Review | Demolidor #3 (Panini)

Review do encadernado Demolidor #3, escrito por Mark Waid e desenhos de Chris Samnee, lançado em janeiro de 2014, pela Editora Panini, 148 páginas, R$ 18,90, formato americano. Originalmente em Daredevil #12-18.

Sinopse:

O clima começa a esquentar entre Matt e a nova assistente de promotoria, Kirsten McDuffie, mas a busca das organizações do Megacrime pelo Disco Ômega coloca em perigo todas as pessoas próximas ao Demolidor. Entrando na caça ao Omegadrive, as forças latverianas abduzem o Homem Sem Medo e o submetem a um experimento que lhe causa alucinações e pode acabar com a frágil sanidade do herói. E ainda: o triste fim da sociedade entre Matt e Foggy.

Comentário edição a edição:

Daredevil #12: Matt e a assistente Kirsten McDuffie tem um belo passeio pelo parque de diversões, onde ele revela um acontecimento durante a universidade que marcou a amizade entre Nelson e Murdock. A amizade entre Matt e Foggy é uma das mais sólidas do universo Marvel, e nesse passado revisitado, é fácil entender o motivo.

Daredevil #13: A verdade é que enquanto estiver em posse do Omegadrive, o Demolidor sempre será alvo das cinco organizações criminosas interessadas no disco rígido. Uma batalha no centro da cidade entre o Demolidor e quatro das organizações – IMA, Hidra, Agência Bizantina e o Império Secreto, além de um plano inusitado, colocam um aparente fim no caso do Omegadrive.

Daredevil #14: As consequências de se livrar do Omegadrive levaram o Demolidor a ser seqüestrado e levado até a Latvéria. Após ser submetido a um gás que elimina todos os seus sentidos gradativamente, o Demolidor empreende uma fuga desesperada da nação do Doutor Destino.

Daredevil #15: Privado de todos os seus sentidos, Matt é submetido à testes experimentais bizarros a fim de descobrirem o funcionamento de seu “sentido de radar”. A única chance de sobreviver à tortura é convocar a ajudar dos Vingadores. Mas conseguir escapar sem nenhum de seus sentidos pode ser algo impossível até mesmo para o Homem Sem Medo.

Daredevil #16: No laboratório de Stark, contando com a ajuda do Dr. Estranho, Hank Pym destrói os nanorobôs implantados no cérebro de Matt privando-o de seus sentidos. Uma experiência que afetará ambos. De volta a seu escritório, Matt tem uma forte discussão com Foggy que o acusa de ainda estar mentalmente perturbado e, enquanto ele não buscar ajuda de verdade, sua sociedade está rompida.

Daredevil #17: Tentando entender quem pode ter violado o túmulo de seu pai e colocado seus restos dentro de uma gaveta em seu escritório, Matt relembra de um acontecimento no passado que mostra a força da amizade que sempre uniu Matt e Foggy. Isso reforçou a determinação do Demolidor em descobrir quem está tentando quebrar essa amizade.

Daredevil #18: Foggy resolve aceitar um caso envolvendo a jovem Adele Santiago, acusada da morte do chefe do narcotráfico Victor Hierra. Quando chega em seu apartamento, Matt se depara com Milla, sua ex-esposa que deveria estar internada em um hospício. Ao implorar à Foggy um último favor para que vá até o hospital onde Milla deveria estar, o ex-sócio de Matt, ao descobrir que o quadro clínico de Milla não mudou, apenas reforçou sua convicção de que seu amigo Matt precisa de ajuda médica.

Análise final:

Basicamente esse volume traz o encerramento da trama envolvendo o Omegadrive e o início de outra que deve testar a sanidade do Homem Sem Medo e sua forte amizade com Foggy Nelson. A conclusão da história do disco de dados contendo informações sobre as grandes organizações criminosas teve um desfecho até que inesperado e coerente e suas consequências que levaram o Demolidor até a Latvéria testou os limites físicos do herói. Além disso, como costuma fazer em seus títulos mensais, o escritor Mark Waid trabalha muito o lado humano e social de seu herói e continua a fazer isso, mostrando alguns eventos passados, explorando a amizade entre Matt e Foggy. Leitura altamente recomendada.

Por Roger

Demolidor 3
REVER GERAL
Demolidor
9,0
SHARE

Colecionador de HQs Marvel desde 1981 quando comprei minha primeira HQ Heróis da TV Nº 21 pela Editora Abril e HQs DC desde 1984 quando a Abril lançou os três títulos: Super-Homem, Batman e Heróis em Ação. Durante a década de 90, por motivos pessoais, fiz uma pausa, mas retornei em 2000 lendo algumas histórias do universo Ultimate.

Últimos Reviews