Review | A rainha do nada, de Holly Black

Review | A rainha do nada, de Holly Black

E voltamos aqui para finalizar a trilogia O povo do Ar com o tão aguardado A rainha do nada, terceiro e último volume, publicado pela Editora Galera Record. Holly Black deixou a nós leitores bem ansiosos no final do livro anterior já resenhado aqui. A rainha do nada vem para colocar os pingos nos Is e talvez fazer com que Cardan tenha sua redenção.

Gente, vem spoiler PESADO a partir daqui. Vou colocar imagem para que, quem ainda não leu, fuja a tempo desse texto. Tem outras resenhas aqui que não vão comprometer as leituras de vocês.

Juliet BxRomance on Twitter: "I'm finally here! 🙃 Jude and Cardan from  "The Cruel Prince" by @hollyblack I'm in love with these books and these  characters. I can't wait for the release
Jude e Cardan, protagonistas da série O povo do Ar

O final de O rei perverso me deixou com raiva da vida para não dizer palavras de baixo calão aqui. Cardan deu um golpe em Jude que não esperávamos: ele a transforma em sua rainha, a primeira rainha humana da história, e, logo em seguida, a exila no mundo mortal. E, novamente, o título do livro já explica bem a história, Jude consegue alcançar o título máximo, mas não é rainha de nada.

Exilada na terra, ela precisa aprender a se readaptar aos costumes dos mortais enquanto tenta aceitar a traição de Cardan e ensina Oak a se defender e ser o futuro grande rei de Elfhame. Só que Jude não consegue lidar bem com a sua nova realidade vivendo com Oak e Vivi.

A oportunidade de mudança aparece quando Taryn, sua irmã gêmea, aparece na porta de Jude pedindo ajuda para lidar com um problema no reino das fadas: Taryn matou Locke e, se for interrogada, vai acabar contando a verdade. Taryn sabe que Jude não pode ser encantada por nenhum poder de fada e pede a irmã para passar por ela e ser interrogada em seu lugar. Logicamente Jude aceita, pois queria voltar para seu antigo lar e está disposta a ajudar a irmã, ainda que a relação entre elas não tenha ficado bem no segundo livro.

Jude volta, mas sequer tem muito tempo dentro do castelo onde passara os últimos meses antes de ser exilada. Ela é sequestrada pelo próprio pai, que pensava que fosse Taryn, e Jude descobre que Elfhame tem muito mais problemas e ameaças do que tinha quando ela era a senescal do rei.

Quando o cavalo dispara pelo ar gelado, vejo as montanhas abaixo, assim como o exército de Madoc. Olho para as minhas irmãs, correndo pela neve. Minhas irmãs que, apesar de tudo, vieram me salvar.

A partir desse ponto, Jude não tem um minuto de paz. Ela acaba no meio de um conflito preocupante entre seu rei e o exército que seu pai reunira para tentar depor Cardan. Além de todo o conflito político e guerra iminente, Jude precisa lidar com os próprios sentimentos em relação a Cardan, pois ainda não o perdoara pelo exílio.

Esse foi um dos motivos pelos quais não quis acreditar que você tinha se juntado a Madoc. O outro é que quero você aqui, ao meu lado, como minha rainha.

A partir daqui, tanta coisa acontece que vou deixar para que vocês descubram lendo A rainha do nada. Holly Black escreve uma narrativa fluída, frenética, que faz com que queiramos saber qual vai ser o próximo passo dos personagens.

Eu só não dei nota total logo no último livro da trilogia porque esperava um pouco mais de ação, principalmente em um momento que foi crucial para a resolução da trama. E, exatamente nesse ponto, achei que Jude se perdeu, logo ela que vinha tendo uma postura tão firma, ainda que tivesse medo, nos livros anteriores.

Finalizando, a trilogia O povo do Ar é uma fantasia que vale a pena ser lida, apreciada e divulgada para todos os amigos que também gostam de fantasia ou querem ler algo diferente. A rainha do nada conseguiu finalizar bem a história, deixando a trama completa em si e com uma imensa vontade de ler mais livros da autora Holly Black.

Leia mais Reviews