Review | Barba Ensopada de Sangue, de Daniel Galera

Review | Barba Ensopada de Sangue, de Daniel Galera

O escritor brasileiro Daniel Galera nos apresenta uma história simples e detalhada. Grande parte da trama se passa em Garopaba um pequeno município em Santa Catarina. A premissa inicial é muito simples, um senhor de idade anuncia ao seu filho que irá se matar, que ele não tem mais aquela vontade de viver, mas antes disso precisa se certificar-se que o filho faça um favor tanto quanto incômodo em relação a sua cachorra. E diz:

“Não é pra cuidar. Quero que tu leve ela no Rolf, lá em Belém Novo. Depois que eu tiver… feito o que vou fazer. Manda ele dar uma injeçãozinha nela. Já me informei, não tem dor. Ela já tá deprimida agora. Ela já sabe. Vai definhar quando estiver sozinha.”

Antes de morrer, pai e filho desenrolam uma longa conversa sobre o passado, onde o pai fala um pouco sobre o passado e sobre o avô do rapaz, suas histórias lendárias e como o filho se parece com ele. Há uma certa neblina em cima do assunto, pois o Sr. Gaudério (Avô) foi assassinado de forma misteriosa onde uma rede de mentiras anulam o que de fato aconteceu na década de 60 no pequeno município de Garopaba-SC.

Após a morte de seu pai, problemas familiares assolam a vida do jovem rapaz, ele decide mudar de ares, mudar por um tempo, organizar as ideias e se reconectar, nada melhor que morar na praia e continuar suas práticas esportivas, já que é professor de Educação Física. Decide investigar aos poucos a história do avô e tentar descobrir o que de fato aconteceu, e alguns segredos com certeza não devem ser revirados.

O livro começa bem interessante, foi perdendo força, detalhando demais, incluindo acontecimentos que não deram em nada. Talvez o escritor tenha um outro olhar para essa história, mas não consegue transmitir os mesmos sentimentos. Se fosse um pouco mais enxuto, ganharia dinamismo e ficaria um pouco melhor.

A simplicidade da história não empolga, parece que se trata de algo baseado em fatos reais, pois chega a ser cansativo de tão simples em determinadas partes. O nome é bastante curioso, a sinopse nos chama a ler, mas rapidamente mudamos a perspectiva de tudo. A segunda parte do livro as coisas começam a esquentar um pouco mais, e a trama começa a ficar mais dinâmica e te instiga a saber o que vai acontecer. Você vive a vida do personagem e consegue entender seus sentimentos e  escolhas, lembrando também que o autor consegue usar muito bem a prosopagnosia do personagem principal para aumentar a tensão da trama. Sem contar que a edição da editora Companhia das Letras é de uma qualidade superior a muitos outros livros das editoras afora, tanto na qualidade do material quanto a edição.

“Curioso que o nome do personagem principal não é citado nenhuma vez, e só fui me dar conta disso no momento de escrever esse review. É um mix de realidade, lenda, folclore e comédia. Caso goste de uma narrativa detalhada, recomendo e muito, caso seja um pouco mais ansioso, acredito que não irá degustar tanto da leitura.”

***(Prosopagnosia em grego: “prosopon” = “cara”, “agnosia” = “incapacidade de reconhecer (também conhecida como cegueira para feições) era, até muito recentemente, tratada como uma desordem rara da percepção da face, na qual a capacidade de reconhecer os rostos está danificada)

Leia mais Reviews