volume fosse da Spitfire. Como história, foi apenas mediana, sendo que o melhor dessa mensal foram os arcos iniciais desenvolvendo melhor os personagens principais e com o escritor Paul Cornell fazendo várias referências ao lado místico de Camelot. Porém, para esse arco específico, nada demais. E para piorar, leva o nome de um herói que mal aparece – Cavaleiro Negro. Por isso, como resultado final, é leitura insatisfatória.

Nota geral: 4,5

Por Roger

Cavaleiro Negro
Colecionador de HQs Marvel desde 1981 quando comprei minha primeira HQ Heróis da TV Nº 21 pela Editora Abril e HQs DC desde 1984 quando a Abril lançou os três títulos: Super-Homem, Batman e Heróis em Ação. Durante a década de 90, por motivos pessoais, fiz uma pausa, mas retornei em 2000 lendo algumas histórias do universo Ultimate.