Review| A sala das borboletas, de Lucinda Riley

Review| A sala das borboletas, de Lucinda Riley

Toda vez que finalizo um livro da Lucinda Riley me sinto aquecida com a sensação de coração quentinho. Ando na vibe do suspense ultimamente. Fazia tempos que não lia romance e foi uma grata surpresa fazer essa leitura de uma estória tão bem escrita. A sala das borboletas traz consigo uma explosão de emoção, curiosidade e uma diversidade de sentimentos.

Em ” A sala das borboletas” , lançado pela editora Arqueiro, conhecemos a história de Posy vivendo na majestosa casa, a Admiral House, em 1944,  ela é uma menina inteligente, ama flores e borboletas e vem  de uma família abastada .Ela costumava caçar borboletas com o pai, que lhe dava toda atenção e amor que um pai é capaz. Muito diferente de sua mãe, que quase não dedica atenção à menina. Infelizmente seu pai acaba morrendo durante a guerra. Ou pelo menos  foi o que lhe contaram.

“o mundo é um lugar mágico devemos nos considerar sortudos por viver nele”

Já em 2006, Posy está prestes a completar seus 70 anos, apesar do bom humor e jovialidade ela é mãe de dois filhos que não poderiam ser mais diferentes em termos de caráter e personalidade. Enquanto Nick é um filho que lhe traz orgulho, Sam é um alcoólatra incorrigível  que só arruma problemas. Sam é casado com Amy, uma mulher extraordiária, com um emprego simples e, sozinha, sustenta a casa e os dois filhos do casal enquanto Sam só sabe viver de bar em bar afogando as mágoas e se metendo em mais encrenca. Nick saiu de Suffolk para esquecer um amor, e quando retorna conhece Tammy, uma ex modelo por quem ele acaba se apaixonando.

Todos ali tem problemas a resolver, um deles é o que fazer com a Admiral House, a casa memorável onde Posy ainda vive mas que se deteriorou bastante com a passagem do tempo, e onde ela guarda tantas lembranças de sua infância, de seu amado pai,   e sofre por ter que se desfazer da casa da família que passou de geração em geração, uma herança que ela adoraria reformar, mas que com a vida modesta que tem e com a idade já avançada, não pode manter.  Enquanto Posy enfrenta seus dilemas de vender ou não a casa, acudir os filhos, os netos e se questionar porque seu filho Sam é do jeito que é, um amor do passado aparece, ninguém mais ninguém menos que Freddie Lennox, um ex namorado de sua juventude, que ela cultivou no coração assim como as flores de Admiral House que ela adora preservar.  Ela nunca conseguiu esquecê-lo.

A história vai alternando entre o passado e o presente de Posy e Lucinda vai entrelaçando esses fatos em uma narrativa única, com capítulos envolventes e emocionantes, sem cansar o leitor. Além do contexto histórico temos também temas importantes nessa narrativa: Alcoolismo, violência doméstica, dramas familiares, homicídio e os segredos que são trunfos que a autora vai tirando da Manga no decorrer da trama.É impossível largar o livro até ler a última página. É impossível ler e não se sentir energizada. E quando a gente fecha o livro dá tristeza porque acabou e precisamos procurar algo que se compare por que superar essa mulher é difícil. Já li vários da autora e é sempre esse sentimento que me traz. Sou completamente encantada pelos livros dela.

Já leram algo da Lucinda Riley?

Algum deles te marcou? Conta aí nos comentários.

Sobre a autora:

Lucinda Riley nasceu em Lisburn e morou na Inglaterra. Já estudou teatro e balé e trabalhou como atriz .  Já escreveu vários livros, entre eles: a Rosa da meia noite, a garota italiana, a garota do penhasco, a casa das orquídeas e a aclamada série “Sete irmãs”. Infelizmente Lucinda morreu em junho de 2021, deixando muitos leitores órfãos e um legado de sucesso e ótimos romances.

Leia mais Reviews