Review | #Acredite, de Eliane Quintella

#Acredite é o livro que recebemos em parceria com a autora Eliane Quintella. O livro é um conto de fadas curto, com 148 páginas, que nos traz uma linda história de amor e de superação. A edição está maravilhosa (estou namorando a capa a dias) e cheia de ilustrações. Cada detalhe é mais lindo que o outro, e podemos ver através das palavras e das ilustrações o impacto e o amor da história.

Sinopse:

Existe um mundo mágico, mas seu povo é dividido de acordo com seus poderes. Braites são mágicos mais poderosos e dominam a energia da transformação. Lalulis conseguem fazer apenas as magias simples. Os Braites mantêm sua magia forte, pois cultivam a leveza, a harmonia e a alegria, já os Lalulis não são capazes de aumentar seu poder de magia, pois são pessimistas por natureza e preferem se deixar dominar por sentimentos pesados a serem fúteis como os Braites.
Nesse mundo dividido, Pamela, uma jovem braite, se apaixona por Raul, um Laluli. Porém, os dois acreditam que o amor é uma força poderosa e estão dispostos a desafiar a ordem das coisas ficando juntos.
O casal é submetido a duras provações que desafiam a força do amor e a crença que separa aquele mundo. Um livro que tem a força dos contos de fadas e nos inspira a acreditar em nós mesmos e na vida que nos cerca.

Sabe aquela história de amor que os protagonistas sofrem muito mas coisas terminam tão bem que a gente fecha o livro com um suspiro? Esse livro entra nessa categoria. Pam e Raul vivem uma história de amor turbulenta, passando por vários altos e baixos, mas que perseveram no poder do amor e na fé em si mesmos e na vida ao redor.

#Acredite é contado a partir da perspectiva de Pam, que, ao se apaixonar por alguém que não é da ‘mesma raça’, e que para viver esse amor de forma plena, acaba perdendo seus poderes, sua família, seus antigos amigos e toda a vida que estava acostumada. A mudança brusca não é fácil para a garota, mas ela entende que, nos braços de quem ama, ela é capaz de enfrentar o mundo.

Junto de Raul, Pam começa a enxergar que a segregação imposta a seu mundo entre mágicos fracos e mágicos fortes é puramente ilusão, pois a fonte de poder de ambos os povos vêm do mesmo lugar, e que, hoje separados, essas ‘raças’ já foram um único povo. Pam e Raul tentam provar isso e passam por diversos problemas para se manterem juntos. Pam cresce e amadurece muito, e, no fim do livro, entendemos que vale a pena sim lutar pelo amor.

Os pais de Pam são personagens que também aprenderam e cresceram ao longo da história, pois, no inicio, não acreditavam nas palavras da filha, mas, com o tempo, viram que ela tinha razão. Não só viram, como entenderam e sentiram em si essa mudança que a filha dizia existir.

É verdade, eu sempre soube. Raul era feito da mesma essência. Ele podia como eu.

Senti falta de saber o que Raul sentia ou pensava nessa história. Mesmo ele sendo protagonista ao lado de Pam, muitas vezes me pareceu que ele apenas era um apoio para que Pam conseguisse se desenvolver e compreender o que estava errado no mundo. Um livro aos olhos de Raul seria muito bom! Queria saber como foi para ele descobrir que possuía magia dentro de si, e que era tão poderoso quanto a garota que amava.

O livro é lindo, mas nem tudo são flores. As passagens temporais não ficaram claras ou era abruptas demais. Mesmo que eu precisasse ler mais algumas páginas para entender que o amor do casal não foi um instant love, as passagens de tempo foram tão abruptas que pensei que muitos dos eventos aconteciam logo em sequencia, de um dia para o outro. As passagens temporais poderiam ser mais trabalhadas, narrando mais detalhes, para que os eventos não ficassem puramente jogados no livro. Uma progressão mais lenta da recuperação dos poderes de Pam seria muito interessante de ser descrita, saber como voltou, em quanto tempo, como ela descobriu, etc.

Uma coisa que se encaixa nessa minha crítica anterior da passagem de tempo são os diálogos. Como o livro acontece em um tempo inconstante, os diálogos apresentados são cheios de frases de efeito sobre amor e perseverança, mas com a sensação de repetição que foi incomoda para mim. Em muitos momentos pareciam que os personagens não conversavam como pessoas normais, apenas com frases de incentivo. As conversas não são ruins e são muito condizentes com a história, mas chegou a um ponto de ser tão repetitivo que ficou chato. Os personagens podiam trocar frivolidades, brincadeiras até, para parecerem mais reais.

Tem esse lance de acreditar que é quase tudo e que para você fez toda a diferença, pois nunca deixaram você acreditar (…) Mas há algo a mais, que você me ensinou, que é a força da superação.

Gostei muito do final e da reviravolta nos eventos (não estava preparada para as últimas páginas). O final poderia ter ficado um pouco mais longo, com mais descrições dos acontecimentos tanto com Pam, como a visão de Raul e das mudanças no mundo deles. Fiquei muito curiosa para saber como o Raul conseguiu passar pelas provações dele e como ele conseguiu lidar com cada descoberta que fez junto de Pam. Eu daria todas as estrelas do universo se esse livro tivesse mais umas 100 páginas explicando om mais detalhes a evolução de Pam e os acontecimentos aos olhos de Raul.

#Acredite é uma linda história de amor, de leitura rápida, que vai encantar a todos aqueles que acreditam que o amor é a verdadeira magia da vida. Eliane Quintella nos presenteou com uma bela história em uma maravilhosa edição.

O livro está disponível na Amazon físico e em e-book.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here