Review | Em Outra Vida, Talvez? de Taylor Jenkins Reid

Em Outra Vida, Talvez? foi o primeiro livro da escritora Taylor Jenkins Reid a ser publicado no Brasil em 2018 pela Editora Record.

Na época se sua publicação, o livro passou batido, porém agora em 2019 em todas as listas de melhores leituras do ano com certeza podemos encontrar Os Sete Maridos de Evelyn Hugo e em algumas Daisy Jones and The Six, ambos obras da autora, lidos e resenhados pelo site, e que incensaram o nome da autora e despertaram a curiosidade dos leitores.

O que mais temos de Taylor Jenkins Reid no Brasil?

SINOPSE: Hannah está perdida. Aos 29 anos, ainda não decidiu que rumo dar à sua vida. Depois de uma decepção amorosa, ela volta para Los Angeles, sua cidade natal, pois acha que, com o apoio de Gabby, sua melhor amiga, finalmente vai conseguir colocar a vida nos trilhos. Para comemorar a mudança, nada melhor do que reunir velhos amigos num bar. E lá Hannah reencontra Ethan, seu ex-namorado da adolescência. No fim da noite, tanto ele quanto Gabby lhe oferecem carona. Será que é melhor ir embora com a amiga? Ou ficar até mais tarde com Ethan e aproveitar o restante da noite? Em realidades alternativas, Hannah vive as duas decisões. E, no desenrolar desses universos paralelos, sua vida segue rumos completamente diferentes. Será que tudo o que vivemos está predestinado a acontecer? O quanto disso é apenas sorte? E, o mais importante: será que almas gêmeas realmente existem? Hannah acredita que sim. E, nos dois mundos, ela acha que encontrou a sua.

Após ter lido Os Sete Maridos de Evelyn Hugo, escrito por essa autora, resolvi que queria ler todos os livros dela que já tivessem sido lançados no Brasil, por isso não demorei em acrescentar o Em Outra Vida, Talvez? em minha lista, apesar de sempre ter tido um enorme receio com ele, uma vez que a sinopse apresentava que haveria duas realidades paralelas, e eu em geral não me dou com esse tipo de narrativa.

Porém, nas primeiras páginas da leitura pude comprovar que não havia motivos para temer, e descobri que o estilo de narrativa depende muito do autor, porque apesar de não ser adepta desse estilo, eu simplesmente me apaixonei pela história apresentada aqui, e se tivesse mais páginas certamente eu as leria bem feliz, o que tornou esse livro uma grata surpresa.

Esse não é um livro grandioso e sequer chega a ser marcante como Evelyn Hugo, no entanto, a história é tão bem conduzida e envolvente que nos apegamos aos personagens e passamos a tê-los como pessoas próximas de nós, o que me levou a torcer, sofrer e vibrar junto com cada um deles.

Esse livro é classificado como comédia romântica, por isso não se deve esperar algo muito impactante vindo dele, porém, houve uma série de temas que gostei de terem sido abordados como o destino ao qual somos levados através das nossas escolhas, os impactos de tudo que fazemos que perduram por longos tempos, bem como também encontramos partes muito interessantes sobre traição e também sobre amizade.

Obviamente, como temos a apresentação de duas realidades com uma personagem, tive a minha preferida e foi a que eu quis acreditar que foi a real pois me apaixonei por tudo que aconteceu nela, e na outra houve alguns personagens aos quais não me afeiçoei também.

Apesar de esse livro possuir romances fofos, um dos pontos principais dele é falar sobre a força feminina, suas vontades e que uma mulher pode sim fazer e bancar escolhas sozinha sem depender de seguir a opinião alheia, o que para mim foi uma lição bem bacana.

Outro destaque que é muito importante a se fazer para os leitores que assim como eu não apreciam isso de mais de uma realidade, é que aqui nada ficou confuso, é só como se lêssemos duas histórias paralelas, mas não existe nada de ideias mirabolantes, buracos no tempo e sei lá mais o que surge quando se fala desse tipo de livro.

Em suma, Hannah e Gabi e todos os outros personagens foram seres que me conquistaram muito e conseguiram através dessa história me deixar com o coração aquecido e com vontade de que mais coisas da autora cheguem no Brasil logo pois eu tenho a certeza de que irei querer lê-las.

E você, já leu algum dos livros de Taylor Jenkins Reid?

Qual seu livro favorito da autora e porque?

Vamos conversar nos comentários.

E não se esqueça que temos muitas outras indicações, clique aqui e conheça um pouco mais.

E curta o Site Mundo Hype nas redes sociais, compartilhe com amigos e continue por aqui.

#pracegover A capa do livro traz uma menina com uma roupa descolada ao lado de um poste com placas indicando para diversos direções. Ao fundo vê-se uma grande cidade.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here